Conecte-se Conosco

Transporte

Facção criminosa responsável por lavagem de dinheiro em casas de shows é desarticulada em Mato Grosso

Publicado

em

Objetos apreendidos-Foto: Assessoria

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Mato Grosso (FICCO/MT), com o apoio do CIOPAER e do GAECO/MPMT, deflagrou nesta quarta-feira (05) a Operação Ragnatela. A operação tem o objetivo de desarticular o núcleo da maior facção criminosa do estado de Mato Grosso, responsável por lavagem de dinheiro em casas noturnas cuiabanas.

Aproximadamente 400 policiais cumprem oito mandados de prisão preventiva e 36 de busca e apreensão nos estados de Mato Grosso e Rio de Janeiro, além do sequestro de imóveis e veículos, bloqueio de contas bancárias, afastamento de servidores de cargos públicos e suspensão de atividades comerciais. As ordens judiciais foram expedidas pelo Núcleo de Inquéritos Policiais da Comarca de Cuiabá.

Equipes da FICCO identificaram que criminosos participavam da gestão de casas noturnas em Cuiabá. Com uso dessa estrutura, o grupo passou a realizar shows de cantores nacionalmente conhecidos, custeados pela facção criminosa em conjunto com um grupo de promoters.

As investigações apuraram que os acusados repassavam ordens para a não contratação de artistas de unidades da Federação com influência de outras organizações criminosas, sob pena de represálias deliberadas pela facção criminosa.

Publicidade

A ORCRIM contava com o apoio de agentes públicos responsáveis pela fiscalização e concessão de licenças para a realização dos shows, que agiam sem observância da legislação de posturas e recebendo, em contrapartida, benefícios financeiros.

Durante as apurações, identificou-se também esquema para a introdução de celulares dentro de presídios; bem como, a transferência de lideranças da facção para estabelecimentos de menor rigor penitenciário, a fim de facilitar a comunicação com o grupo investigado que se encontrava em liberdade.

Dois dos principais alvos da operação acabaram sendo presos pela Polícia Federal neste último sábado (1/6), quando desembarcaram em aeroporto do Rio de Janeiro fazendo uso de documentos falsos e posse de grande quantidade de dinheiro em espécie e joias. Posteriormente, foram recolhidos no sistema penitenciária fluminense e também presos por força dos mandados de prisão da presente investigação.

A FICCO/MT é uma força-tarefa composta pela Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar e tem por objetivo realizar uma atuação conjunta e integrada no combate ao crime organizado no estado do Mato Grosso.

AgoraMT

Publicidade

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Mídia Rural, sua fonte confiável de informações sobre agricultura, pecuária e vida no campo. Aqui, você encontrará notícias, dicas e inovações para otimizar sua produção e preservar o meio ambiente. Conecte-se com o mundo rural e fortaleça sua

Continue Lendo
Publicidade
Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Transporte

Operação Sicários cumpre 16 mandados judiciais contra autores de homicídios em Cuiabá e Várzea Grande

Publicado

em

Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá deflagrou, nesta quinta-feira (13.06), a Operação Sicários para cumprimento de 16 mandados de prisões e buscas e apreensões contra integrantes de facções criminosas envolvidos em homicídios nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande.

Os mandados judiciais são cumpridos na capital, em Várzea Grande e na cidade de Goiânia (GO).

A operação parte de um planejamento adotado pela DHPP na repressão qualificada da força policial no enfrentamento para esclarecer os crimes e chegar às prisões dos autores. O planejamento estratégico teve início com a análise criminal e mapeamento dos inquéritos policiais que reuniam indícios de autoria de crimes praticados a mando de facções criminosas na região metropolitana de Cuiabá.

“Para a continuidade dessas ações, a DHPP tem feito esse planejamento para reprimir crimes violentos, com atuação repressiva qualificada, impactando, diretamente, na prevenção a delitos com as prisões dos executores”, pontuou o titular da unidade especializada, delegado Rodrigo Azem.

Casos apurados

Publicidade

Um dos casos investigados pela DHPP foi o homicídio que vitimou Onyclei de Souza, conhecido como ‘Jhony, Trocado ou Japão’, ocorrido em março de 2023. Conforme a apuração, a vítima era usuária de entorpecentes e de álcool e passou por uma casa de recuperação, na Comunidade Pai André, em Várzea Grande. Japão tinha o costume de frequentar bares e às vezes cometia furtos quando estava embriagado.

Em um dos delitos ocorridos, ele furtou a motocicleta de um traficante do bairro. Contudo, a família da vítima devolveu a motocicleta no dia seguinte, uma vez que Onyclei não furtou com intuito de ficar com o bem e os familiares não queriam problema com o traficante. Entretanto, o traficante determinou a um integrante responsável pela ‘disciplina’ da organização criminosa que a vítima fosse morta e a deixassem em frente à casa de recuperação como exemplo a outros usuários.

Os executores espancaram Onyclei até a morte e depois o jogaram na porta da casa de recuperação. As investigações reuniram elementos probatórios que identificaram os responsáveis pelo homicídio.

Outro homicídio, cuja execução foi determinada por uma facção criminosa, ocorreu há sete anos no bairro Dom Aquino, na capital, contra Jair Rodrigues Pinheiro, de 45 anos. A investigação realizada nos últimos meses chegou a evidências que apontaram os envolvidos na morte de Jair Pinheiro e também no desaparecimento do executor desse homicídio.

Nome da operação

Publicidade

Sicários significa a forma de atuação dos executores, agindo com maldade, crueldade, sendo perversos e com satisfação nas execuções. O nome está ligado ao modo de agir de facções que expõem as execuções de vítimas como forma de intimidar outros membros que atentem contra seus atos normativos.

A operação conta com apoio da Gerência de Operações Especiais da Polícia Civil de Mato Grosso e da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios, da Polícia Civil de Goiás.

Atendimento à imprensa

Os delegados responsáveis pela operação falarão com a imprensa em coletiva às 09h30 desta quinta-feira (13.06), na sede da DHPP (Av. Tenente-coronel Duarte, 1044 – Centro/Cuiabá).

Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT

Colaborou:  Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Publicidade
Continue Lendo

Transporte

Polícia Civil cumpre 35 ordens judiciais para apurar furto de armas de fogo no Fórum de Água Boa

Publicado

em

Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Água Boa, deflagrou, na manhã desta quinta-feira (13.06), a Operação Dólos, para cumprimento de 35 ordens judiciais, que integram o trabalho de investigação do furto de dezenas de armas de fogo de dentro do almoxarifado do Fórum do município.

Na operação são cumpridos 32 mandados de busca e apreensão e um de prisão na cidade de Água Boa e dois mandados de busca e apreensão na cidade de Mauá (SP). A operação conta com a participação de mais de 100 policiais civis do estado de Mato Grosso e com apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e da Polícia Civil do estado de São Paulo.

As investigações conduzidas pelo delegado de Água Boa, Matheus Soares Augusto, apontam que um prestador de serviço do Fórum, que tinha acesso à sala de armas e de objetos apreendidos, subtraiu diversas armas de fogo que ficavam guardadas no local e as revendeu para criminosos e outras pessoas da cidade.

Ainda não foi possível confirmar o número de armas subtraídas, mas a estimativa é que sejam mais de 30. As ordens de busca e apreensão tem como foco a localização das armas, assim como angariar outros elementos que possam auxiliar no avanço das investigações e na identificação das pessoas envolvidas no comércio do armamento.

Publicidade

“Com o cumprimento dos mandados esperamos apreender o maior número de armas possível, colher novos elementos que ajudem a esclarecer os fatos, e identificar outras possíveis pessoas envolvidas no crime”, disse o delegado.

Dólos

O nome faz referência ao ardil, a fraude, o engano, a astúcia, as malícias, as artimanhas utilizadas pelos criminosos para subtração das armas de fogo.

Continue Lendo

Transporte

PM e PRF prendem dupla com tabletes de cocaína escondidos em fundo falso de lancha em Nova Nazaré

Publicado

em

Foto: Assessoria PM

 

Policiais militares apreenderam, nesta terça-feira (11.06), um veículo Corola, uma lancha e cinco tabletes de cocaína, em uma ação integrada com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O flagrante foi feito durante abordagem na MT-326, no município de Nova Nazaré. Dois homens, de 44 e 52 anos, foram presos por tráfico.

As equipes realizavam barreiras a fim de prevenir e combater infrações de trânsito e irregularidades de veículos na região quando receberam a denúncia de que condutor de um Corolla estava transportando entorpecentes.

Após a denúncia, as equipes intensificaram o policiamento e, em certo momento, identificaram o carro com os dois homens. O veículo transportava um reboque com uma lancha.

Publicidade

Questionados quanto à documentação dos veículos, os suspeitos informaram que não possuíam. Em seguida, os agentes realizaram uma busca veicular e identificaram um fundo falso no interior da lancha.

No local, as equipes apreenderam cinco tabletes de pasta base de cocaína escondidas no assoalho da embarcação. A dupla não revelou a origem e destino dos produtos ilícitos. Os suspeitos, o veículo, a lanche e os entorpecentes foram encaminhados à delegacia para registro do boletim de ocorrência e demais providências cabíveis.

Disque-denúncia   

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, sem precisar se identificar, por meio do 190, ou disque-denúncia 0800.065.3939.

Wellyngton Souza | PMMT/AguaBoaNews

Publicidade

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Continue Lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade Enter ad code here

Tendência