Conecte-se Conosco

Agricultura

Vazio sanitário da soja inicia neste domingo para algumas regiões do PR

Publicado

em

FOTO: Gilson Abreu/SGAS

O vazio sanitário da soja não tem mais uma data única para todas as regiões do Paraná como acontecia até a última safra. Com vistas a respeitar os diversos microclimas e períodos mais adequados para o plantio da oleaginosa, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) dividiu o Estado em três sub-regiões com datas diferentes para início do vazio e para a semeadura da soja. Os municípios do Norte, Noroeste, Centro-Oeste e Oeste tem o vazio sanitário iniciado no próximo dia domingo, 02 de junho, e se estende até 31 de agosto. Para esses municípios, o plantio da soja está liberado a partir de 1.º de setembro de 2024 e termina em 30 de dezembro. A Região 2, que compreende a maioria destes municípios, tem o vazio sanitário iniciado mais cedo no Estado, em comparação às Regiões 1 e 2.

Durante o vazio sanitário não é permitido cultivar, manter ou permitir a existência de plantas vivas de soja no campo, com o objetivo de que não se torne hospedeira do fungo Phakopsora pachyrhizi. Devido à severidade do ataque, disseminação, custos de controle e o potencial de redução de produtividade da lavoura, é considerada a principal doença da soja.

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) é a responsável pela fiscalização no território paranaense e tem a missão de responsabilizar e aplicar as penalidades previstas em legislação para os produtores que não fizerem a erradicação das plantas vivas de soja durante o período do vazio sanitário.

Segundo o Chefe do Departamento de Sanidade Vegetal (DESV) da Adapar, Renato Rezende Young Blood, é importante que todos os agricultores adotem esse cuidado em suas propriedades. “A prática do vazio sanitário da soja beneficia o agricultor, que terá essa doença cada vez mais tarde necessitando menos aplicações de fungicidas, além de auxiliar na manutenção da eficácia desses produtos para o controle da ferrugem”, disse.

Publicidade

Ele reforçou que a medida sanitária somente será efetiva com o monitoramento de todos os locais que possam conter plantas vivas de soja e a eliminação imediata caso alguma seja detectada. “Assim, além das lavouras em pousio, os cultivos de inverno, como trigo, aveia e cevada, também devem estar sob vigilância para o efetivo controle de qualquer planta de soja que possa aparecer”, reforçou. “As áreas em beiras de rodovias e estradas de acesso às propriedades devem ser inspecionadas e, se constatadas plantas voluntárias de soja, deve-se proceder a eliminação.”

REGIÕES – A Portaria n.º 1.111, de 13 de maio de 2024, da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa, estabeleceu as normas para o período. Ela foi elaborada com a colaboração de entidades representativas da agropecuária nos Estados.

“Nós fizemos consultas à Federação da Agricultura, ao sistema Ocepar, a cooperativas regionais para que pudéssemos definir as datas que contemplassem de forma satisfatória a maioria dos produtores”, destacou o coordenador da área de Prevenção e Controle de Pragas em Cultivos Agrícolas e Florestais da Adapar, Marcílio Martins Araújo.

Na Região 1, na qual estão os municípios do Sul, Leste, Campos Gerais e Litoral paranaense, não é permitida nenhuma planta de soja no solo entre os dias 21 de junho e 19 de setembro. A semeadura poderá ser feita no período de 20 de setembro de 2024 a 18 de janeiro de 2025.

A Região 2, que compreende a maioria dos municípios, particularmente os localizados no Norte, Noroeste, Centro-Oeste e Oeste, tem o vazio sanitário iniciado mais cedo. Ele começa em 2 de junho e se estende até 31 de agosto. Para esses municípios o plantio da soja está liberado a partir de 1.º de setembro de 2024 e termina em 30 de dezembro.

Publicidade

Por fim, a Região 3, com os municípios do Sudoeste do Estado, tem o vazio sanitário determinado para iniciar em 22 de junho, estendendo-se até 20 de setembro. A data de plantio foi definida entre 21 de setembro e 19 de janeiro de 2025.

“A semeadura até pode ocorrer em data imediatamente anterior, mas a germinação e a presença de plântulas de soja devem respeitar exatamente os períodos de janela definidos na portaria”, salientou Marcílio Araújo.

Com AEN/PR

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

 

Publicidade

Mídia Rural, sua fonte confiável de informações sobre agricultura, pecuária e vida no campo. Aqui, você encontrará notícias, dicas e inovações para otimizar sua produção e preservar o meio ambiente. Conecte-se com o mundo rural e fortaleça sua

Continue Lendo
Publicidade
Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agricultura

São Paulo Oferece Linha de Crédito para Produtores de Laranja Afetados pelo Greening na Expocitros

Publicado

em

Divulgação

Durante a abertura da 49ª Expocitros e da 45ª Semana da Citricultura, realizadas no Centro de Citricultura “Sylvio Moreira”, em Cordeirópolis, o secretário de Agricultura e Abastecimento, Guilherme Piai, anunciou uma importante medida de apoio aos produtores de laranja afetados pelo Greening. Trata-se de uma linha de crédito do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP) destinada aos agricultores que enfrentam essa doença.

Condições Favoráveis para os Produtores

Guilherme Piai destacou as vantagens oferecidas aos citricultores paulistas por meio dessa linha de crédito. Com um montante de até 300 mil reais por produtor, prazo de até 96 meses para pagamento, carência de 36 meses e juros a partir de 3% ao ano, essa iniciativa visa fortalecer e apoiar os agricultores que buscam recuperar seus pomares e até mesmo diversificar suas atividades agrícolas.

Procedimentos para Acesso ao Crédito

Publicidade

Para ter acesso a essa linha de crédito, os produtores precisam procurar a Casa de Agricultura de seus municípios, onde receberão orientações e apoio para a solicitação dos recursos financeiros disponíveis.

Expocitros: Um Evento de Importância Vital

A abertura da Expocitros, considerada a maior feira citrícola da América Latina, marca o início de uma programação intensa, com mais de 30 palestras, proporcionando um ambiente propício para a troca de informações entre especialistas, profissionais e empresas do setor.

O evento reúne os principais players da citricultura nacional, oferecendo visibilidade às marcas do setor e promovendo a exposição de defensivos, fertilizantes, mudas e outros insumos essenciais para o desenvolvimento dessa atividade agrícola.

Importância do Setor Citrícola em São Paulo

Publicidade

O setor citrícola paulista é de extrema relevância, visto que o estado é o maior produtor mundial de laranja, exportando anualmente cerca de US$ 2 bilhões desse fruto. Com uma área de 460 mil hectares e aproximadamente 9.600 propriedades, a citricultura paulista gera cerca de 200 mil empregos.

Segundo dados do Fundecitrus, São Paulo produz anualmente 10,6 milhões de toneladas de laranja e 1,2 milhão de toneladas de limão, consolidando-se como um dos pilares da economia agrícola do país.

Fonte: Portal do Agronegócio

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Publicidade
Continue Lendo

Agricultura

Prefeitura de Água Boa realiza ampliação e revitalização da Feira do Pequeno Produtor

Publicado

em

Foto: Ascom – AB

Iniciaram em junho as obras de revitalização e ampliação do espaço da Feira Livre do Pequeno Produtor, o pavilhão localizado na quadra da Rua 11, no setor Operário.

Neste local funciona a tradicional feira dos domingos, repleta de produtos coloniais, panificação caseira, hortifrutis, praça de alimentação e pequenos comércios.

Além disso, o espaço também recebe eventos sazonais como a Feira Comercial da ACEAB e outras exposições.

A equipe da engenharia municipal observou que a quadra possui 10 mil metros quadrados e o pavilhão ocupa atualmente cerca de 1400 metros quadrados de área coberta.

Publicidade

A ampliação pretende acrescentar mais de 620 metros quadrados, deixando o espaço total coberto com mais de 2022 metros quadrados, para melhorar a disposição dos feirantes e a circulação das pessoas.

A estrutura ainda vai dispor de 06 box fechados com encanamento para pias e bancadas, além de adequação à acessibilidade, sistema de prevenção de incêndios e circuito de para-raios.

A obra pretende também modernizar a fachada do espaço, renovando a estética da estrutura e gerando mais um ponto arquitetônico de referência para a cidade.

Tener Baumgardt – Ascom/AB

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Publicidade
Continue Lendo

Agricultura

Água Boa e região passa a contar com um moderno centro de distribuição de sementes

Publicado

em

Foto: Reprodução/Assessoria

 

Nesta sexta-feira (14), Água Boa e todo o Vale do Araguaia ganharão um moderno centro de distribuição de sementes. A Petrovina Sementes inaugurará seu quarto centro de distribuição no estado.

A estratégia da empresa é levar sementes de alta qualidade (soja, milho, sorgo, algodão, brachiaria) para perto do produtor, diminuindo assim a distância do deslocamento do armazém ao campo.

Com muita tecnologia envolvida e a qualidade Petrovina Sementes, o moderno centro de distribuição contará com Tratamento de Sementes Industrial (TSI). No áudio abaixo, Thiago Souk, gerente de marketing da Petrovina Sementes fala mais sobre a expansão da empresa e os objetivos do novo empreendimento em Água Boa:

Publicidade

A inauguração do Centro de Distribuição de Sementes será nesta sexta-feira (14), às 18h30min, no Km 09 da MT 240, e contará com representantes da empresa, produtores e autoridades local, estadual e nacional.

Serviço:

Inauguração do Centro de Distribuição de Sementes da Petrovina Sementes em Água Boa

Data: 14 de junho de 2024 (sexta-feira)

Publicidade

Horário: às 18h30min

Local: Km 09 da MT 240, sentido PA Jaraguá, à direita da rodovia

 

AguaBoaNews/com informações de Cairo Lustosa

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Publicidade
Continue Lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade Enter ad code here

Tendência