Últimas Notícias do Mídia Rural

Bitrem desgovernado cai em vala no nortão



Uma carreta desgovernada caiu em uma valeta entre a BR-163 e a perimetral em Itaúba, na manhã de hoje (20).

A Polícia Militar confirmou que o veículo foi estacionado em um posto de combustível, no horário de almoço. Trata-se de um  bitrem, branco, que estava carregado.

O caso deverá ser registrado pela Polícia Rodoviária Federal. 

O caminhão desceu desgovernado até cair  dentro da valeta próximo à BR-163. Por sorte, nenhum outro veículo ou pessoa foi atingido.




FONTE NORTAO NOTICIAS

Usina Alcoopan de Poconé dá calote em salários de ex-trabalhadores




As reiteradas transições de administradores judiciais da massa falida da Alcopan – Álcool do Pantanal Ltda, nos últimos seis meses, têm prejudicado sete ex-empregados da empresa, que estão sem receber seus salários e outras verbas. Eles foram demitidos no final do ano passado e até hoje não receberam, em desacordo com o que determina a lei trabalhista. 
A empresa entrou em falência em agosto de 2012, mas ainda não teve o processo concluído, que tramita há mais de 10 anos na 4ª Vara Cível de Várzea Grande, sob o comando atual da juíza Sílvia Renata Anffe Souza.
As mudanças de administradores judiciais começaram em agosto do ano passado, conforme o andamento processual disponível no site do Tribunal de Justiça, quando o advogado Bruno Medeiros Pacheco foi substituído pela Alfajud Administração Judicial Ltda.
Recentemente, houve nova alteração e passou a atuar no processo a Valor Administração Judicial, no lugar da Alfajud.
Indignado, um dos ex-trabalhadores procurou o Ponto na Curva e relatou que a juíza autorizou a liberação do pagamento antecipado em favor da atual administradora, no valor de R$ 60 mil, e não liberou o pagamento dos ex-funcionários. Ele não quis se identificar para evitar retaliações, já que também é credor no processo. 
Disse não entender o real motivo da empresa ter demitido o grupo sob a alegação de redução de custos, uma vez que o honorário pago a Valor Administração Judicial é o triplo do que recebia a Alfajud.
O ex-empregado alegou não concordar com o posicionamento da magistrada em trocar os administradores judiciais da massa, já que a situação implica no atraso do pagamento dos salários dos funcionários, “que nada têm a ver com essa situação e que em sua grande maioria são credores da massa e zelam pelo patrimônio, pois tem esperança de receber o que ainda falta dos seus créditos”.
“Por se tratar de um processo de falência, com recurso em caixa, não acho correto o tratamento que está sendo dispensado aos trabalhadores, que têm seus compromissos para pagar todos os meses e não recebem em dia”, destacou.
Outro fator apresentado pelo ex-empregador é que o não pagamento das verbas rescisórias dentro do prazo legal gera multa, o que implica em mais débitos para a massa falida, prejudicando ainda mais a situação dos credores. 




FONTE POCONET

Soja cai no Brasil, mesmo com demanda



Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea, os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a terça-feira (19.02) com preços médios da soja caindo 0,35% nos preços de exportação, para R$ 77,35/saca sobre rodas e de 0,44% no interior, para R$ 72,57/saca. Com isto, os ganhos de fevereiro foram reduzidos para 0,35% nos portos e 0,44% no interior.



De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, as quedas de 0,45% no dólar e de 0,77% em Chicago suplantaram a pequena elevação de cinco cents/bushel nos prêmios nos portos brasileiros nesta terça-feira. “Apesar da indefinição da situação entre Estados Unidos e China (ou, talvez, por causa disto), os chineses continuam interessados em soja brasileira. Nesta terça-feira os prêmios nos portos do país estiveram firmes, indicando esta demanda”, explica o analista da T&F Luiz Fernando Pacheco.
O último fim de semana foi recheado de chuvas dispersas por 65% da área sojicultora do Brasil, aponta a Consultoria AgResource: “Os totais mais expressivos foram observados sobre o sul de Minas Gerais, leste e oeste do Mato Grosso e leste de Goiás. Os índices pluviométricos giraram em torno dos 10-90mm acumulados no período. Já na Argentina e Paraguai, o cenário foi de seca e temperaturas elevadas”. 
“Até então, não há prejuízos com as estiagens, entretanto a mudança do padrão é necessária nos próximos dias. As previsões entre 19 e 24 de fevereiro trazem a permanência das chuvas sobre o Centro-Norte do Brasil, se estendendo sobre todo o MATOPIBA. Além do mais, a volta das precipitações se mostra iminentes sobre o leste da província de Buenos Aires, nas próximas 48horas. O padrão ainda não se amplia sobre o Norte do país, que deve permanecer sob seca”, concluem os analistas da ARC Mercosul.




FONTE AGROLINK

Mercado do boi gordo travado





A demanda, que patinou durante a primeira quinzena, continua fraca. Por outro lado, a oferta de boiadas não está grande o suficiente para que haja uma pressão de baixa generalizada. 

Dessa forma, em algumas praças, onde a disponibilidade de boiadas está suficiente para atender a demanda, as indústrias conseguem pressionar o mercado e ofertam preços abaixo da referência. É o caso do Sul da Bahia e de Tocantins, por exemplo. 

Entretanto, há regiões onde o cenário é o oposto. Em Paragominas-PA, por exemplo, mesmo com a demanda deixando a desejar, a oferta de boiadas está tão reduzida que faz com que os frigoríficos ofertem preços maiores pela arroba. 

Na região, o boi gordo ficou cotado em R$138,00/@, à vista, livre de Funrural na última segunda-feira (18/2). Alta de 2,2% na comparação com o fechamento da semana anterior. 

Na média de todas as praças pesquisadas, a cotação do boi gordo caiu 0,04% desde o início do mês.

Com a oferta de boiadas limitada e o consumo fraco (o que tende a se intensificar na segunda quinzena do mês) o mercado do boi deverá seguir com os preços travados.







FONTE SCOT CONSULTORIA

Controle de Lagarta na Safrinha: Qual inseticida utilizar?




Em plena segunda safra de milho na região Centro/Sul brasileira, uma das maiores preocupações é com o controle de lagartas – principalmente a lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda), que provoca perdas superiores aos 40% na produção. Nessa segunda matéria da Série, o Agrolink perguntou a Ivênio Rubens de Oliveira, pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo: Qual inseticida utilizar?  
“Hoje são várias marcas comerciais disponíveis no mercado para o controle da lagarta-do-cartucho, de diferentes princípios ativos e consequentemente de diferentes mecanismos de ação. Mas uma vez torna-se importante o posicionamento dos produtos, de acordo com o momento atual em que as plantas e as pragas estejam”, explica.
De acordo com o especialista, estrategicamente é mais interessante que o controle seja realizado enquanto as lagartas são ainda pequenas (<1,5 cm): “Isso favorece a ação do inseticida e evita que danos sérios ocorram nas plantas. Neste caso, é possível optar-se pelo uso de um inseticida regulador de crescimento”. 
“Mas, se as lagartas já forem maiores (>1,5 cm), corre-se o risco de que estes inseticidas não atuem a tempo de evitar prejuízos. Neste caso, passam a ganhar importância os neurotóxicos, que agem no sistema nervoso dos insetos, matando-os em pouco tempo”, ressalta o pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo.
Segundo Oliveira, outro critério está na classe toxicológica e na classe ambiental de cada produto: “Existe uma escala que varia de I a IV, sendo I a mais tóxica aos seres humanos e a mais danosa ao meio ambiente, e  IV, o oposto disto. Sempre que possível, devemos atender estes critérios para escolher os produtos”.
“Isso nos leva também a uma abordagem sobre a seletividade de inseticidas. O que isso quer dizer? Seletividade de um inseticida é a propriedade que cada produto tem de controlar a praga, com menor impacto sobre os outros organismos presentes. É claro que os inseticidas biológicos são os mais seletivos, mas os reguladores de crescimento e até mesmo alguns neurotóxicos, como as Diaminas, também cumprem bem esse papel”, conclui.
Amanhã: Quais são os principais pontos negativos ao se usar inseticidas químicos? 



FONTE AGROLINK

Deputado de Mato Grosso chega à Câmara de Fiat Uno Mille





O deputado Nelson Barbudo  (PSL-MT) tem ido à Câmara em um Fiat Uno Mille.
Barbudo condena pagar R$ 8 mil para alugar um carro como mensalista e disse que levou para Brasília seu "fiel escudeiro" de MT. "Ele é simples,  mas aguentou rodar o estado todo na minha campanha", disse.
Resta saber se o deputado, com isso, quer dar exemplo ou embarcar no velho populismo.Tomara que seja a primeira opção!
Fonte: Repórter MT

Milho em alta com mercado especulado





A pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) apontou nesta segunda-feira (18.02) uma alta de 0,43% nos preços médios da região de Campinas-SP, elevando o preço para R$ 40,16 e os ganhos do mês para 4,50%. De acordo com a XP Agro, que acompanha de perto o mercado paulista, essa é mais uma semana começa com o mercado físico paulista “especulado”. 



Nesta segunda, a amostra da XP Investimentos avançou ao maior nível dos últimos cinco meses (R$ 40,88/sc) e o ponto chave ainda é a “regionalização dos lotes”. Por hora, nem mesmo o início da colheita de milho tem sido suficiente para acalmar os ânimos altistas, visto que este milho (tributado) dificilmente chega as praças paulistas (fretes caros). 
A T&F Consultoria Agroeconômica indica que vazio de milho “de fora” permite que intermediários e silos subam suas pedidas pelos estoques e realizem seus lucros. O elevado nível das referências, todavia, começa a chamar atenção de empresas para possíveis ‘washout’s’ ou importações de países vizinhos. 
Diante disto, Indústrias e Granjas só recompõem os estoques, sem inspirações maiores. Os ‘lineup’s’ de fevereiro, inclusive, indicam apenas 1,05 MT de milho, enquanto para soja são 7,77 MT. As indicações de porto para fev/19 e mar/19 estão estáveis em R$ 38,50/sc e R$ 39,5, respectivamente. 
“Chamamos atenção para o descasamento entre o contrato de set/19 na B3 e nos portos. Enquanto o primeiro é comercializado próximo a R$ 35,50/sc, a paridade calculada para o segundo oscila em R$ 38,00/sc”, conclui o analista da T&F, Luiz Fernando Pacheco.





FONTE AGROLINK

Prefeitura recorre ao Governo do estado para resolver situação da MT 220




O prefeito de Porto dos Gaúchos, Baixinho Piovesan e o Secretário Eder Rafael Boldrin, entraram em contato o último final de semana com o governo do estado pedindo a ajuda para sanar o problema da MT-220. Segundo o gestor, a rodovia está passando por grandes problemas devido as fortes chuvas que atingiram a região.

Várias estradas do município sofreram avarias, e isso trouxe bastante serviço para a equipe da Secretaria Municipal de infraestrutura, que vem trabalhando incessantemente para concertar todos os pontos críticos.


Em resposta, o secretário Estadual da SINFRA Marcelo Oliveira, colocou a disposição uma equipe que estará se deslocando para o local no início da semana. Serão encaminhados 3 caminhões traçados e uma PC, em contrapartida a Prefeitura de Porto dos Gaúchos entrara com uma patrola e mais um caminhão.


Os trabalhos na MT-220 deverão ser realizados durante 30 dias concertando assim o ponto do atoleiro e também será feito cascalhento em outros trechos críticos.






FONTE NORTAO NOTICIAS

Rio transborda e motoristas enfrentam dificuldades em trafegar em BR em MT




As fortes chuvas que atingiram a região noroeste do estado de Mato Grosso nos últimos dias resultaram em vários transtornos para os motoristas que trafegam pela BR-174 e estradas rurais dos municípios da região.

Devido a grande quantidade de água as estradas ficaram todas alagadas, devido aos rios e córregos terem transbordados.






FONTE NORTAO NOTICIAS

Lei federal que beneficia "barões" faz MT perder R$ 6 bi por ano



O secretário de Fazenda de Mato Grosso, Rogério Gallo, disse nesta segunda-feira (18) que é preciso taxar o agronegócio, já que o setor é responsável por 70% do PIB (Produto Interno Bruto) do estado e não recolhe Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), por ser beneficiado com a isenção para a exportação de produtos primários. Gallo foi entrevistado na estreia no quadro Papo das 6h do Bom Dia Mato Grosso.

Segundo Gallo, 70% de tudo que é produzido em Mato Grosso é proveniente do agronegócio, da produção de grãos e de carne, e 70% dessa produção é exportada e, por isso, não recolhe o ICMS, com base na Lei Kandir, criada na década de 90 pelo governo federal, com a finalidade de incentivar as exportações . "Mato Grosso contribui muito com a União e não é ressarcido. A crise se agravou porque em dezembro não recebemos o repasse do Fundo de Auxílio da Exportação (FEX) da União, de quase R$ 400 milhões", reclamou.

Ele avaliou que a situação deve melhorar com a decretação do estado de calamidade financeira, em meados de janeiro, pelo governador Mauro Mendes (DEM), e afirmou que o estado tem cobrado do governo federal mudanças na legislação para aliviar as finanças. Mato Grosso deixa de arrecadar cerca de R$ 6 bilhões em ICMS devido às exportações.

Uma das maiores dificuldades do governo é o pagamento da folha de servidores em dia. Para o secretário, o problema se deve ao crescimento desordenado das despesas com pessoal.

Ele afirmou que as despesas com pessoal cresceram 76%, enquanto as receitas do estado cresceram 40%, nos últimos quatro anos. "Que empresa no setor privado dá certo quando aumenta as despesas permanentes? Houve um descolamento. Saltamos de R$ 4 bilhões da folha em 2014 para uma folha de quase R$ 10 bilhões do Executivo nesse último ano", explicou.

Gallo afirmou que foram aprovadas inúmeras leis de carreira sem considerar a capacidade que o estado tinha de fazer o pagamento. "Em 2009, o que se gastava com folha de pagamento era o mesmo que se gastava com o custeio da máquina pública, que compra remédios, que adquire combustível, que faz o Procon funcionar. Então, o que ocorreu foi o descolamento. Hoje o que se gasta com pessoal é quatro vezes mais do que se gasta com custeio", disse.

Se gasta quatro vezes mais com pessoal do que com custeio, segundo ele.


Fonte: G1

Caminhoneira da ADM Brasil em Diamantino é demitida por denunciar falta de condições sanitárias nas instalações da empresa


A caminhoneira Dorinha Alves, em vídeo gravado no início deste mês, denunciou a empresa ADM Brasil, com sede em Diamantino (MT), pelas precárias decadentes e instalações da empresa oferecidas à categoria com caminhão parado no pátio para carregamento.

A resposta foi imediata. Dorinha foi dispensada de prestar serviço para a empresa, além de ser impedida de receber carregamento em qualquer parte do país.

De acordo com Dorinha, o banheiro colocado à disposição do caminhoneiro pela ADM Brasil é podre, sem as menores condições sanitárias. O mesmo, segundo ela, ocorre com a água disponível nos bebedouro.

“Mulher e filhos de caminhoneiros são seres humanos. Não tem que ficar debaixo de chuva como bicho ou tomar banho banheiro podre”.



FONTE O DIVISOR

Filho de produtor rural é preso por apresentar autorização para desmatamento falsa




Os fiscais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), em parceria com o Batalhão da Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA) e Forca Tática de Mato Grosso, atuaram no flagrante do desmatamento de uma área de floresta amazônica em União do Sul (719 km ao Norte de Cuiabá). O proprietário da área foi autuado em R$ 250 mil pelo desmate ilegal de 256 hectares. Já o filho do produtor apresentou uma autorização de desmatamento falsa e foi conduzido para Polícia Judiciária Civil de Marcelândia, onde foi preso por falsificar documento público e liberado no dia seguinte após o pagamento da fiança de R$ 80 mil.

"Todas as propriedades inclusas na programação de fiscalização são previamente estudadas e consultadas quanto a existência ou não de autorização de desmatamento na base de dados da Sema, não sendo observado para a área em questão a existência de tal documento", esclareceu o superintendente de Fiscalização da Sema, Bruno Saturnino. O filho do proprietário também foi autuado em R$ 725 mil por apresentar documento falso.

A partir de monitoramento de imagens por satélite, a Coordenadoria de Fiscalização de Flora da Sema visualizou o desmatamento em andamento na Fazenda Esperança II no município de União do Sul e agiu para cessar a infração. Além dos autos de infração aplicados, a Sema também apreendeu o maquinário, avaliado em R$ 500 mil, e encaminhou os dois tratores retirados do local para a prefeitura de União do Sul. A operação foi realizada entre os dias 12 e 13 de fevereiro.

De acordo com os fiscais da Sema, a atuação do órgão ambiental em tempo real evitou o desmatamento ilegal de uma área de floresta amazônica de 1.194,56 ha ou 11.945,600 m², o equivalente a 1.194 campo de futebol.

Da Assessoria

Engenheiro é morto por produtor rural em Sinop


Silas Henrique Palmieri Maia, foi morto nesta segunda-feira (18), com um tiro na cabeça em uma propriedade rural em Sinop. Segundo informações, a vítima que é engenheiro agrônomo de uma empresa de suprimentos agrícolas,teria se deslocado até a região da Gleba Mercedes para cobrar conta referente a uma safra 2018/2019.

Informações repassadas à polícia dão conta que a vítima e o suspeito teriam entrado em discussão momento que o produtor rural sacou uma arma e atirou contra o engenheiro.


Silas chegou a ser socorrido, mas veio a óbito a caminho do Hospital Regional de Sinop. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil.







FONTE NORTAO NOTICIAS

Criminosos armados roubam carreta carregada com soja em Sinop




O crime ocorreu, ontem, próximo a Baixada Morena, na BR-163. O motorista disse aos policiais que estava trafegando com uma Scania, vermelha, quando o veículo começou a perder força, então ao encostar foi surpreendido por criminosos armados que o dominaram junto com sua família que estava na cabine. Os ladrões levaram o caminhão carregado com 51 toneladas de soja avaliada em R$ 68,6 mil.
O motorista disse que os criminosos falavam o tempo todo para não olhar para o rosto deles. A família foi vendada, colocada em um carro e deixada em uma região de mata, próximo a antiga estrada de Cláudia.
O denunciante disse ainda que o rastreador do veículo está sem sinal. Não consta no documento policial se alguém chegou a ser agredido.
Na última semana, conforme Só Notícias já informou, a cerca de 45 quilômetros do centro da cidade, sentido Itaúba, em uma área de estacionamento uma Scania azul 113H, também foi roubado. O carreteiro que- prefere não ser identificado- informou, ao Só Notícias, que parou para comprar cigarro e, quando estava subindo na cabine, um ladrão o abordou e entrou junto. “Ele me ofereceu R$ 2 mil para levar o caminhão em algum lugar. Disse que me deixaria amarrado e depois eu chamava a polícia como não aceitei ofereceu R$ 3 mil. Eles queriam a carga. Tentou me convencer de todo o jeito”, disse. A carreta estava carregada com 40 toneladas de soja, avaliada em R$ 40 mil e já foi localizada.

Redação Só Notícias


Atoleiros deixam 30 carretas paradas na MT-220 entre Porto dos Gaúchos e trevo de Tabaporã




Um ponto da rodovia MT-220, próximo a ponte do Rio Batelão entre Porto dos Gaúchos e o trevo de Tabaporã, apresenta atoleiro.

Motoristas relatam em grupos nas redes sociais a dificuldade em trafegar pelo local.

Conforme informações colhidas pela reportagem, neste sábado (16 de fevereiro/2019), cerca de 30 carretas estavam paradas nos dois lados do atoleiro, o que tornava o trecho interditado.

A região é forte produtora de grãos, e as péssimas condições da estrada tem dificultado o escoamento da safra.

A reivindicação para que a MT-220 seja totalmente pavimentada é antiga. No governo passado, a obra de pavimentação da MT-220 avançou, porém não chegou a ser concluída, faltando os 65-km entre o trevo de Tabaporã e o trevo de Novo Paraná em Porto dos Gaúchos para sua conclusão total.


Fonte: porto noticias

Funcionário morre eletrocutado em fazenda em MT




Wanderson Francisco de Campos Reis, de 23 anos morreu após sofrer uma descarga elétrica na Fazenda Sete Lagoas, em Diamantino (km de Cuiabá). As informações são de que a vítima é funcionário de uma empresa produção de commodities agrícolas.

O acidente ocorreu na manhã de quinta-feira (14).

De acordo com informações, o jovem operava uma máquina agrícola quando a barra enroscou na rede de alta tensão. Testemunhas relataram que a descarga elétrica chegou a estourar os pneus, mas que o jovem não teria sido atingido, quando tentou descer do veículo recebeu o choque.

O Corpo de Bombeiros fizeram o atendimento e constataram o óbito ainda no local.

Wanderson é funcionário da empresa “O Telhar agro”, que emitiu nota lamentando a morte do colaborador.

“É com profunda tristeza que informamos o falecimento do colaborador Wanderson Francisco de Campos Reis, operador na Fazenda Sete lagoas na manhã de hoje 14/2, em Diamantino-MT. As primeiras informações são de choque elétrico em energia de alta tensão. A O Telhar estará dando todo suporte necessário e tratativas. Em nome de todos os colaboradores, desejamos a família os mais sinceros sentimentos e pedimos a todos que estejam orando para que a família seja confortada e consoladada empresa.” 


Fonte: folha max

Polícia investiga prática de crimes fiscais envolvendo o comércio de grãos em MT



Uma possível fraude de sonegação de impostos, envolvendo o comércio de grãos com emissão de notas fiscais frias, é investigada pela Polícia Judiciária Civil, na cidade de Sapezal (480 km a Noroeste). Nesta sexta-feira (15), cargas de três caminhões carregados com milho foram apreendidas, após os policiais flagrarem a troca das notas fiscais, na saída da cidade.

A suspeita começou a ser apurada depois de denúncia sobre possível fraude praticada por uma empresa corretora e distribuidora de cereais, supostamente de fachada ou "laranja", que foi constituída para fraudar a compra de grãos de produtores rurais da região. 

"A ação da empresa corretora de grãos, nesse formato,  reforça suspeitas de prática de crimes fiscais, visando fraudar a fiscalização tributária", disse o delegado Valmon Pereira Silva.

Foi apurado que corretora e distribuidora de cereais comprou grãos de uma fazenda produtora da região, que emitiu nota fiscais no dia 15 de fevereiro, mas quando abordados os motoristas apresentaram nota fiscal do dia 14 de fevereiro, um dia antes de terem carregado o caminhão.

As notas fiscais da fazenda tinham como destino a corretora localizada em Sapezal, no entanto, nos documentos apresentados aos policiais o produto era destinado aos estados de Rondônia e Amazonas.

Em checagem ao endereço da sede da empresa distribuidora, localizada no município de Sapezal, os policiais encontraram apenas um barracão abandonado, sem nenhum vestígio de ter sediado a empresa cerealista naquele local.

Os três caminhões que saíram carregados de milho da fazenda foram emplacados no estado de Rondônia, local de emissão das notas fiscais das cargas destinada ao endereço da corretora inexistente, “fantasma“ ou de fachada.

Na apuração, os caminhões foram monitorados pelos investigadores desde a saída da propriedade rural. Os policiais observaram que na saída de Sapezal para Campos de Júlio, os caminhões pararam em um ponto da estrada e um veículo Uno prata se aproximou. Após alguns minutos de conversa, um homem que dirigia o Uno entregou as notas fiscais para os três motoristas dos caminhões

A ação foi filmada pelos investigadores, que logo em seguida realizaram a abordagem dos caminhões. Os três motoristas foram encaminhados à Delegacia de Sapezal, que manteve contato com a Delegacia Fazendária, em Cuiabá, e foi orientada a proceder com a apreensão da carga e efetuar depósito à empresa originária, além da apreensão das notas e outras documentações para prosseguimento das investigações de possível fraude tributária contra o Estado de Mato Grosso.

A Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) também será oficializada.

Da Assessoria



Quadrilha mantém reféns em fazenda por 16 horas e leva 150 cabeças de gado



Uma família moradora da zona rural de Campo Verde (137 km de Cuiabá) foi mantida como refém por 16 horas na última quarta-feira (13) dentro de uma fazenda que arrendam. As vítimas tiveram todos seus pertences roubados e só puderam registrar o caso na sexta-feira (15). Segundo os relatos, 150 cabeças de gado e até os rolos de arame para fazer cercas foram levados.
Conforme o boletim de ocorrência registrado pelo marido da arrendatária da fazenda – ele de 40 anos e ela de 38 -, eles estavam no local por volta das 6h da manhã quando foram surpreendidos por, mais ou menos, 10 pessoas fortemente armadas.



A família e funcionários foram mantidos em presos, do momento em que os bandidos chegaram até as 22h. Eles foram amarrados com lacres de plástico.
Durante esse período, tudo que pôde ser carregado, foi roubado: ferramentas, gerador de energia, compressor de ar, sementes, baterias, botijões de gás, motosserras, botas, roupas, 57 rolos de arame, além das, aproximadamente, 150 cabeças de gado. A caminhonete da família também foi levada, uma Hilux cabine dupla de cor preta ano 2014.
Apesar das horas amarrados, ninguém ficou ferido.
Até o registro da ocorrência, ainda não havia nenhum suspeito do crime e nada do que foi roubado havia sido recuperado. O caso foi registrado como roubo e será investigado pela Polícia Judiciária Civil.



fonte O LIVRE


Mauro é vaiado por produtores rurais em evento com vice de Bolsonaro


O governador Mauro Mendes (DEM) foi vaiado por produtores rurais na manhã desta sexta-feira (15) durante o evento de Abertura de Plantio de Milho 2019 na cidade de Sorriso (420 km de Cuiabá) que contou com a presença do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão.
As vaias foram por conta da lei do novo Fethab, que aumenta a taxação sobre produtos agrícolas primários (entenda). A cobrança de imposto incomodou os empresários do agronegócio, que financiaram boa parte da campanha vitoriosa de Mendes ao Governo do Estado.
Mas apesar das vaias no início do discurso, o governador conseguiu contornar a situação. Disse aos produtores que de fato as medidas são amargas, mas necessárias para o Estado voltar a crescer economicamente.
“Eu não quero ser aplaudido no início. Eu quero entregar um estado melhor, mais organizado para todos os Mato-grossenses”, disse ao ser ovacionado pelos produtores no final da fala.




fonte reporter mt

Filha do Rei do Algodão tem apartamento arrombado e bens apreendidos; Porsche sumiu




Busca e apreensão estão sendo realizadas no apartamento de Marisa Pupim, filha de José Pupim, um dos barões do algodão em Mato Grosso. Um oficial de Justiça, acompanhado de um advogado, está no local para cumprir ordem judicial e alguns pertences deverão levados em um caminhão.


O motivo seriam dívidas que totalizam cerca de R$ 2,5 milhões contraídas há mais de três anos na compra de insumos agrícolas a preços astronômicos.


Segundo informações de uma fonte do , a parte lesada revelou que teria comprado à vista a carga de insumos e nunca recebeu. 
Apesar do valor da dívida o Oficial de Justiça catalogou para apreender bolsas, óculos e sapatos importados, uma certa quantidade em ouro e prata, além de ar condicionado, mesa, sofás entre outros.
Mais informações instantes




fonte reporter mt


 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br