Últimas Notícias do Mídia Rural

EMPRESÁRIO CELSO ROCHETTO E PILOTO SOFRE ACIDENTE DE AVIÃO EM QUERÊNCIA MT



  • EMPRESÁRIO CELSO ROCHETTO E PILOTO  SOFRE ACIDENTE DE AVIÃO EM QUERÊNCIA MT
AVIÃO DO EMPRESÁRIO CELSO ROCHETTO CAI NA FAZENDA CANAÃ,O PILOTO DRAUSIO CAPOBIANCO DE 41 ANOS ESTAVA INICIANDO UM VÔO QUANDO HOUVE UMA PANE E O AVIÃO CAIU SOBRE UMA PLANTAÇÃO DE MILHO ,NO FIM DA PISTA DE DECOLAGEM.
O EMPRESÁRIO TEVE ESCORIAÇÕES LEVES E O PILOTO FERIMENTOS UM POUCO MAIS GRAVES,MAS O ESTADO DELE QUE FOI PASSADO POR ENQUANTO É ESTÁVEL E AGUARDA TRANSFERÊNCIA PARA OUTRA UNIDADE DE SAÚDE,ESTÃO AGUARDANDO OUTRO AVIÃO UTI  DA CAPITAL PAULISTA PARA FAZER ESTA TRANSFERÊNCIA   ...AGUARDANDO MAIS INFORMAÇOES
Fonte(s): TV QUERÊNCIA CANAL 12 RECORD TV

“Aprosoja faz comparativos esdrúxulos” sobre repasses feitos pelo Estado, acusa Janaína Riva


A presidente em exercício da Assembleia Legislativa de Mato Grosso,  deputada estadual Janaína Riva (MDB), se manifestou nesta quarta-feira (15)  contra as recentes declarações feitas por representantes da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Estado) criticando os gastos dos palramentares.
“No último final de semana circulou pelas mídias sociais informações assinadas pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) que fazem comparativos esdrúxulos entre valores recebidos por esta Assembleia Legislativa e a Secretaria de Educação e, em outro, pelo Tribunal de Justiça e a Secretaria de Saúde do Estado de Mato Grosso”, conforme o primeiro parágrafo da nota.
Desde a aprovação do novo modelo do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) – aprovado pela Assembleia e sancionado pelo governador Mauro Mendes – o Fundo trouxe alterações ao encargo estadual – que já era cobrado – entre elas, a inclusão do milho no rol dos produtos taxados.
Desde então, o setor produtivo, representado pela Aprosoja – entidade que congrega também os produtores de milho no Estado – passou a tecer críticas sobre o aumento da carga tributária e enfatizando que o setor deve sim colaborar para o Estado, mas que essa colaboração deve estar voltada para setores que afetam diretamente a produção, como a infraestrutura. A ‘bronca’ do setor tem origem no governo de Pedro Taques, quando os recursos gerados pelo Fethab passaram a ter sua finalidade alterada, servindo até mesmo para pagar folha salarial dos servidores.
Sem apoio dos deputados e sem recuo por parte do governo Mauro Mendes, os produtores engrossaram o tom das criticas, indo mais longe agora, questionando a maneira como os repasses são feitos, principalmente para entes públicos como a Assembleia, Tribunal de Justiça e os recursos enviados para saúde e educação.
Exatamente hoje, os ruralistas de Mato Grosso lançaram o ‘Movimento Mato Grosso Forte’ que reuniu na abertura do evento mais de 1.200 produtores rurais no Cenarium Rural, em Cuiabá, e segue durante todo o dia.

Promovido pela Aprosoja MT, o ‘Movimento Mato Grosso Forte’ tem o objetivo de alertar à população sobre os impactos que a taxação das cadeias produtivas causa a toda a sociedade e cobrar do poder público mais eficiência e transparência na aplicação dos recursos públicos.
A presidente da Assembleia Legislativa, a deputada Janaína Riva, faz questão de apontar o que chamou de “erros crassos” nas criticas feitas pelos ruralistas. Como explica por meio da nota, “para que fique claro, constitucionalmente o Estado deve aplicar pelo menos 25% de seu orçamento em Educação e 12% em Saúde. Assim, na previsão para 2019, a Educação teve um orçamento previsto na ordem de R$ 3.220.851.999,00 e a Saúde, R$ 2.098.594.130,00. Em dados apurados do FIPLAN (sistema de controle financeiro do Estado de Mato Grosso), coletados às 19h30 do dia 14/05/2019, consta o repasse em abril para a Secretaria de Educação o total de R$ 233.095.012,71 (cerca de 8 vezes mais que os R$ 29.997.328,00 do anúncio do Aprosoja) e para a Secretaria de Saúde R$ 149.378.358,25 (mais que o dobro dos R$ 73.860.480,00 do outro anúncio). Uma vez que não acreditamos que uma entidade respeitável como a Aprosoja se prestaria a um trabalho de criar notícias falsas manipulando números, é certo que houve um enorme equívoco por desconhecimento do funcionamento do Estado e das obrigações constitucionais, bem como uma leitura pela metade do que o Estado tem publicado mensalmente em suas mídias, em sua prestação de contas”.
Veja na íntegra a nota emitida hoje pela assessoria de imprensa da Presidência da Assembleia Legislativa:
NOTA DE ESCLARECIMENTO
No último final de semana circulou pelas mídias sociais informações assinadas pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso – APROSOJA que fazem comparativos esdrúxulos entre valores recebidos por esta Assembleia Legislativa e a Secretaria de Educação e, em outro, pelo Tribunal de Justiça e a Secretaria de Saúde do Estado de Mato Grosso.
Temos como medida que norteia os trabalhos desta Casa legislativa o primor pela democracia e pelo bom debate. A cobrança de resultados e a permanente vigilância no que diz respeito aos trabalhos não apenas do Executivo, mas de tudo o que diz respeito ao mundo público, é fundamental para que haja clareza do trato coma coisa pública e também com aquilo que foi pactuado entre os eleitos e a população, quando das eleições.
No entanto, as postagens assinadas pela APROSOJA ficaram marcadas por erro crasso no que diz respeito a valores repassados. Confundiram-se nos números e fizeram o alarde comparando o orçamento total do mês dos dois poderes com a verba de custeio de duas secretarias. Em outras palavras, o valor demonstrado como repassado às secretarias não constam folhas de pagamento e, tampouco, os pagamentos previdenciários.
Para que fique claro, constitucionalmente o Estado deve aplicar pelo menos 25% de seu orçamento em Educação e 12% em Saúde. Assim, na previsão para 2019, a Educação teve um orçamento previsto na ordem de R$ 3.220.851.999,00 e a Saúde, R$2.098.594.130,00. Em dados apurados do FIPLAN (sistema de controle financeiro do Estado de Mato Grosso), coletados às 19:30h do dia 14/05/2019, consta o repasse em Abril para a Secretaria de Educação o total de R$233.095.012,71 (cerca de 8 vezes mais que os R$29.997.328,00 do anúncio do APROSOJA) e para a Secretaria de Saúde R$149.378.358,25 (mais que o dobro dos R$ 73.860.480,00 do outro anúncio). Uma vez que não acreditamos que uma entidade respeitável como a APROSOJA se prestaria a um trabalho de criar notícias falsas manipulando números, é certo que houve um enorme equívoco por desconhecimento do funcionamento do Estado e das obrigações constitucionais, bem como uma leitura pela metade do que o Governo tem publicado mensalmente em suas mídias, em sua prestação de contas.
Embora sejam os Poderes Legislativo e Judiciário indispensáveis para a estrutura do Estado, estamos tão acostumados com eles que, por vezes, nos esquecemos de sua importância e é necessário que se rememore periodicamente. O Poder Legislativo tem a missão de promover a representação da população e a fiscalização do Poder Executivo. Estado sem Legislativo é a caracterização da ditadura. Quando a democracia é derrotada em algum Estado, a primeira medida é a de fechar o Legislativo e, assim, calar o povo. O Judiciário é o órgão que promove a pacificação social, é a quem entregamos as razões de nossas causas, é o Poder que tem o condão de, sempre que há um distúrbio na sociedade, promover a análise à luz da lei e informar quem tem o que chamamos de “direito”.
Quando se busca macular esses Poderes com informações pela metade, visando uma condução maliciosa da opinião da sociedade, está se promovendo muito mais que a disseminação de inverdades. Essa medida é um ataque à própria estrutura democrática do Estado, tendo como resultado apenas desgastes e perdas aos envolvidos, dificultando as relações institucionais. A premissa básica para qualquer relacionamento é o respeito mútuo.
Cuiabá, 15 de maio de 2019

FONTE CUIABANO NEWS
Assembleia Legislativa de Mato Grosso

Minerva aposta em vendas para China e Indonésia




Em teleconferência com investidores nesta quarta-feira, 15, executivos da Minerva Foods falaram da expectativa da empresa em acessar novos mercados. “Temos expectativa de abertura de mercados importantes a serem divulgados em maio”, disse o diretor financeiro, Edison Ticle. “Esperamos acesso à Indonésia e também a autorização de novas plantas para a China”, disse.
Essa possibilidade fez com que a empresa segurasse o capex no primeiro trimestre, já que as eventuais plantas autorizadas a exportar para a China exigiriam capital, de acordo com Ticle. O diretor presidente da companhia, Fernando Galletti de Queiroz, foi na mesma linha: “Esperamos abertura de fábricas no Brasil para a China, além de novos mercados potenciais, como a Indonésia, que acreditamos que deve estar aberto num período curto.”
Ele disse aguardar boas notícias com a viagem da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, à Ásia – além do Japão, a viagem oficial compreende a China, o Vietnã e a Indonésia. A China, de acordo com Queiroz, é o principal mercado para a Athena Foods, subsidiária da Minerva, mesmo após a Argentina obter autorização para exportar aos Estados Unidos.
Ticle reiterou que a prioridade para a Athena ainda é o IPO, apesar da postergação, e que não há plano B. Em relação aos resultados da subsidiária, ele afirmou que o menor volume de abates se deveu às chuvas no Paraguai e na Argentina, e que os estoques e os abates devem se normalizar nos segundo e terceiro trimestres.
Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO

Exportações do agro somam US$ 30,42 bi em quatro meses


De acordo com os dados divulgados nesta quarta feira, 15 de maio, a oscilação positiva de US$ 30,42 bilhões deste quadrimestre em relação aos US$ 30,35 bilhões exportados nos primeiros quatro meses do ano passado ocorreu função da elevação do índice de quantum das exportações, que subiu 5,9%, enquanto o índice de preço cedeu 5,4%.
O Banco Mundial ainda apontou que os preços das commodities agropecuárias subiram 0,82% neste ano, entre dezembro e abril. A soja em grão que tem peso de 4% no índice do banco e que representou 31,2% do valor total exportado em produtos do agronegócio nesses quatro primeiros meses do ano teve a cotação no mercado mundial em queda de US$ 380,53 por tonelada para US$ 360,34, no período.
Por outro lado, houve queda das importações: de US$ 4,91 bilhões, entre janeiro e abril, para US$ 4,79 bilhões (-2,5%). No índice de preço dos produtos importados também houve queda, de 1,8%, e de 0,7%, no índice de quantum das importações. O trigo, que é o principal produto importado pelo Brasil, teve queda na cotação internacional.
Soja representa 37,9%
Os cinco principais setores exportadores do país foram responsáveis por 79,8% do valor total exportado em produtos do agro no quadrimestre. No mesmo período do ano passado, esses setores responderam por 77,2% do valor total exportado.
Aqui os números de cada setor: complexo soja (37,9%); produtos florestais (15,8%); carnes (15,3%); café (5,7%); cereais, farinhas e preparações (5,1%). O complexo sucroalcooleiro deixou o rol dos cinco principais setores exportadores neste ano.
Complexo soja continua sendo o principal segmento das exportações. As vendas externas desses produtos foram de US$ 11,52 bilhões, em queda de 0,6% em relação aos US$ 11,59 bilhões exportados no mesmo período de 2018.
As exportações de soja em grãos foram recordes, com US$ 9,50 bilhões (+2,9%), e elevação da quantidade exportada de 23,5 milhões de toneladas para 26,32 milhões de toneladas (+12,0%), que também se configurou numa quantidade recorde de embarque de soja em grão.
O segundo principal segmento exportador foi o de produtos florestais. As vendas externas se elevaram de US$ 4,64 bilhões entre janeiro e abril de 2018 para US$ 4,82 bilhões no mesmo período neste ano (+3,7%). O principal produto exportado é a celulose, com US$ 3,01 bilhões (+8,5%), cifra recorde da série histórica.
Desempenho positivo das carnes
As carnes registram alta de 3% com valor total de US$ 4,64 bilhões. A principal carne exportada foi a de frango. Foram vendidas ao exterior US$ 2,08 bilhões com expansão na quantidade (+0,6%) e no preço médio (+4,2%). As exportações de carne bovina foram de US$ 2,01 bilhões (+3,2%). O volume exportado foi o segundo melhor da série histórica, com 537,9 mil toneladas (+11,7). Somente em 2007 o Brasil exportou quantidade maior no primeiro quadrimestre, quando chegaram a 562,8 mil toneladas. A queda internacional do preço (-7,6%) impediu incremento maior do valor exportado.
As vendas externas de carne suína foram de US$ 414,12 milhões (+3,8%) enquanto a de peru teve desempenho negativo (-56,4%), com US$ 20,48 milhões em exportações. Trata-se do pior valor exportado neste século, no período em análise, para as exportações de carne de peru.
Quase metade vai para Ásia
As exportações do agro cresceram para blocos econômicos e regiões geográficas: Ásia (+4,1%); Oriente Médio (+14,1%); Europa Oriental (+20,2%); demais da Europa Ocidental (+1,1%); e Oceania (+47,1%).
O destaque ficou por conta da Ásia, região que adquiriu quase metade do valor exportado pelo Brasil em produtos do agronegócio. As vendas para a região chegaram quase a US$ 14,92 bilhões (+4,1%). Com tal crescimento, a participação da região aumentou 1,9 ponto percentual.
Portal DBO com informações do Mapa

Ladrões roubam carreta carregada com soja e sequestram motorista por 24 horas


Um motorista foi assaltado e sequestrado por bandidos armados. Passou mais de 24 horas em cárcere privado, num cativeiro ainda não localizado pelas Polícias Civil (PC) e Militar (PM). Os bandidos roubaram a carreta Scania branca, com placa de Sorriso, carregada com soja na manhã desta terça-feira, 14.
O motorista (nome preservado), foi localizado na mão desta quarta-feira, 15. A carreta, segundo a Polícia, foi carregada comsoja e, foi roubada ontem, por criminosos armados. O motorista da carreta só foi localizado na cidade de Soprriso (Norte, a 500 quilômetros xde Cuiabá) e estava sendo levada para o Porto de Paranaguá, no Paraná (PR).
O assalto seguido de sequestro e cárcere privado, segundo ainda a Polícia, aconteceu quando a carreta transitava às proximidades da cidade Alto Araguaia (Vale do Araguaia, a  418 km de Cuiabá). O motorista foi torturado psicologicamente, mas não foi espancado e nem saiu com ferimentos.
RASTREADA – Segundo o presidente da Associação dos Transportadores de Sorriso (ATRON), Alexandre Schueroff, a carreta ainda não foi localizada e o rastreador aponta como último registro que o veículo estava nas proximidades da BR-364, em Santa Rita do Araguaia (GO).
O caso está sendo investigado por policiais da A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) de Sorriso. Até o momento ninguém foi preso.
PRISÕES – No último final de semana, a  DERF de Sinop prendeu três acusados de roubar cargas de soja. Parte estava sendo colocada em um armazém. Os suspeitos foram localizados em Colíder e estavam com mandados de prisão preventiva expedidos pela justiça.
O delegado Ugo Heck disse que foram vários meses investigações e o ‘modus operandi’ da quadrilha era render motoristas das carretas e os levarem para mata. “O motorista da quadrilha pegava as carretas para descarregar em um armazém nas proximidades. Bloqueavam o sinal de GPS para que não fossem localizados”, detalhou Ugo.
(Com informações do Só Notícias).

Alta do milho sustentada pela carne e exportação



As cotações do milho na B3 subiram mais 0,99% nesta quarta-feira, para a média de R$ 33,64/saca, segundo a pesquisa diária do Cepea e os preços do milho em Campinas, principal referência nacional, subiram mais, cerca de 1,47%, segundo a mesma fonte, para R$ 33,08. Com isto, os ganhos de maio no mercado físico de Campinas já atingiram 0,58%.
“O que está invertendo a tendência do milho, como já mencionamos aqui há 10 dias? Um grande fator, que se divide posteriormente em dois. O fator principal é a redução de 66% do rebanho suíno da China, que obrigará este país e importar mais milho e mais carne suína no mercado internacional”, aponta o analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica.
Isto levará, de acordo com o especialista, ao seguinte desdobramento no Brasil: “Em primeiro lugar a um aumento na demanda de milho para exportação, como mostra a elevação nos prêmios. Se, até um mês atrás, havia alguma dúvida, até por parte da ANEC, de que o Brasil exportaria algo ao redor de 30 MT nesta temporada, agora não há mais. Talvez o volume seja até um pouco maior”.
“Em segundo lugar, à maior produção de carne de frangos e de suínos no Brasil, para fornecê-la diretamente ao consumidor chinês, enquanto o seu próprio plantel não se recupera, o que vai aumentar a demanda de milho no mercado interno. Aqui também, se havia a possibilidade de grandes estoques finais nesta temporada no Brasil, agora eles tendem a ser menores, embora não se saiba ainda exatamente quanto”, conclui Pacheco.





fonte agrolink

Empresa anuncia produção de adubo em Confresa



A  Fertilizantes Araguaia, uma das maiores empresas do setor no Centro Oeste anunciou novos investimentos para Confresa e a região Norte Araguaia.

A confirmação foi feita a reportagem do Agência da Notícia pelo representante da Araguaia, Caique Elder. 

"A empresa investiu em uma nova loja ano passado em Confresa e este ano vamos inaugurar a nossa misturadora de adubo", destacou.

A empresa foi uma das primeiras do ramo a investir no Norte Araguaia. "É uma empresa técnica, com total responsabilidade das indicações que faz no mercado", enfatizou Caique.

A nova fábrica misturadora de adubos deve ser inaugurada no segundo semestre deste ano.



fonte agencia da notiicia

Carreta carregada com soja tomba em rua lateral da BR-163


Uma equipe de socorristas da concessionária Rota Do Oeste socorreu na noite da última terça-feira (07), o motorista de uma carreta DAF XF, de cor branca que tombou na rua João Pedro Moreira de Carvalho, nas proximidades do viaduto.

Parte da carga que de soja que estava sendo carregada pelo veículo acabou ficando espalhada pela pista. Segundo informações, a carreta apresentou um possível problema mecânico, pois o motorista ao realizar a curva sentiu que quebrou um eixo. O homem foi encaminhado ao Hospital Regional.




fonte nortaonoticias

Demanda por químicos sobe 2,4%




A demanda por produtos químicos subiu cerca de 2,4% no primeiro trimestre de 2019, mesmo com o crescimento desacelerando e as vendas e produção local negativando. Foi isso que indicaram dados de um levantamento realizado pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). 


Nesse cenário, a produção de químicos de uso industrial cresceu 1,55% e o consumo aparente nacional (CAN) teve um crescimento de 2,4% no primeiro trimestre, quando comparado com o mesmo período do ano passado. As vendas internas tiveram queda de 2,45% e a utilização da capacidade instalada apresentou taxa média de 75% nos três primeiros meses do ano, alta de dois. 
De acordo com a diretora de Economia e Estatística da Abiquim, Fátima Giovanna Coviello Ferreira, esse setor está praticamente em todas as cadeias de produção e seu desempenho é diretamente impactado pelos resultados da atividade econômica nacional. Segundo o último relatório Focus, do Banco Central, essa é a nona semana consecutiva de recuo nas perspectivas de crescimento do produto interno bruto, previsto agora em 1,7% para este ano. 
“O setor foi afetado pela confirmação da hibernação das fábricas de fertilizantes da Petrobras, na Bahia e em Sergipe, atribuída à falta de competitividade da matéria-prima principal (gás natural), a elevação do custo de aquisição de gás em vários estados e problemas com fornecimento de energia, sobretudo em decorrência das chuvas que atingiram o País”, comenta. 
A Abiquim indicou tambén que o “resultado desse crescimento acelerado, tem-se que no início dos anos 90, as importações pesavam cerca de 7% de toda a demanda por produtos químicos no mercado nacional, passando a 37% em 2018. Além disso, também houve impacto explosivo no resultado da balança comercial de produtos químicos, que passou de um déficit de US$ 1,5 bilhão no início dos anos 90 para US$ 26,6 bilhões em 2018”. 




fonte agrolink

MT: bezerro subindo e poder de compra do recriador diminuindo



A demanda aquecida tem valorizado a reposição em Mato Grosso. 

Do início do ano até aqui as cotações de todas as categorias de machos subiram, com destaque para a desmama (6@) que teve a maior alta, 7,8%. Já a arroba do boi gordo subiu 2,6% no mesmo período. 

Com a cotação do boi gordo subindo em menor patamar que a reposição, a relação de troca piorou para o recriador e invernista. 

Em janeiro, com a venda de um boi gordo com 18@ comprava-se 2,05 bezerros de desmama (6@). Atualmente com esta mesma relação compra-se 1,95 bezerro, ou seja, uma queda de 4,9% no poder de compra do recriador. 

Para o curto prazo para o pecuarista que for fazer a troca com a categoria vale a pena ficar de olho no mercado, pois diversos fatores influenciarão as cotações.




fonte scotconsultoria

Funcionário Corta Cabeça de Colega com Facão Durante Briga em Frigorífico



Dois colegas de trabalho, de 41 e 57 anos, se agrediram na quarta-feira (1º) no local onde trabalham juntos, em um frigorífico de Rolim de Moura (RO). O trabalhador de 57 anos precisou de atendimento médico, pois ficou com um corte na cabeça ao ser atingido por um golpe de facão. Ambos foram conduzidos à Unidade Integrada de Segurança Pública (Unisp), mas liberados em seguida.
Segundo boletim de ocorrência, o suspeito chegou no frigorífico no final da tarde, na intenção de descarregar o caminhão com gado, pois os animais estavam deitados. Foi quando iniciou uma discussão com a vítima. Nesse momento a vítima pegou uma ‘bandeirinha’ e passou a bater no suspeito.
O suspeito então foi ao caminhão, pegou um facão e atingiu a vítima com um golpe na cabeça, causando um corte. O homem ferido foi conduzido pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Municipal Amélio João da Silva, após receber atendimentos médicos, ambos foram apresentados na Unisp.  

No local, os envolvidos decidiram não representarem criminalmente um contra o outro, alegando serem amigos.  


FONTE G1RO


Idoso morre após receber mais de duas mil picadas de abelhas




Um idoso de 71 anos que levou mais de duas mil picadas de abelhas no último dia 26, em Cerqueira César, não resistiu aos efeitos do veneno e morreu nesta quarta-feira, 1º, no Hospital das Clínicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu, interior de São Paulo.

A vítima, João Alves de Souza, estava internada na Unidade de Terapia Intensiva do hospital e teve falência de órgãos. O corpo foi sepultado na manhã desta quinta-feira, 2, em Cerqueira César.
Souza pedalava sua bicicleta pela margem da rodovia Osny Mateus (SP-261), quando foi envolvido pelo enxame. Ele correu cerca de 200 metros e entrou em um matagal na tentativa de se proteger, mas não conseguiu evitar o ataque maciço. Motoristas que passavam pela rodovia viram o homem caído e acionaram o socorro. O idoso foi levado pelo Corpo de Bombeiros para o pronto-socorro municipal de Avaré e, dali, foi transferido para o hospital da Unesp.

A equipe de enfermagem contabilizou mais de duas mil ferroadas no corpo da vítima, a maioria no rosto, no pescoço e nos braços. Conforme os bombeiros, colmeias de um apiário de abelhas europeias estavam instaladas em local próximo de onde aconteceu o ataque. Cada colmeia chega a ter 80 mil abelhas, mas bastam 200 picadas para levar risco de morte a uma pessoa. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar eventuais responsabilidades pela morte do idoso.





FONTE ESTADAO

Abril termina com quedas nos preços da soja



O mês de abril terminou com queda de 4,31% nos preços da soja nos portos e 3,28% no interior, segundo informou a pesquisa diária do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). De acordo com o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica, o último mês não foi muito bom para os vendedores da oleaginosa.



“O mês de abril de 2019 não foi bom para os vendedores de soja. Nenhuma das expectativas referentes ao acordo EUA-China foi concretizado e jogaram as cotações na Bolsa de Chicago para baixo (em média as cotações caíram 54 cents/bushel, ou 6,02%, com julho passando de $908,75 para $ 854,0), anulando a alta mensal do dólar, que foi de apenas 0,19%. Também os prêmios caíram significativamente, passando de +42 para maio no início do mês para +28 nesta terça-feira, queda de 33,34%, em Paranaguá”, escreveu ele, em seu boletin informativo diário. 
Nos últimos dias, a pesquisa diária do Cepea registrou nova queda de 0,44% nesta terça-feira, para R$ 74,36/saca sobre rodas nos portos do Sul, ou seu equivalente nos demais portos brasileiros. “No interior, os preços caíram um pouco menos, apenas 0,10%, para R$ 70,13/saca. No acumulado do mês, houve perdas de 4,31% nos preços de exportação e 3,28% nos preços pagos no interior, confirmando nossas recomendações feitas para vender enquanto as posições ainda eram lucrativas”, comenta. 
“Os principais fatos do dia foram a China ativa no mercado brasileiro de soja, comprando 7 cargos e deixando os prêmios mais firmes do que o dia anterior e o mercado de Paper em Paranaguá que negociou a +40 junho”, conclui. 



FONTE AGROLINK


Suposto fantasma assusta caminhoneiro em zona rural de MT


SERIA UM FANTASMA ???


Suposto que fantasma assusta motoristas em Mato Grosso
Duas fotos de um sonho que circulam pelas redes sociais estão intrigando os caminhoneiros que passaram pela região de Brasnorte (602 quilômetros de Cuiabá).
As fotos que foram tiradas em uma estrada de chão, mostram uma espécie de capa. A pessoa que tirou as fotos não foi corajosa de descer o veículo e se aproximar do fantasma.
Essa foi de arrepiar !!!!!    




















FONTE WATHS/PLANTAO POLICIAL

Produção mundial de grãos deve crescer 2%




A produção mundial total de grãos deverá crescer 2% em 2019/2020, para um total de 2,178 bilhões de toneladas, de acordo com o Relatório do Mercado de Grãos do International Grains Council (IGC), divulgado em 25 de abril. Nesse cenário, são esperadas safras maiores em trigo, com um aumento de 26 milhões de toneladas; milho, até 6 milhões de toneladas e cevada, um aumento de 8 milhões de toneladas.  


No entanto, o IGC informou também que, com a abertura dos estoques sendo a menor em três temporadas, as disponibilidades serão apenas um pouco maiores. Sendo assim, as perspectivas para a produção de soja no próximo ciclo aumentaram 2 milhões de toneladas mês a mês, para 361 milhões de toneladas. Os aumentos de alimentos, rações e usos industriais devem aumentar o consumo total para um novo recorde de 2.201 bilhões de toneladas. 
"Em meio à demanda recorde e apenas uma pequena expansão da oferta, prevê-se um terceiro esgotamento sucessivo dos estoques globais, para uma baixa de cinco anos de 588 milhões de toneladas. Pouca mudança no comércio é projetada, já que os maiores carregamentos de trigo são equilibrados pela queda do milho”, diz o Instituto. 
A mudança foi atribuída ao aumento do milho na Argentina e no Brasil. No entanto, a produção total de grãos ainda está em queda de 13 milhões de toneladas ano a ano. O consumo de grãos foi reduzido em 5 milhões de toneladas no mês a mês para 2.165 milhões de toneladas, sendo que a maior parte do ajuste foi visto no uso de milho para ração e industrial nos EUA. 
Os estoques de grãos devem ficar em 611 milhões de toneladas, uma queda de 36 milhões de toneladas ano a ano. "O comércio de grãos deverá coincidir com a temporada anterior, já que o décimo aumento consecutivo do milho compensa remessas menores de trigo, cevada e sorgo", conclui. 




fonte agrolink

Motorista mato-grossense morre afogado após tombar carreta dentro de lagoa as margens da BR-364, próximo a Vilhena



Rafael Cordeiro de Lima, de 32 anos,  dirigia uma carreta carregada com madeira, e seguia pela BR-364, sentido Cuiabá, quando por volta das 02h30 desta quarta-feira, 31, no Km 84 – perdeu o controle de direção, saiu da pista e tombou dentro de um lago as margens da rodovia. O condutor não conseguiu sair da cabine e acabou morrendo afogado.
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) Foi chamada e constatou o falecimento do motorista no local. Com isso, a funerária Vilhena removeu o corpo que está preparando para ser transladado para o município de Pedra Preta no Mato Grosso, onde será velado e sepultado.

fonte extra de rondonia

"Está na hora do estado dar a contrapartida do imposto que pagamos no Araguaia", dispara Édio Brunetti



O empresário Edio Brunetta, um dos idealizadores da Dinâmica de Empreendimentos e Empreendedores de Porto Alegre do Norte, não escondeu a decepção após a realização do Fórum Político.

"Foi o primeiro ano que nossos políticos não trouxeram nada para apresentar a região", disse Brunetta.

Edio não gostou da proposta apresentada pelo vice-governador, Otaviano Pivetta, de dividir o custo para a construção do hospital regional entre Estado e sociedade organizada. "Isso até poderia ser feito na época que pagamos 18% de imposto no diesel, hoje está mais de 40%", disparou o empresário.

Edio lembrou que o Araguaia já contribuiu muito com imposto e até hoje falta o básico. "Está na hora do estado dar a contrapartida, devolver a população do Araguaia em obras o que a região pagou em impostos nos últimos anos", concluiu o empresário que é um dos pioneiros do Agronegócio no Norte Araguaia.






fonte agencia da noticia


 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br