Conecte-se Conosco

Pecuária

Clima e demanda mantêm preços do boi gordo em queda no início de junho, relata Cepea

Publicado

em

Silvio Ávila/Mapa

Desde o início do ano, os preços do boi gordo têm seguido uma tendência de queda, que se intensificou com a chegada de junho. De acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), essa desvalorização está ligada a diversos fatores, incluindo as condições climáticas desfavoráveis e a dinâmica de oferta e demanda no mercado.

A chegada do frio e a falta de chuvas, especialmente nas principais regiões pecuárias do país, contribuíram para um aumento da oferta de gado pronto para abate. Esses fatores coincidem com o período de final de safra do boi, onde a pressão para a comercialização dos animais é mais acentuada. Muitos pecuaristas, insatisfeitos com os preços praticados, têm optado por liquidar seus lotes para evitar perdas ainda maiores com a deterioração das pastagens e a escassez de recursos alimentares para o gado.

Em maio, o Indicador do Boi Gordo CEPEA/B3 registrou uma queda acumulada de 3,6%. Na abertura de junho, o indicador já apresentava uma nova retração de 2%. Essa queda contínua reflete a necessidade dos pecuaristas de vender seus animais em um mercado onde os frigoríficos estão bem abastecidos e as escalas de abate estão alongadas. A situação cria um desequilíbrio entre a oferta excessiva e a demanda limitada, pressionando os preços ainda mais para baixo.

Com a abundância de oferta e a demanda enfraquecida, a liquidez do mercado de boi gordo também recuou. Frigoríficos, com suas escalas de abate já preenchidas, demonstram menor interesse em adquirir novos lotes, resultando em uma negociação mais difícil para os pecuaristas. Segundo pesquisadores do Cepea, essa condição contribui para um ponto de equilíbrio do mercado a preços cada vez mais baixos.

Publicidade

Para os próximos meses, as perspectivas indicam continuidade das dificuldades, com condições climáticas ainda adversas e uma oferta que pode seguir elevada, pressionando os preços. Pecuaristas que ainda possuem gado a pasto devem considerar a estratégia de comercialização com cautela, dada a baixa liquidez e os preços desfavoráveis.

O mercado do boi gordo enfrenta uma fase desafiadora, com uma queda contínua nos preços, influenciada por fatores climáticos e um desequilíbrio entre oferta e demanda. A recomendação para os pecuaristas é monitorar de perto as condições de mercado e climáticas, ajustando suas estratégias de venda para minimizar perdas e buscar melhores oportunidades de negociação.

Fonte: CenárioMT

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Publicidade

Mídia Rural, sua fonte confiável de informações sobre agricultura, pecuária e vida no campo. Aqui, você encontrará notícias, dicas e inovações para otimizar sua produção e preservar o meio ambiente. Conecte-se com o mundo rural e fortaleça sua

Continue Lendo
Publicidade
Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pecuária

Noroeste gaúcho sedia mais uma prova Morfologia Passaporte do ciclo do Cavalo Crioulo

Publicado

em

Quatro machos e quatro fêmeas serão selecionados para a final da Nacional na Expointer, em Esteio (RS) – Foto: Fagner Almeida/Divulgação

O município gaúcho de Cruz Alta (RS) sedia nesta semana mais uma Exposição Morfologia Passaporte. As provas ocorrerão no Parque Integrado de Exposições de Cruz Alta, entre os dias 13 e 15 de junho. Serão selecionados quatro exemplares machos e quatro fêmeas da raça crioula que irão disputar a final da Morfologia Passaporte, em Esteio, durante a Expointer 2024, promovida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).

O presidente do Núcleo dos Criadores de Cavalos Crioulos de Cruz Alta, Marçal Furian, aposta em provas que irão atestar mais uma vez a qualidade de criação dos cavalos crioulos do Estado. “Temos uma boa expectativa da participação de animais e acreditamos que será uma expo-passaporte bastante representativa da raça Crioula”, projeta.

O técnico responsável será Manoel Pons e o jurado será Carlos Marques Gonçalves Neto.

Confira a programação:

Publicidade

13 de junho de 2024 (quinta-feira)

9h – Início da entrada de animais

14 de junho de 2024 (sexta-feira)

8h – Concentração de machos

9h – Término da entrada dos animais

Publicidade

10h – Admissão Morfologia Passaporte

14h – Julgamento animais incentivo

15h – Julgamento Morfologia Passaporte Potranco Menor e Potranco Maior

20h – Jantar de confraternização e Leilão de Coberturas em prol da ampliação da sede do Núcleo

15 de junho de 2024 (sábado)

Publicidade

8h – Continuação julgamento Morfologia Passaporte

14h – Julgamento Grande Campeonatos

Participe do nosso grupo de WhatsApp para receber as pautas no seu celular. Clique aqui e entre no grupo.

Mais Informações sobre a ABCCC

Site: www.abccc.com.br
Instagram: @cavalocrioulooficial
YouTube: youtube.com/cavalocrioulooficial

Publicidade

Texto: Artur Chagas/AgroEffective

Colaborou:  Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Continue Lendo

Pecuária

Carcaça inteira de Búfalo será assada novamente em evento na cidade de São Borja

Publicado

em

Presidente da Ascribu afirma que a participação nas duas edições do festival Sabores da Região mostra a aprovação da carne de Búfalo pelo público – Foto: Divulgação

Uma carcaça inteira de búfalo será assada no próximo domingo, dia 16 de junho, na segunda edição do festival Sabores da Região, em São Borja (RS). O evento faz parte do Encontro binacional da gastronomia regional Brasil e Argentina, cujo valor arrecadado será destinado às vítimas das enchentes históricas no Rio Grande do Sul.

A carcaça é uma cortesia do associado e integrante do Conselho Fiscal da Associação Gaúcha de Criadores de Búfalos (Ascribu), Pedro Costa, que está à frente da Búfalo Nobre, estabelecimento localizado no Mercado Público de São Borja e que se dedica ao abate e à comercialização da carne de búfalo. Também são seus parceiros de venda ao consumidor na cidade a Central de Carnes da Borges, a Central de Carnes Passo e a Casa de Carnes Real.

A presidente da Ascribu, Desireé Möller, lembra que a entidade participou da primeira edição do evento e agora estará presente mais uma vez. “Se tem repeteco é porque está bom”, brinca a dirigente, destacando o trabalho de excelência do Pedro Costa, da Búfalo Nobre. “São Borja é um caso muito distinto em função do trabalho da Búfalo Nobre que torna a carne de búfalo mais conhecida e sempre com novos apreciadores. Por isso, fomos convidados a repetir o assado de uma carcaça inteira”, afirmou. Desireé entende que o novo convite significa que teve uma boa aprovação das pessoas que estiveram no evento anterior e que o mercado da carne de búfalo está em ascensão.

O Sabores da Região será realizado nos dias 15 e 16 de junho, no pavilhão da ACISB no Parque de Exposições e na Sede Campestre do Clube Comercial. Os ingressos estão disponíveis na ACISB, Conceito Revestimentos e Planejamento, Sigma Rural e Lela Jóias, em São Borja.

Publicidade

Texto: Rejane Costa/AgroEffective

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Continue Lendo

Pecuária

Semiconfinamento é alternativa para intensificar a terminação de bovinos de corte a pasto

Publicado

em

Prática tem se tornado cada vez mais comum devido à menor necessidade de infraestrutura e melhores desempenhos zootécnicos – Foto: Divulgação

 

Entre os aspectos básicos que devem ser considerados na suplementação de bovinos de corte visando sua eficiência produtiva, o semiconfinamento tem sido adotado como uma alternativa para intensificar a terminação desse gado. Considerado um meio termo entre o confinamento e a suplementação estratégica da seca, o sistema apresenta, entre suas vantagens, a menor infraestrutura, quando comparada ao confinamento, e os melhores desempenhos zootécnicos, quando comparados ao extensivo.

De acordo com o zootecnista e supervisor Comercial da Connan, Luan Lucas Felix da Silva, outros pontos positivos do semiconfinamento são a flexibilidade ao produtor na tomada de decisão em realizá-lo, a não necessidade de ações para a produção de alimento volumoso, com exceção do pasto, e a capacidade de elevar a taxa de lotação em seus piquetes, permitindo que alivie outros pastos para as demais categorias.

O especialista recomenda que, para a adoção do semiconfinamento, o animal já esteja próximo ao seu ponto de abate. “Por exemplo, se é esperado o ganho de peso diário de um quilo e almejado para o abate 460 quilos, então o animal deve estar com 400 quilos no início do semiconfinamento, seguindo a recomendação de 60 dias”, detalha.

Publicidade

Silva observa que o semiconfinamento deve ser indicado principalmente quando se exige acabamento de carcaça mediano a uniforme. O nível de fornecimento de concentrados gira entre 0,7% e 2% do peso vivo. “O desempenho animal, a capacidade de acabamento e os custos de produção são geralmente diretamente proporcionais aos níveis de fornecimento de ração, seguindo um planejamento”, ressalta.

Esse tipo de suplementação permite alternativas de alimentos de baixo custo, como coprodutos e resíduos da agroindústria, sempre considerando o custo de transporte da matéria seca, a presença de contaminantes e o limite máximo de inclusão na dieta.

Por fim, para a estrutura e manejo da alimentação, o produtor precisa dispor de 60 cm lineares de cocho por animal elevados a 70 cm do chão, fixo em uma base; cochos que permitam acesso por todos os lados; e espaços de três metros entre módulos de cocho com quatro metros cada. “Além disso, é necessário formar lotes homogêneos quanto à idade, sexo e peso; separar animais mansos dos mais arredios e priorizar pastagens de boa qualidade”, finaliza Silva.

Sobre a Connan

Com sede em Boituva (SP) e filial em Campo Verde (MT), a Connan – Geração de Resultados iniciou suas atividades em 2004 e tem como principais acionistas os engenheiros agrônomos Fernando Penteado Cardoso Filho e Eduardo Penteado Cardoso, membros da família fundadora da empresa MANAH, do famoso slogan “Com MANAH adubando dá”, criado pelo patriarca Dr. Fernando Penteado Cardoso. Os dois irmãos, e sócios, também são detentores da patente Nelore Lemgruber, desenvolvendo e expandindo a genética na Fazenda Mundo Novo, localizada em Uberaba (MG).

Publicidade

Com mais de 150 representantes comerciais, a Connan é a única empresa nacional a produzir o próprio fosfato bicálcico e possuir a tecnologia Aglomerax, o que lhe confere grande diferencial competitivo e garantia de qualidade dos produtos.

Mais informações: http://www.connan.com.br.

na Flávia Gimenes – Attuale Comunicação

Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com

Publicidade
Continue Lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade Enter ad code here

Tendência