Últimas Notícias
Destaques

Projeto promove pecuária sustentável na Amazônia

O Protocolo Boi na Linha, uma iniciativa em parceria com o Ministério Público Federal, está buscando fortalecer os compromissos socioambientais na cadeia da carne bovina na Amazônia. O projeto estabelece critérios rigorosos para garantir a responsabilidade socioambiental na produção de carne bovina na Amazônia. Entre os principais critérios estão: *Monitoramento geoespacial para garantir a origem do gado e evitar o desmatamento ilegal. *Proteção de terras indígenas e áreas protegidas. *Exclusão de áreas embargadas por crimes ambientais da cadeia produtiva. *Documentação completa para rastreabilidade e controle da origem do gado. A fim de aprofundar a análise dos desafios e oportunidades relacionados ao Protocolo Boi na Linha, o Planeta Campo entrevistou Lisandro Inakake, Coordenador de Projetos do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) para entender mais sobre o projeto. Para garantir a qualidade e a sustentabilidade da cadeia produtiva da carne bovina, são necessárias diversas medidas e critérios essenciais, segundo Lisandro. “Um sistema de monitoramento eficaz é fundamental, permitindo rastrear a origem da carne desde a criação até o abate. Isso garante a transparência e a confiabilidade do produto, proporcionando ao consumidor informações sobre sua procedência e as práticas adotadas ao longo do processo”. Além disso, o Coordenador de Projetos do Imaflora, cita que é importante estabelecer parâmetros e regras claras para assegurar a produção sustentável e o cumprimento das leis e normas ambientais, onde os critérios objetivos se tornam essenciais para orientar os produtores e garantir que suas atividades estejam alinhadas com os princípios da sustentabilidade. “A transparência e a comunicação eficaz são igualmente importantes, pois promovem a confiança do consumidor e facilitam o acesso às informações sobre a cadeia produtiva. Isso inclui a divulgação de práticas e políticas relacionadas à produção de carne bovina, bem como a comunicação transparente com os mercados compradores”, destaca. Por meio de ações estratégicas, o protocolo impulsiona a transparência na produção e abre caminho para um futuro mais sustentável para a região. Mas ainda há desafios. Desafios para a implementação eficaz do protocolo Apesar dos avanços, o Protocolo Boi na Linha enfrenta desafios para sua plena implementação. “A regularização fundiária, por exemplo, é um obstáculo significativo, especialmente para pequenos produtores, devido à falta de infraestrutura e questões fundiárias complexas. A implementação da rastreabilidade em todo o mercado também é um desafio, exigindo apoio técnico e financeiro para os produtores”, cita Lisandro. A nova legislação da União Europeia impõe desafios, mas também abre oportunidades para produtores que atendam às exigências de sustentabilidade. A adequação às normas internacionais é crucial para garantir acesso ao mercado europeu, um dos principais importadores de carne bovina brasileira. “Para superar os desafios, ações como a titulação de terras e programas de incentivo à regularização ambiental são essenciais para auxiliar os pequenos produtores. O desenvolvimento de programas como o “Integridade no Pará” e o “Soja na Linha”, por exemplo, demonstram o potencial para o desenvolvimento sustentável da pecuária na região” diz o Coordenador de Projetos do Imaflora. planetacampo Foto: Divulgação Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com


« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário