Últimas Notícias
Destaques

A importância da digitalização da gestão de riscos no agro

O agronegócio engloba atividades de risco, que estão, direta e indiretamente, relacionadas a grandes investimentos. Dentre elas, estão as mudanças relacionadas ao clima, à intensificação dos sistemas produtivos, secas, geadas, chuvas de padrões imprevistos e outras ocorrências que deverão ser cada vez mais comuns, podendo resultar em constantes prejuízos nas safras para aqueles que não estiverem preparados para estes acontecimentos. Por conta deste cenário, a gestão de riscos no agro tem se tornado cada vez mais importante para o desenvolvimento sustentável das atividades no campo. Diante dessa necessidade, a tecnologia surge como uma grande aliada para mitigar os problemas relativos a essas condições. “A constatação de que decisões críticas envolvendo grandes somas de dinheiro eram frequentemente baseadas em métodos analógicos, como planilhas e anotações manuais motivou a fundação da Agroboard, empresa de tecnologia e gestão para empresas do agronegócio”, informa o economista e CEO & Founder da Agroboard, Danilo Lombardi. “A companhia surgiu com a missão de transformar digitalmente a gestão de riscos no agronegócio, otimizando desde a formação de preços e tomada de decisões até o controle operacional e análise de exposições”, acrescenta. O executivo destaca que objetivo principal da empresa é modernizar e digitalizar os processos de gestão comercial, financeira e de riscos no agronegócio. “Buscamos simplificar a tomada de decisões e melhorar o acompanhamento e controle das ações realizadas. Ou seja, conectamos pessoas com o propósito de construir o agro do futuro”, completa. Soluções De acordo com Lombardi, as soluções disponibilizadas pela Agroboard, empresa que integra o SNASH, novo hub de agtechs e edutechs criado pela Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), ajudam minimizar os impactos negativos causados por flutuações de mercado e preços, sem que os clientes sejam pegos de surpresa, o que contribui para um mercado mais estável e compreensível. “Para o agro, a gestão de riscos é crucial. Compreender as variações de preços, basear decisões em dados concretos e monitorar as ações tomadas são passos essenciais para evitar imprevistos. Uma gestão de riscos eficaz proporciona previsibilidade e maior controle frente a cenários adversos”, observa. Desafios Lombardi avalia que o agronegócio é intrinsecamente arriscado, sujeito a inúmeras variáveis incontroláveis como clima e pragas. Além disso, a volatilidade e o dinamismo do mercado têm aumentado, tornando a robusta gestão de riscos e o suporte de ferramentas adequadas indispensáveis para a sustentabilidade do negócio. O executivo lembra que o agronegócio enfrenta desafios significativos em produtividade, exacerbados pelas mudanças climáticas, tornando o mercado ainda mais desafiador. “Acreditamos que a chave para o sucesso é uma gestão bem estruturada, que compreenda profundamente o mercado e suas variáveis, embasando decisões sólidas e monitorando-as continuamente para a prevenção de mudanças adversas. Conhecer bem o mercado, contar com parceiros confiáveis e entender as próprias exposições e posições são essenciais para a longevidade do negócio”, arremata o CEO. Redação A Lavoura Fotos: Divulgação Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com


« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário