Últimas Notícias
Destaques

Consumo - É uma boa ideia substituir o açúcar pela Stevia?

Como sabemos se a stevia que compramos é realmente boa para nós? Stevia é uma planta descoberta na América do Sul, que é usada para fazer açúcar sem glicose. Foi importada para o Japão, onde as pessoas começaram a usar suas propriedades, que eram muito mais doces que o açúcar refinado. Mas só recentemente esse adoçante natural se tornou popular. Essa popularidade é maior entre as pessoas com diabetes, mas também entre aqueles que simplesmente querem reduzir o consumo de açúcar. Mas o que é a stevia? É realmente uma boa alternativa ao açúcar? E como sabemos se a stevia que compramos é realmente boa para nós? Os índios Guarani da América do Sul adicionavam folhas de stevia às suas infusões de ervas para adoçá-las. No Brasil e no Paraguai, são usados ??há séculos na culinária. Na América Latina, a fitoterapia tradicional considera a stevia como hipoglicemiante, hipotensora, diurética e cardiotônica. Foi só no início do século XX que começamos a nos interessar realmente pelos esteviosídeos da planta. No início dos anos 1970, o Japão proibiu o uso de adoçantes artificiais (aspartame, sacarina) porque as autoridades temiam seus efeitos negativos na saúde humana. Ao mesmo tempo, um consórcio japonês estava desenvolvendo um método para extrair glicosídeos de stevia. O estado japonês então autorizou o extrato de stevia como adoçante alimentar. Seu uso se espalhou rapidamente na Ásia e na América do Sul. Também foi aprovado na Austrália e na Nova Zelândia desde 2008 e agora está presente em vários produtos alimentícios. Em abril de 2010, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) considerou os esteviosídeos seguros como aditivos alimentares. Stevia rebaudiana é conhecida por ser 20 a 300 vezes mais doce que o açúcar convencional da cana-de-açúcar. É um adoçante para obter um sabor doce sem os inconvenientes do açúcar refinado, sem pico glicémico e com uma ingestão calórica insignificante (menos de 3 calorias por grama). Esta planta natural não representaria nenhum perigo para a saúde, mesmo a longo prazo. Pode então ser consumido por diabéticos ou para combater o vício do açúcar. De fato, as folhas de stevia secas contém um componente chamado glicosídeos de esteviol, cujos efeitos da stevia são atribuídos aos esteviosídeos que ela contém. Tem a propriedade de ter um sabor naturalmente doce. Assim, você pode usá-lo como adoçante sem ter alto nível de açúcar no sangue ou calorias extras. O teor de esteviosídeos das folhas pode variar de 4% a 20% do peso seco, dependendo das cultivares utilizadas e das condições de cultivo. Listamos para você todos os benefícios da stevia para sua saúde:
*A stevia permite que você saboreie o doce sem consumir açúcar e aumentar os níveis de açúcar no sangue; *Esta é uma dádiva de Deus para pessoas intolerantes ao glúten. Elas também podem comer doce, pois não contém vestígios de glúten; *Este adoçante pode ser usado para combater o vício do açúcar e a obesidade, já que não contém muitas calorias; *A stevia é conhecida por contrair os vasos sanguíneos a longo prazo. Especificamente o revestimento interno das artérias. Isso pode melhorar a pressão arterial naturalmente. Ele também contém antioxidantes naturais bons para o corpo; *A stevia vem de uma planta natural e não contém todos os produtos químicos encontrados em diferentes tipos de açúcares refinados. Portanto, causa menos cáries e evita muitos inconvenientes; *Consumido regularmente, pode melhorar a textura da pele e regular algumas doenças como eczema e acne, além de cicatrizar feridas mais rapidamente; *Lembre-se, porém, de respeitar as quantidades recomendadas e nunca exagerar no consumo. E isso, mantendo uma alimentação balanceada para se manter em boa forma. A dose diária segura estabelecida pela Health Canada, no âmbito da regulamentação de produtos naturais para a saúde, é semelhante à estabelecida em outras partes do mundo, ou seja, 10 mg de esteviosídeos por quilo de peso corporal. Isso corresponde a 700 mg por dia para um adulto de 70 kg. Para as pessoas que consomem folhas de stevia em pó, isso equivale a um máximo de 50 mg/kg, ou 3.500 mg para um adulto de 70 kg. Como precaução, algumas fontes recomendam que mulheres grávidas e lactantes evitem consumir grandes quantidades de stevia. No comércio, a stevia é encontrada em 2 formas principais: (i) pó das folhas secas, com forte poder adoçante de 10 a 15 vezes maior que o do açúcar; (ii) extrato padronizado (pelo menos 90% de esteviosídeos), que consiste em um pó branco solúvel em água. Também está disponível na forma líquida. Seu poder adoçante é muito superior ao do açúcar refinado (100 a 300 vezes), sem calorias. Vale ressaltar que a stevia nem sempre é feita de folhas secas. A maioria das lojas vende stevia refinada e quimicamente tratada. Este tipo de stevia geralmente contém outros adoçantes e moléculas químicas, como sorbitol, manitol, lipoxol. Portanto, certifique-se de ter stevia natural, completa e não refinada. É por isso que aconselhamos que você escolha uma stevia que contenha pelo menos 96%. Não recomendamos que você compre folhas de stevia com a intenção de transformá-las em pó. Pode não funcionar, pois o modo de secagem deve ser bem seguido. Algumas stevias de supermercado contém matroextrina. Este componente consiste em uma infinidade de açúcares, como glicose, maltose e maltotriose. Estes causam um pico de açúcar no sangue e calorias. O que muda completamente o produto e o torna tão doce e perigoso quanto o açúcar branco. O que você deve lembrar sobre a stevia: é um adoçante natural que você pode adotar como alternativa ao açúcar refinado. Isso permitirá evitar picos de açúcar no sangue e o rápido ganho de peso que notamos após o consumo de diferentes tipos de açúcares refinados. *Valter Casarin é coordenador geral e científico da NPV - Nutrientes para a Vida Por: AGROLINK & ASSESSORIA Imagem: Divulgação Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com


« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário