Últimas Notícias
Destaques

Freio de Ouro 2023: macho estreante e fêmea mais jovem das finalistas são os campeões

Guanabara Saladero, montado por Zeca Macedo, e Belle Porcelana, montada por Daniel Teixeira, foram os vencedores da final, disputada neste domingo na Expointer O macho Guanabara Saladero, estreante na competição, montado por Zeca Macedo, e a fêmea mais jovem entre as finalistas, Belle Porcelana, montada por Daniel Teixeira, foram os vencedores da final do Freio de Ouro 2023, disputado neste domingo (27), na 46ª edição da Expointer, em Esteio (RS). As provas foram realizadas pela primeira vez em uma arena coberta, no Parque de Exposições Assis Brasil. O governador Eduardo Leite compareceu às provas finais do Freio de Ouro e participou da entrega dos troféus para os criadores e expositores campeões nas categorias macho e fêmea. Ele destacou a importância da competição como um símbolo da tradição e uma vitrine da qualidade do cavalo crioulo. “É uma alegria estar aqui neste domingo bonito de sol e frio, acompanhando o Freio de Ouro. Esse amor ao cavalo é também um símbolo do amor do gaúcho às coisas da nossa terra. E agora, com a pista qualificada, com cobertura, certamente o Freio de Ouro será cada vez mais um espaço de encontro para os gaúchos, para celebrar a nossa cultura e tradição”, disse Leite. Ginetes vencedores do Freio de Ouro 2023 “É muita coisa que a gente passa para chegar aqui e as coisas darem certo. Então, a gente olha para trás e fica um pouco surpreso por ter a oportunidade de viver esses momentos”, disse Daniel Teixeira. “Minha sensação é muito difícil de descrever porque eu vivo isso daqui, meu pai me colocou aqui dentro. Eu fiz a campeira durante oito, dez anos, e meu sonho foi fazer is
so aqui. As minhas brincadeiras eram os ginetes do Freio de Ouro, os meus ídolos, era o que eu queria ser”, afirmou Zeca Macedo, que venceu pela quinta vez o Freio de Ouro. Machos Na categoria dos machos, o Freio de Prata ficou com Daniel Teixeira e o cavalo AS Malke Fogo de Chão. O Freio de Bronze terminou com Fabrício Brunelli Barbosa e o cavalo Mis Amores da Taimã. O Freio de Alpaca, por sua vez, foi para Nathan Valadão e Leopardo da Gap São Pedro-TE. Fêmeas No pódio das fêmeas, o Freio de Prata terminou com o cavaleiro Gabriel Viola Marty e a fêmea uruguaia Jugada de Santa Marcia. O ginete Ricardo Gigena Wrege estreou no pódio montando a Realidade Charrua. E o Freio de Alpaca ficou com a Têmpera do Recanto Crioulo-TE e o ginete Cláudio dos Santos Fagundes. Juízes Foram cinco dias de emoções e disputas na nova arena. De acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), ao todo, 52 fêmeas e 50 machos entraram em pista, divididas entre os 39 ginetes que conduziram os exemplares através da supervisão técnica de Rodrigo Rodrigues Teixeira. Na final, os conjuntos foram avaliados na categoria fêmeas pelos jurados Diogo Pinto Ferreira, Luciano Corrêa Passos e Mateus Gularte Silveira. Já na categoria machos, Fernando Guilherme Horst, Leonardo Alberton Ardenghy e Thiago Schilling de Ávila foram os responsáveis por comandar as notas que definiram os campeões da temporada. Para auxiliar os jurados presentes, Fernando Harger atuou como jurado reserva. POR LUIS ROBERTO TOLEDO Foto: Divulgação Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com


« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário