Últimas Notícias
Destaques

Produção - Estiagem prejudica o rendimento do feijão

Avanço da colheita em algumas áreas vêm demonstrando rendimento abaixo do esperado. Diversas regiões do Brasil vivenciam momentos distintos na safra de feijão. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) liberou recentemente uma análise referente ao cenário atual de colheita em diferentes estados. O panorama é variado, e fatores climáticos, principalmente, têm desempenhado um papel fundamental. Nas regiões produtoras da Bahia, o início da colheita mostrou-se tímido. Segundo informações da Conab, o rendimento das primeiras áreas colhidas na Bahia foi abaixo do esperado, atribuído, em grande parte, à escassez hídrica que algumas regiões produtoras enfrentaram durante parte do ciclo. Por outro lado, em Minas Gerais, a situação é consideravelmente diferente. Mais da metade da área total semeada já foi colhida. A predominância do clima mais seco tem sido benéfica, facilitando tanto a maturação quanto a secagem dos grãos em pré-colheita. Além disso, essa condição climática também tem sido responsável por reduzir a incidência de pragas e doenças de final de ciclo, fatores que contribuem positivamente para a qualidade e rendimento dos grãos colhidos. Em Goiás, o progresso da colheita é notável. Aproximadamente ¾ da área semeada já foi colhida, e as lavouras que ainda estão em fase de produção mostram-se em condições fitossanitárias ideais, com grandes expectativas quanto ao rendimento e qualidade dos grãos. No estado de São Paulo, 60% da área total semeada já passou pelo processo de colheita. As lavouras que ainda estão em processo de maturação estão apresentando boas condições gerais, conforme relato da Conab. Já no Pará, a semeadura do feijão possui uma característica distintiva. O processo ocorre mais tardiamente em comparação com os demais estados mencionados. Atualmente, as lavouras no estado estão nas fases de desenvolvimento vegetativo e floração. E, em um panorama geral, as chuvas têm sido suficientes para atender às demandas hídricas das plantações. Essas informações servem como um termômetro para produtores, comerciantes e especialistas em agronegócio que acompanham de perto a produção de feijão no país. Os contrastes regionais reforçam a necessidade de se adaptar e criar estratégias de manejo de acordo com as especificidades de cada região, garantindo a sustentabilidade e produtividade da cultura do feijão no Brasil. Informações obtidas no boletim de Progresso de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) Por: AGROLINK -Seane Lennon Imagem: Canva Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com


« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário