Últimas Notícias
Destaques

A importância do tratamento da cama do aviário

A escolha correta do material da cama e o manejo adequado são itens importantes na avicultura industrial, uma vez que é onde o frango permanecerá grande parte da vida e que afetará diretamente os parâmetros produtivos, saúde e bem-estar. A cama, além de incorporar os dejetos, tem a função de absorver a umidade, fornecer isolamento térmico e proporcionar uma superfície confortável, a fim de reduzir ou evitar a incidência de lesões em regiões como peito, joelho e coxim plantar. A substituição da cama a cada lote de frangos aumenta o custo da produção avícola em cerca de 77% (Marcolin, 2006); assim, no Brasil, a reutilização da cama de frango é bastante comum, e pode acontecer por até 6 lotes de frango no galpão. Essa prática visa, principalmente, reduzir os custos de produção e diminuir o impacto ambiental da atividade. No fim, essa cama é descartada ou reaproveitada sendo destinada à agricultura como fonte de adubação. Devido à presença de fezes, ração, temperatura e umidade elevadas, a cama apresenta condições especiais para o desenvolvimento de microrganismos patogênicos, como Salmonella spp., Clostridium spp., Escherichia coli, que podem provocar doenças às aves. É o caso, por exemplo, da colibacilose. A colibacilose está relacionada principalmente a cepas de Escherichia coli APEC e se caracteriza por uma síndrome na qual se observam lesões em órgãos, como sacos aéreos, fígado (perihepatite) e coração (pericardite), levando à rejeição de carcaças de frango no abatedouro (Santiago et al., 2019). A incidência de insetos é outro ponto de atenção referente à qualidade da cama, com destaque para o cascudinho (Alphitobius diaperinus). Esse inseto praga é vetor de vários patógenos, incluindo a Salmonella spp, e influencia diretamente na conversão alimentar das aves, afetando o crescimento e o ganho de peso (Simões da Silva, 2022). Além disso, essas condições podem levar a altos níveis de amônia no interior dos galpões. O efeito do gás amônia é amplamente citado na avicultura. Quando as aves são expostas a níveis altos do gás, ficam mais predispostas a doenças respiratórias, aumentam os riscos de infecções secundárias às vacinas e os processos fisiológicos de trocas gasosas são prejudicados (De Oliveira et al., 2003). Concentrações altas de amônia também podem provocar lesões oftálmicas, como a ceratoconjuntivite, que afeta a córnea e pode causar cegueira (Oro, 2014). Neste contexto, o tratamento das camas durante o intervalo entre lotes, no intuito de melhorar sua qualidade física, química e microbiológica, é fundamental para garantir a produtividade e sanidade das aves. E conhecer os fatores que afetam a qualidade da cama, como as características do material, umidade e pH, é importante para a tomada de decisão de quais tratamentos utilizar. No Brasil, os métodos mais utilizados como tratamento de cama são a fermentação em leira, fermentação plana e o uso de aditivos químicos, como sulfato de alumínio, gesso agrícola e cal. No método de fermentação, em leira ou plana, a cama é amontoada e coberta com lona plástica para que ocorra a fermentação. A combinação de alta temperatura e liberação de dióxido de carbono, decorrentes do processo de decomposição da matéria orgânica, aliadas à queda do pH, promovem a redução da carga microbiana da cama. O processo auxilia, ainda, no controle de insetos, como os cascudinhos e moscas. No método químico, o objetivo é adicionar produtos à cama visando a redução do pH com o objetivo de criar um ambiente pouco favorável para o crescimento de microrganismos patogênicos. O pH mais propício para a multiplicação desses microrganismos se encontra entre 6 e 9 (Silva, 2011). Além de diminuir a carga microbiana, a redução do pH também contribui para a redução da amônia (NH3) volatizada. Esse efeito está relacionado ao aumento da concentração de íons H+, que favorece a formação de amônio (NH4+), que é uma forma não volátil (França et al., 2014). Promover boa ventilação e circulação de ar, com o uso de ventiladores e cortinas laterais, também é importante para evitar o acúmulo de umidade e remover a amônia do ambiente. Estabelecer um tratamento de cama eficiente para reduzir a carga microbiológica, evitar a perpetuação de patógenos e doenças de um lote para outro e controlar os insetos do aviário, são essenciais para a saúde e o desempenho das aves e influenciam diretamente nos lucros da atividade. Fonte: Cinergis Foto: Divulgação Colaborou: Astrogildo Nunes – astrogildonunes56@gmail.com


« VOLTAR
AVANÇAR »

Nenhum comentário