Publicidade:

RS: bezerros quadrigêmeos nasceram em Vila Estância Nova




 Quadrigêmeos nasceram na propriedade da família Kist, em Vila Estância Nova

A tardinha do dia 28 de dezembro foi inusitada na propriedade da família Kist, em Vila Estância Nova. Márcia Inês Kist, 46 anos, e Antônio Jacob Kist, 47 anos, foram surpreendidos quando a vaca Méqui iniciou o trabalho de parto por volta das 20h. “Eu vi que ela não ia conseguir ter o parto sozinha, e logo chamei o veterinário”, conta Kist.

“O veterinário auxiliou ela e logo nasceu o primeiro terneirinho. Mas eu achava estranho, durante o período gestacional achei que ela poderia ter gêmeos, mas nos últimos dias tava com pouca barriga, então achei que era um mesmo”, relata.

Após a aferição, o profissional verificou que ainda havia mais um terneiro para nascer. “Já levamos um susto”, conta o produtor rural. “Mas quando ele disse que tinha o terceiro, achei que era mentira. E quando vê veio o quarto terneiro, isso eu nunca vi, isso é raro”, salienta.

O nascimento dos terneiros quadrigêmeos movimentou a propriedade nos últimos dias. “Eles nasceram pequenos, sem muita força, então a solução foi tirar o leite da vaca e dar em mamadeira, eram quatro vezes por dia pegando eles no colo e tratando. Agora são três vezes ao dia, mas já conseguem se virar sozinhos”, relata Márcia.

Quadrigêmeos são considerados raridade

Conforme o médico veterinário que fez o parto dos terneiros quadrigêmeos, Henrique John Schonarth, o caso é considerado raríssimo. “A vaca entrou em trabalho de parto na meia tarde, mas a família percebeu e me acionou no início da noite. Como ela não conseguiu contrair tivemos que auxiliar o parto. Quando iniciei o atendimento já imaginei que poderiam ser dois, pois ela tem histórico genético de gestação gemelar. Mas foi uma verdadeira surpresa quando vi que eram quatro, e todos com vida”, afirma.

Schonarth que é proprietário da Honcler Vet, em Venâncio Aires, explica que os terneiros são pequenos e nasceram com um terço do tamanho considerado normal. “Eles tiveram uma formação normal, mas como eram muitos dentro do útero eles ficaram pequenos. Porém, já foi possível constatar que essas três fêmeas serão inférteis, pois não desenvolveram as características reprodutivas”, comenta o médico veterinário.

Os quadrigêmeos, três fêmeas e um macho são todos com cores e características diferentes. Segundo o engenheiro agrícola da Emater, Diego Barden do Santos, os quadrigêmeos são bivitelinos pois apresentam características diferentes.

A gestação da Méqui é considerada raríssima segundo o extensionista da Emater. Para o produtor a situação também foi uma surpresa. “Eu nunca ouvi falar no nascimento de terneiros quadrigêmeos aqui na nossa volta. Nunca pensei que seriam quatro de uma vez só, pois a Méqui não estava tão barriguda e inquieta”, detalha.

A Méqui está na família há cerca de 10 anos, ele é de raça holandesa com uma mistura de jersey. Uma das curiosidades é que a vaca já tinha tido gêmeos há alguns anos. “Quando eu contratei o serviço de inseminação artificial ela sempre tinha um terneiro só. Há uns três anos atrás ela teve gêmeos, mas foi com monta natural, e dessa vez também foi assim”, explica o produtor.

Curiosidades

• A família produz leite apenas para o consumo da família não tendo a atividade leiteira importância econômica para a família.

•Por serem quatro filhotes, a família irá auxiliar no processo de alimentação. “A vaca sozinha não vai dar conta, vamos tirar leite da outra vaca para alimentar eles também, e no início vai ter que ser de mamadeira”, comenta Márcia.

• A ideia da família é criar os quatro animais e ficar com eles. “A gente já percebe que uma delas não vai servir para ser vaca [para produção leiteira], mas vai ser criada e cuidada igual”, explica Kist.

• Apesar de nasceram pequenos (com menos de 20 quilos) todos se desenvolveram bem e estão fortes. “Se não fosse a gente tratar eles na mamadeira não teriam escapado, pois eram muito fracos. Me deu uma pena na primeira noite. Eu acordei cedinho no outro dia e peguei um por um no colo e tratava, parecia umas crianças”, recorda Márcia.

fonte: www.agrolink.com.br

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br