Publicidade:

Reuters: Dólar recua ante real com melhora no apetite por risco global



SÃO PAULO (Reuters) -O dólar caía frente ao real na manhã desta quinta-feira, acompanhando melhora global no apetite por risco, depois que a reunião de política monetária do banco central dos Estados Unidos ficou para trás.

Ao fim de seu encontro de dois dias, na quarta-feira, o Federal Reserve (Fed) afirmou que encerrará suas compras de títulos da era da pandemia mais cedo do que o esperado, em março do ano que vem, pavimentando o caminho para três aumentos de 0,25 ponto percentual cada nos juros até o fim de 2022.

"De modo geral, os investidores parecem ter gostado da postura mais dura com relação ao combate à inflação, ao mesmo tempo que Jerome Powell (chair do Fed) sinalizou que este movimento será feito de forma calculada de modo a não sufocar a economia e os mercados no processo", explicou em nota Victor Beyruti, economista da Guide Investimentos.

Às 9:49 (horário de Brasília), o dólar à vista recuava 0,52%, a 5,6777 reais na venda, movimento alinhado à queda de 0,3% apresentada pelo índice da moeda norte-americana contra uma cesta de seis rivais nesta manhã.

Na B3, às 9:49 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,11%, a 5,6945 reais.

Rand sul-africano, peso mexicano, peso chileno e dólar australiano, divisas consideradas sensíveis a risco, apresentavam ganhos moderados contra a moeda dos Estados Unidos nesta manhã.

Nos mercados de ações, as bolsas europeias avançavam nesta quinta-feira, assim como os futuros de Wall Street.

"Hoje (o mercado de câmbio doméstico) está em linha com tudo lá fora, teve uma acalmada no mercado", disse à Reuters Vanei Nagem, responsável pela mesa de câmbio da Terra Investimentos.

Mesmo assim, investidores não descartavam a possibilidade de mudança no sinal da moeda norte-americana frente ao real ao longo da sessão, alertando para movimento de saída de recursos do país com a aproximação do fim do ano.

Segundo Nagem, essa pressão sazonal é um dos motivos que explicam a presença mais firme do Banco Central no mercado de câmbio nos últimos dias, quando a autarquia forneceu liquidez aos mercados com venda de moeda à vista e um leilão de venda conjugado com leilão de compra.

Além disso, afirmou, muitos operadores já estão de olho nas eleições presidenciais de 2022, que têm potencial de minar a atratividade da moeda brasileira com a expectativa de escalada nas tensões políticas.

O dólar negociado no mercado interbancário subiu 0,21% na última sessão, a 5,7072 reais na venda, novo pico desde 13 de abril deste ano (5,7175 reais).

O Banco Central fará neste pregão leilão de até 15 mil contratos de swap cambial tradicional para rolagem do vencimento de 1° de fevereiro de 2022.

fonte: www.noticiasagricolas.com.br

 

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br