Publicidade:

Futuros do milho na B3 vão perdendo força



Em Chicago o milho fecha em queda com exportações fracas

De acordo com a informação divulgada pela TF Agroeconômica, os futuros do milho na B3 vão perdendo força dia após dia. “O evidente poder de barganha de compradores na bolsa de mercadorias vai dando as caras “aos poucos”, e no dia de hoje, viram-se novas pequenas quedas para os principais vencimentos”, comenta. 

 “Aqui,  nos  resta somente  repetir  aquilo  que  já  foi  dito:  com  poucos dias restantes para o final de ano, os grandes volumes já  foram  comprados,  e  as  ‘cartas  na  manga’  de compradores  –  se  é  que  existem  –  tratam-se  de oportunidades de extrema baixa. Na Argentina, segundo a Bolsa de Cereales, trabalhos de plantio da nova safra atingiram os 39% do total, e seguem  avançando pelo  país”, completa. 

Com  relação  à  semana anterior, houve avanço de 3%, sendo que já há regiões muito  próximas  do  término,  como  é  o  caso  de Corrientes  (100%),  Rosario  del  Tala  (93%),  Paraná (91%), e Junín e Pehuajó (83%). “O vencimento novembro/21 foi cotado à R$ 88,62 (-0,43%); o janeiro/22 valeu R$ 88,70 (-0,55%); o março/22 foi negociado por R$ 88,95 (-0,28%); e o maio/22 teve valor de R$ 84,90 com queda de (-0,12%)”, indica. 

Em Chicago o milho fecha em queda com exportações fracas. “A cotação do milho para dezembro21 fechou em queda de 1,66% ou 9,5 cents/bushel a $ 563,50. Já a cotação de julho22, importante para as exportações brasileiras, fechou em queda de 1,54% ou 9,0 cents/bushel a $ 576,50. Das  causas  da  movimentação  do  dia  o  relatório semanal de vendas  de  exportação do  USDA mostrou que  1.224  MT  de  milho  foi  reservado  durante  a semana de 28/10”, conclui. 

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br