Publicidade:

Clima seco propicia avanço na colheita do trigo que chega a 28%




 O predomínio de clima seco na semana que passou no Estado, propiciou o avanço dos trabalhos de colheita das lavouras de trigo no Rio Grande so Sul, que alcançou 28% da área total cultivada. De acordo com o Informativo Conjuntural publicado e divulgado nesta quinta-feira (28/10) pela Gerência de Planejamento (GPL) da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), 53% da área cultivada está em maturação, 18% em enchimento de grãos e 1% ainda em floração.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, a aveia branca vem apresentando bom desempenho e encaminhando-se para o período final do ciclo. No momento as lavouras atingem 80% da área total colhida e 20% madura e pronta para colheita. Na de Santa Maria, o percentual colhido é de quase 27%. Outros 70% estão em maturação e 3% em enchimento de grãos.

Na regional de Soledade, a cevada começou a ser colhida, com produtividades obtidas variando conforme a tecnologia utilizada. No entanto, em grande parte das lavouras, a qualidade e o poder germinativo do grão está abaixo do ideal para a indústria (mínimo de 95%) sendo o grão destinado para ração animal. As chuvas frequentes no final do ciclo causaram acamamento da cultura e reduziram a qualidade do grão.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Ijuí, a canola está em estádio de colheita e, em média, vem apresentando bom potencial produtivo. Em Jóia, que possui a principal área cultivada da região, as lavouras apresentam menor potencial produtivo devido aos eventos climáticos adversos que comprometeram o bom desenvolvimento da cultura. Em Colorado, algumas lavouras surpreenderam com produtividade levemente superior a 2.500 quilos por hectare. Em Ibirubá, as primeiras lavouras colhidas apresentam síliquas bem desenvolvidas e grãos bem formados, resultando em bons níveis de produtividade.

Grãos de Verão

Segue o plantio da lavoura da soja no Estado com aproximadamente 5% da área total já semeada do Rio Grande do Sul. Na regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, a cultura entra em momento ideal para o plantio. A ocorrência das chuvas no último final de semana, aliado ao avanço da colheita do trigo e ao período adequado do zoneamento agrícola, são fatores determinantes para aumento das áreas semeadas na região. Estima-se que 5% da área de cultivo já esteja semeada, toda em fase de germinação e desenvolvimento vegetativo. Os agricultores, confiantes numa expectativa de bons preços, estão usando tecnologia de ponta visando aumento de produtividade, mesmo com os altos preços dos insumos e fertilizantes e até mesmo com a dificuldade de aquisição de determinados insumos.

A cultura do milho, de modo geral, vem apresentando desenvolvimento satisfatório no Estado. Estima-se que o plantio alcançou 75% da área de aproximadamente 835 mil hectares projetos para cultura na safra 2021-2022. Da área semeada, 95% encontra-se em germinação e desenvolvimento vegetativo e 5% em floração.

Na regional de Caxias do Sul, vem ocorrendo a semeadura do feijão 1ª safra nos municípios de menor altitude por parte de pequenos produtores que objetivam a produção de autoconsumo e venda de algum excedente. Já nos Campos de Cima da Serra, onde são cultivadas mais de 90% das áreas comerciais da região, a semeadura se concentra na segunda quinzena de dezembro. Na de Frederico Westphalen, as condições climáticas estão favorecendo o desenvolvimento da cultura até o momento. As lavouras encontram-se nas fases de desenvolvimento vegetativo (70%) e floração (30%). Os produtores estão realizando os tratos culturais como tratamentos fúngicos, monitoramento de pragas e iniciando a adubação nitrogenada.

Nas regiões da Emater/RS-Ascar de Bagé, Pelotas e Soledade, as boas condições do clima, associadas a umidade ideal do solo para o plantio e trânsito das máquinas agrícolas, favoreceram o avanço do plantio da nova safra. Na regional de Bagé, os índices de semeadura são variáveis e tem ápice de 95% de implantação em Barra do Quaraí e Uruguaiana. Já em Dom Pedrito, estima-se o plantio de 55% do previsto e em São Gabriel cerca de 30% das lavouras semeadas. As áreas já plantadas estão em fase de estabelecimento inicial. Os produtores que ainda não realizaram o plantio trabalham no preparo do solo e construção de taipas em nível. As pulverizações de herbicidas dessecantes e com ação pré-emergente também foram realizadas ao longo da semana nas áreas em fase de germinação. 

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br