Publicidade:

43ª Expo Nacional demonstra a qualidade da marcha do cavalo Mangalarga



Com páreos concorridos, protagonizados por cavalos e éguas de muita qualidade, a mostra comprovou o alto nível

A 43ª Exposição Nacional, realizada no Centro Hípico de Tatuí (SP), no final do mês de outubro, colocou em evidência uma das mais marcantes características da raça Mangalarga, a sua marcha cômoda, progressiva e equilibrada, que vem conquistando cada vez admiradores por todo o país. 

 Segundo Alessandro Moreira Procópio, Diretor Técnico da ABCCRM (Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga), foi possível observar durante o evento a contínua evolução da inconfundível marcha da raça Mangalarga.  

“Nós tivemos a participação de cavalos e éguas de fácil condução e ótimo temperamento com avanços diagonais dos membros bem coordenados, cadenciados, elásticos e elegantes. O que se viu foi a apresentação de animais homogêneos, equilibrados, cômodos e consequentemente muito agradáveis de serem montados”, explicou o dirigente mangalarguista. 

Julgamentos de alto nível

O ponto alto da programação aconteceu no domingo 31 de outubro, quando o público acompanhou com muita atenção, tanto presencialmente como pela internet, os julgamentos que definiram os novos Grandes Campeões Nacionais de Marcha. Muito concorridos, esses páreos contaram com a participação dos animais montados que mais se destacaram nesse quesito ao longo dos onze dias de disputas da 43ª Expo Nacional. 

Exposto pelo criador paranaense Vinicius João Curi (Haras VJC) e proveniente da seleção do mangalarguista mineiro Antonio Carlos Ferreira (Haras ACF), o alazão Inhambú ACF (T.E.), de 68 meses, superou outros 60 machos com uma apresentação em pista notável, o que lhe valeu o título de Grande Campeão Nacional de Marcha Cavalo. 

O julgamento desse importante quesito consagrou ainda outros dois machos: o jovem Coliseu da Braido (T.E.), de 58 meses, exposto e selecionado pelo criador paulista Nelson Antonio Braido (Haras Braido), e o promissor Libertador ACF, de 44 meses, proveniente da seleção de Antonio Carlos Ferreira.  

Entre as fêmeas, o principal destaque foi a alazã Joia Rara França, de 71 meses. Exposta pelo criador Jorge Eduardo Beira e proveniente da seleção de Eduardo Henrique Souza de França, ela superou outras 115 fêmeas adultas, conquistando assim o título de Grande Campeã Nacional Égua de Marcha. 

O pódio da categoria contou ainda com a presença de outras duas fêmeas de muita qualidade: a 1ª Reservada Grande Campeã Nacional Égua de Marcha, Chaleira SP do Papu, de 57 meses, exposta por Eduardo Figueiredo Augusto e selecionada por Arnaldo de Almeida Prado Filho, e a 2ª Reservada Grande Campeã Nacional Égua de Marcha, Tél Taça da S.L.G. (T.E.), de 73 meses, exposta por Jorge Eduardo Beira e proveniente da seleção de Celso Cerávolo Paoliello. 

Promovida pela ABCCRM, a 43ª Exposição Nacional contou com a participação de 80 conceituados criatórios, provenientes das cinco regiões do país e responsáveis pela apresentação em pista de 490 animais.  

Por sua vez, a tarefa de avaliar o quesito marcha e dinâmica coube ao trio de jurados composto por André Fleury Azevedo Costa, Guilherme Zagnolli e Lucas Fernando Augusto. Para conferir os resultados completos da mais importante mostra do cavalo de sela brasileiro, acesse o portal oficial www.cavalomangalarga.com.br

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br