Publicidade:

Café encerra semana com valorização e com mercado preocupado com oferta global



O mercado futuro do café arábica encerrou as cotações desta semana com valorização para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). A principal referência encerrou a sexta-feira (8) com avanço de 1,74%. 

Dezembro/21 teve alta de 345 pontos, negociado por 201,35 cents/lbp, março/22 registrou valorização de 345 pontos, valendo 204,25 cents/lbp, maio/22 teve alta de 330 pontos, valendo 205,70 cents/lbp e julho/22 teve alta de 330 pontos, valendo 205,70 cents/lbp. No acumulado semanal, o contrato referência (dezembro/21) registrou avanço de 0,50%. 

De acordo com análise do internacional Barchart, o café ainda teve suporte nos números divulgados pela Organização Internacional do Café (OIC) na última quinta-feira (8). "A OIC reduziu sua estimativa de superávit global de café para 2021/21 de 2,63 milhões de sacas de 2,63 milhões de sacas para 2,39 milhões de sacas, ao aumentar sua estimativa de consumo global de café para 167,26 milhões de sacas, ante uma estimativa anterior de 167,01 milhões de sacas", voltou a destacar a publicação

As chuvas começaram a chegar no parque cafeeiro, mas ainda de forma muito tímida, apesar de favorecer a abertura de algumas floradas em várias regiões produtoras do país. Aqui no Brasil, acompanhando mais de perto as condições do parque cafeeiro, analistas mantêm a projeção de preços firmes para o café, principalmente porque o setor ainda não o real impacto no potencial produtivo da safra 2022 - que já começa sentindo os danos da seca prolongada e de três geadas. 

Na Bolsa de Londres, o café tipo conilon encerra a semana com estabilidade. Novembro/21 teve queda de US$ 2 por tonelada, valendo US$ 2117, janeiro/22 encerrou valendo US$ 2116 - sem variações, março/22 teve alta de US$ 5 por tonelada, valendo US$ 2081 e maio/22 teve alta de US$ 6 por tonelada, valendo US$ 2061.

 No Brasil, o mercado físico acompanhou o exterior e encerrou a semana com valorização nas principais praças de comercialização do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 0,82% em Poços de Caldas/MG, negociado por R$ 1.235,00, Patrocínio/MG teve alta de 1,22%, valendo R$ 1.245,00, Araguarí/MG teve alta de 1,69%, valendo R$ 1.200,00, Campos Gerais/MG teve alta de 1,41%, valendo R$ 1.219,00 e Franca/SP teve alta de 2,44%, valendo R$ 1.260,00.

O tipo cereja descascado teve alta de 0,73% em Poços de Caldas/MG, negociado por R$ 1.375,00, Patrocínio/MG teve valorização de 1,18%, valendo R$ 1.290,00 e Campos Gerais/MG registrou alta de 1,35%, valendo R$ 1.279,00.

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br