Publicidade:

Compradores de carne bovina da China esperam que o comércio com o Brasil seja retomado em breve, apesar dos casos de "vaca louca"



Importadores chineses de carne bovina disseram na segunda-feira que a suspensão das exportações do principal fornecedor do Brasil devido a dois casos de doença da vaca louca não teve impacto imediato no mercado, com alguns ainda fazendo compras em antecipação a uma rápida retomada do comércio .

O Brasil disse no sábado que havia confirmado dois casos de doença "atípica" da vaca louca em diferentes estados e estava suspendendo as exportações de carne bovina para a China como parte de um acordo prévio sobre a questão com seu principal comprador.

Mas apesar da participação dominante do Brasil de 40% nas importações de carne bovina da China, os preços não haviam se movido até segunda-feira e alguns importadores ainda estavam em busca de negócios.

"Ainda estamos comprando, as fábricas precisam manter seus estoques", disse Grace Gao, gerente geral da importadora Goldrich International, de Dalian.

A vaca louca 'atípica' é considerada de menor risco do que a forma clássica da doença, pois ocorre naturalmente e apenas esporadicamente em bovinos mais velhos.

A doença 'clássica' da vaca louca, ou BSE, é transmitida por alimentos contaminados e foi associada à variante da doença de Creutzfeldt-Jakob em pessoas.

O Brasil suspendeu as exportações por 10 dias em 2019, após relatar um caso 'atípico'.

"Presumo que o governo chinês não banirá as importações", disse Pan Chenjun, analista sênior do Rabobank. "O Brasil é tão importante."

A autoridade alfandegária da China não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

O Brasil embarcou mais de 500.000 toneladas de carne bovina para a China de janeiro a julho deste ano, ou 38% das importações totais da China, mostram dados da alfândega chinesa, colocando-o bem à frente do fornecedor nº 2, a Argentina, que forneceu pouco menos de 300.000 toneladas.

As ofertas globais de carne bovina estão muito apertadas e os preços já estão em níveis recordes, acrescentou outro grande comprador de carne bovina da China.

“Se durar apenas 15 dias, não haverá impacto nenhum. O Brasil ainda está produzindo e leva dois meses para embarcar carne para cá”, acrescentou, recusando-se a se identificar porque não tem permissão para falar com a mídia.

Enquanto as importações de carne suína da China estão caindo devido à recuperação da oferta doméstica, a demanda chinesa por carne bovina continua crescendo.

A Irlanda, um fornecedor menor de carne bovina da China, relatou um caso de doença "atípica" da vaca louca em maio do ano passado. Ainda não foi possível retomar as exportações.

fonte : www.noticiasagricolas.com,br

 

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br