Publicidade:

RESPONSÁVEL Brasil tem 235 fazendas produtoras de soja certificada



 

Certificações representam boas práticas agrícolas e significativos impactos sociais.

Um levantamento feito pela a Round Table on Responsible Soy Association – Associação de Soja Responsável (RTRS), organização global multisectorial formada pelos principais representantes da cadeia de valor da soja, como produtores, indústria, comércio, finanças e a sociedade civil, mostra que a produção de soja responsável e certificada já está presente em todas a regiões produtoras do Brasil. 

O país é o responsável por 83% da produção mundial e o cenário consolidado em 2020, mostra produção total de aproximadamente 3,7 milhões de toneladas de soja certificada, com expectativa de crescimento. 

As previsões para 2021 confirmam a tendência de alta. A soja certificada RTRS ganha cada vez mais adeptos porque processadores e produtores de alimentos contam com a segurança nos processos ao adquirirem os produtos de soja”, afirma o Consultor Externo RTRS no Brasil, Cid Sanches.

A região de Mato Grosso, Rondônia e Pará é a grande produtora de soja certificada do país, possuindo 89 propriedades com o selo RTRS, com capacidade de produção estimada em 1,7 milhão de toneladas do grão.  O famoso corredor do MATOPIBA (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) conta com 65 propriedades e uma colheita anual na casa de 1,4 milhão de toneladas. 

Outra região que surge com forte presença do grão certificado é Mato Grosso do Sul e Goiás, que possui 54 fazendas com o selo RTRS e responde por uma produção estimada em 363 mil toneladas. A parte sul do Brasil já surge também como uma importante localidade nesse segmento. Na região Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul há 22 fazendas com produção ativa do grão responsável, contabilizando cerca de 28 mil toneladas. Em São Paulo e Minas Gerais são 5 propriedades e produção aproximada de 22 mil toneladas.

Nas fazendas certificadas, 785.830 hectares trabalham em sistema de plantio direto (73% da área total plantada), e 342.072 ha com algum sistema de rotação de lavouras no verão (32% da área total plantada), a maioria deles está no sistema com algodão. E ainda, nas propriedades com selo RTRS estão 39 fazendas em sistema de integração lavoura-pecuária (16,6%).

As certificações trazem consigo não somente avanços de boas práticas agrícolas, mas também significativos impactos sociais. Segundo dados internos da RTRS do ano de 2020, mais de 10 mil funcionários diretos e mais 25 mil funcionários indiretos nas fazendas certificadas RTRS, com 60 horas de sessão de treinamento por funcionário anualmente, o que significa mais 600 mil horas de sessões de treinamento. Respeito aos direitos trabalhistas, levando segurança e qualidade de vida aos colaboradores de fazendas certificadas.

Além disso, outro pilar importante de impacto social diz respeito às comunidades nas margens das propriedades certificadas. Durante as rigorosas etapas da certificação, são verificados se existem canais disponíveis para comunicação e diálogo com a comunidade local sobre temas relacionados às atividades da fazenda produtora de soja e seus impactos. Ainda são verificadas evidências documentais da existência e uso desses canais. A certificação é um dos caminhos harmoniosos entre a produção em larga escala e o bom funcionamento de todo um ecossistema social.

fonte : www.agrolink.com.br 

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br