Soja inicia semana em Chicago operando com boas altas e preços acima dos US$ 9/bushel



 Queda nas exportações de soja dos EUA ameaça expandir estoques ...

O mercado internacional da soja começa a semana operando em campo positivo e com os preços buscando se consolidar acima dos US$ 9,00 por bushel. Os futuros do milho e do trigo também sobem, com o primeiro alcançando suas máximas em um mês na CBOT. Os futuros da oleaginosa, por volta de 7h25 (horário de Brasília), subiam entre 8,25 e 9 pontos nos principais vencimentos, com o novembro valendo US$ 9,07 e o março/21, US$ 9,16 por bushel. 

A demanda é, segundo analistas e consultores de mercado, o principal combustível para as cotações da soja. O mercado espera por novas compras da China podendo acontecer nos EUA nos próximos dias. O consumo continua crescendo e o abastecimento até o final de 2020 deve ser complementado. 

"A semana tende a começar agitada. O foco está nos fundamentos do soja e milho. Especuladores antecipando redução na produvitidade no centro-oeste americano devido a estragos provocados pela tempestade Derecho, a dificuldade no momento é de quantificar as perdas. Além do mais, comentários que o produtor americano pode ter optado por acionar o seguro e nao ter plantado tudo que planejava devido a alguns problemas climáticos", epxlica o consultor de mercado Steve Cachia, da Cerealpar.

Para esta segunda-feira (17), o mercado espera ainda os números de embarques semanais dos grãos norte-americanos, bem como, no final do dia depois do fechamento do mercado, o boletim semanal de acompanhamento de safras, ambos a serem reportados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). As expectativas do mercado indicam uma redução de 2% no índice de lavouras de soja e milho em boas ou excelentes condições. 

MERCADO BRASILEIRO


Como explica o consultor de mercado Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, esta semana deverá, mais uma vez, ter foco no mercado interno e na demanda pela indústria processadora que segue forte e pagando para garantir que a pouca oferta de soja disponível permaneça no país. 

"O mercado da soja da safra atual deve perder ritmo nos negócios nos portos porque os níveis internos vão seguir pagando mais e assim os negócios que aparecerem devem se concentrar no interno e pouco nos portos", diz o consultor. 

E mais do que isso, volta a dizer que as importações tendem a continuar crescendo, "porque a soja de fora já esta competitiva e assim pode atrair maior movimentação". 

Os vendedores, como explica Brandalizze, deverão seguir mais reticentes e isso ajuda a manter os indicativos ainda fortes no mercado brasileiro.

Veja como fechou o mercado na última sexta-feira (14):

+ Soja: indústrias chegam a pagar prêmios de até US$ 2,20 (US$ 0,40 acima do que pagam os exportadores)

Tags:
 
Por:
 Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja

Fonte:
 Notícias Agrícolas


    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br