Balsa no Rio Xingu já completa 3 meses sem funcionar, produtores reclamam



 Ponte sobre o Madeira para unir o Acre ao país começa a ser construída | O  Alto Acre



Nesta terça-feira (25) completou-se 3 meses que a balsa do Rio Xingu, está paralisada. A medida foi adotada como prevenção e combate ao avanço do corona vírus (COVID 19) em MT.

As embarcações ligam o Nortão do estado à região do Norte Araguaia pela MT-322. Quem administra as balsas, são os próprios índios que fazem rodizio.

Quem utiliza balsa para fazer transportes de grãos e de gado, o prejuízo econômico está alto, de acordo com informações de um produtor rural de Confresa, com a paralização da embarcação, os caminhos e carros estão precisando dar uma volta de cerca de mil km.

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, foram tentados alguns acordos junto às lideranças indígenas para a manutenção do serviço, com horários reduzidos e com a adoção das medidas de prevenção cabíveis, de forma a não prejudicar o deslocamento das pessoas nestes locais, muitas delas da própria região.

Porém, os índios insistiram em parar as operações. “O funcionamento da embarcação é dos índios e o Estado não tem objeções quanto a essa questão. Como os índios insistiram em suspender as atividades, coube a nós acatar o pedido deles”, explicou o secretário.

Outras balsas

Apesar da suspensão das operações da balsa sobre o rio Xingu, as demais operações de transporte hidroviário em Mato Grosso seguem normalmente, com a adoção de medidas de prevenção ao corona vírus. Continuam operando as balsas que fazem a travessia sobre os rios Arinos, Verde, Juruena, Teles Pires, Apiacás e Rooselvelt.





FONTE AGENCIA DA NOTICIA

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br