90% das lavouras argentinas usam plantio direto





O percentual de lavouras om plantio direto na Argentina chega a 90%, segundo informações divulgadas por um levantamento da Cereal Exchange. A consultoria explica também que o sistema foi promovido pela Associação Argentina de Produtores de Semeadura Direta (Aapresid) pelo motivo de possuir um grande potencial no sequestro de carbono, na melhoria da qualidade do solo e na obtenção de produtividade sustentada das culturas. 
“De acordo com o último relatório de superfície sob plantio direto da campanha 2018/2019 preparado pela Cereal Exchange, nosso país continua na vanguarda dessa tecnologia, com valores de adoção que permaneceram acima de 90% por 10 anos”, disse o portal local Agrofy News. 
No entanto, o portal chama atenção para o fato de que a adoção em massa dessa tecnologia não se traduz necessariamente em melhorias no balanço de carbono, fertilidade e outros indicadores de saúde do solo. Mesmo em certas regiões, o progresso dos processos de degradação do solo ainda é observado. 
“Nesse sentido, rotações, plantio de gramíneas e  culturas ou serviços de cobertura (SC)  são práticas-chave dentro de um verdadeiro sistema de plantio direto. No caso do SC, além de 'cobrir o solo', permitem melhorar o manejo da água, o controle da erosão e a densidade das ervas daninhas, favorecem a biodiversidade, a diminuição da carga de insumos sintéticos, entre outros", completa. 
E por isso, eles explicam, incluíram informações relacionadas com o plantio de culturas de serviços e a inclusão de grama na rotação. Os dados provêm da Pesquisa de Tecnologia Agrícola Aplicada (ReTAA) e do Panorama Agrícola Semanal (PAS) da Bolsa de Cereais.   





fonte agrolink


    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br