Ponte é alteada após rio Arara transbordar e encobrir pista na BR-425





O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) iniciou o alteamento da ponte sobre o rio Araras, nesta segunda-feira (4), na Zona Rural de Nova Mamoré (RO), a 330 quilômetros da capital Porto Velho. A obra está sendo feita no local porque o rio transbordou e água encobriu a pista. O alteamento vai deixar o trânsito interrompido parcialmente na BR 425.
No domingo (3) o rio transbordou e a água passou sobre a ponte. Para evitar que Nova Mamoré e Guajará-Mirim (RO) fiquem isoladas do restante do estado, autoridades optaram por um alteamento na estrutura.
A previsão seria do fechamento total da ponte no domingo para elevação dos ‘pranchões’, mas, após estudos no local, a obra será iniciada nesta segunda-feira com a interrupção imparcial da passagem de veículos.
De acordo com o Dnit, a ponte só poderá ser alteada em cerca de 50 centímetros, já que se passar dessa altura o tráfego de veículos mais altos, como carretas e ônibus, terá de ser interrompido.
Por causa dos trabalhos de alteamento da ponte, o tráfego de veículos será interrompido a cada uma hora. O Dnit pede aos motoristas para passarem pelo local somente se for caso de emergência, pois a passagem dos veículos atrasará a conclusão da obra.


O nível do rio Araras é medido de acordo com o nível da ponte, pois no local não há réguas fluviométricas. Na manhã desta segunda-feira as águas estavam marcando cerca de 10 centímetros acima do nível da ponte.

Regiões alagadas

Conforme o aumento das águas do rio Araras e Ribeirão algumas estradas na área rural de Nova Mamoré acabam inundando e deixando famílias ilhadas. Algumas famílias que moram na 1ª, 2ª, 4ª, 5ª e 7ª linha do Ribeirão estão ilhadas.
Para chegarem a BR 425 essas famílias precisam recorrer a rotas alternativas por outras linhas como a 3ª, 8ª e 9ª linha do ribeirão. Ao todo 14 famílias já tiveram que deixar as residências.
Em torno da BR 425 alguns produtores tiveram grandes prejuízos por conta da cheia do rio Madeira, plantações de cana-de-açúcar, milho, mandioca, banana ficaram inundadas após o rio transbordar.
Em Guajará-Mirim nenhuma família teve que deixar a residência, a previsão de retirada de algumas famílias é em Abril. Atualmente o nível do rio Mamoré é de cerca de 10,85 metros.  



fonte g1ro


    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br