Fretes: Governo revê tabela, mas sem diminuição





O governo federal vai rever a tabela de fretes, mas não haverá diminuição de valores, e sim uma distribuição melhor entre os eixos dos caminhões. O objetivo, de acordo com o Ministro dos Transportes é minorar os valores pagos por quem contratar o serviço. 
A tabela, que será divulgada na imprensa nesta quinta-feira (07.06) e confirmada na sexta no Diário Oficial da União, é fruto de intensa pressão do agronegócio, aponta o analista de mercado Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica. 
“O governo está entre a cruz e a espada. Seu erro maior foi aceitar fazer a intervenção num mercado que era absolutamente livre. No máximo, deveria mexer no que lhe diz respeito, isto é, nos impostos (reduzindo ou eliminando) e não nos valores. Estabelecimento de um preço mínimo, foi a maior besteira, quero ver agora se livrar dessa”, afirma o especialista. 
O impasse surge porque, de um lado, os caminhoneiros ameaçaram com nova greve se mexer na tabela e, de outro, o agronegócio se torna inviável se for conservada a tabela. “Porque aumenta desmesuradamente os custos; algumas empresas, como a Bianchini no RS, já suspenderam todas as atividades. E ninguém quer pagar a conta, isto é, ninguém quer aceitar pagar mais caro. É mais ou menos como o Bolsa Família: deu uma vez, impossível tirar depois”, sustenta Pacheco. 
“Essa Tabela de Fretes foi feita às pressas, sem consulta a todos os envolvidos e com erros grosseiros (como quase tudo em Brasília, feito por técnicos de gabinete que não sabiam nem quantos eixos tem um caminhão comum, nem a diferença entre carga seca e perigosa). Se a solução não vier ainda esta semana, vai quebrar muita empresa no Brasil”, conclui. 



fonte agrolink

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br