Raio mata 103 cabeças de gado em Cacoal



Durante uma forte chuva que ocorreu em Cacoal na segunda-feira (9) um raio caiu em uma propriedade rural localizada na linha 8, matando 103 cabeças de gado nelore. Com o incidente, o pecuarista Paulo Elifas teve um prejuízo de cerca de R$ 130 mil. A Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) orienta que em casos de morte de rebanho, seja por desastres naturais ou por doenças o órgão precisa ser comunicado. Os animais foram enterrados na própria propriedade.
Elifas contou que o raio caiu na propriedade na segunda-feira, porém os animais mortos só foram descobertos na manhã de terça-feira (10), quando uma pessoa passou na estrada que dá acesso à fazenda e observou que haviam vários animais deitados juntos embaixo de uma árvore, mas que não se mexiam.
“Eu estava na fazenda na segunda-feira quando ouvi um grande estrondo, ainda pensei que caso um raio tivesse caído sobre a casa onde eu estava teria causado um grande estrago, porém sem saber o que havia ocorrido com o meu gado, retornei para Cacoal”, contou Elifas.
Ele contou ainda que o capataz chegou a ver os animais deitados, mas acreditou que estavam dormindo. Foi um popular que se aproximou do gado e constatou a morte. “Essa pessoa procurou a fazenda e contou para o capataz que os animais haviam morrido, logo fui informado e segui para a fazenda. Os animais estavam juntos embaixo de uma árvore comum de aproximadamente quatro metros, para se protegerem da chuva”, contou.
Com a morte do rebanho Elifas teve um prejuízo aproximado de R$ 130 mil. “Temos toda uma programação na vida comercial. Esses animais estavam separados, pois seriam colocados para engorda em seguida seriam abatidos. Agora só resta o prejuízo”, lamentou.
Após a morte dos animais, o pecuarista procurou a Idaron e informou sobre o ocorrido. Representantes do órgão foram até a propriedade na manhã da quarta-feira (15) onde confirmaram a morte por raio, em seguida os animais foram enterrados em covas abertas na própria propriedade.
“Com a árvore não ocorreu nada, eu acredito que esse raio deva ter atingido diretamente ao gado”, acredita o pecuarista.
De acordo com a veterinária da Idaron Dâmaris de Oliveira, o procedimento correto em casos de mortes de animais, por desastres naturais ou por doença, o órgão precisa ser comunicado por questões de declaração.
“O órgão precisa ser comunicado, pois no momento da declaração de vacinas é também é necessário declarar os animais mortos. Nesse caso como é uma grande quantidade, algum representante da Idaron precisa visitar a propriedade e confirmar a cauda da morte, para dar baixa nesses bovinos”, explicou Dâmaris.
A veterinária afirmou que nessa época chuvosa do ano, ocorre algumas incidências de raios que caem na área rural, no ano de 2017, por exemplo houve a morte de oito bovinos atingidos por raio em Cacoal.

FONTE DIARIO DA  AMAZONIA
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br