Colheita na reta final prevê recordes





Contrariando projeções que apontavam para possíveis perdas de produção e produtividade na safra 2017/18 de soja, em Mato Grosso, a reta final da colheita vem indicando ganhos que podem transformar o atual ciclo em novo recorde histórico à sojicultura, podendo ultrapassar 31,78 milhões de toneladas, cerca de 517 mil toneladas a mais que o colhido em 2016/17. 

A revisão foi feita pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) e eleva os números para área plantada, produção e produtividade. Dados que se confirmados ao final do ciclo darão a Mato Grosso um novo recorde na produção, área plantada e produtividade ao grão, influenciando, inclusive, a oferta nacional de soja no período. 

Na reta final da colheita, com menos de um terço da área plantada para ser finalizada, o potencial produtivo das lavouras se definiu e passou ser o principal indicador de mensuração da safra, onde se observou uma produtividade superior à projeção inicial, bem como acima do consolidado na temporada passada, saindo de 55,40 sacas por hectare (sc/ha) para 55,98 sc/ha, ganho anual de 1,06%. 

Os dados fazem parte da quarta estimativa de safra divulgada pelo Imea, no início dessa semana. Conforme os analistas do Instituto, a previsão de área ficou em 9,46 milhões de hectares, muito próxima a da última divulgação - um aumento de 0,42% -, mas acima do (recorde) semeado no ano passado, 9,40 milhões/ha (+0,59%). Em relação à produtividade, os analistas argumentam que o mês de fevereiro e o clima foram determinantes para uma visão mais refinada. Com isso, a produtividade média para o Estado ficou estimada em 55,98 sc/ha, um aumento de 1,20 sc/ha quando comparada a do último levantamento, que era de 54,78 sc/ha, e 0,58 sc/ha ante a de 2016/17, que foi de 55,40 sc/ha e recorde na série do Imea. 

Ainda como aponta a revisão do Imea, com relação à produtividade, neste momento com boa parte das lavouras já colhidas, “as perspectivas acerca dos rendimentos a serem obtidos nas lavouras mato-grossenses começam a tomar forma. Ainda cabe a ressalva de que produtores estão desfrutando de produtividades históricas e outros vivenciando problemas com as chuvas, dentro de um mesmo município. Porém, ao passar da régua para média do Estado, observa-se o ganho anual no rendimento”. 

RECORTE - Em nível regional, a nova estimativa de safra apresenta movimentações mais uniformes. A maior parte das regiões apresenta aumentos quando comparada com a da última safra. Os destaques ficaram para as regiões oeste e centro sul, que apontam aumento de 6,92% e 2,92%, e produtividade de 57,73 e 56,38 sacas por hectare, respectivamente. 

Além das duas, a norte também teve um aumento de 1,55% e produtividade de 55,82 sc/ha. Por outro lado, as regiões que tiveram decréscimo nos rendimentos, em comparação ao ano passado, foram a nordeste e sudeste, com 53,60 sc/ha e 55,82 sc/ha, queda de 0,24% e 0,13%, respectivamente. 




FONTE DIARIO DE CUIABA

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br