Série Majestade Amazônica, 60 dias do Brasil ao Peru - A capital da indústria pesqueira da Amazônia




Saindo de Iquitos, fiz uma viagem de 10 horas em barco até Letícia, cidade colombiana na fronteira com o Peru e o Brasil. Ali está o maior polo para processamento e exportação de peixes amazônicos. Os grandes bagres, ou peixes-liso, como são conhecidos, são as espécies mais valiosas.  Acompanhei Augusto Araújo, um comprador de bagres. (Ver vídeo)

Mas a pesca está em declínio. O auge ocorreu ainda na década de 90, quando os frigoríficos armazenavam 12 mil toneladas de pescado congelado a cada ano. Atualmente essa produção caiu pela metade, e pesquisadores esperam que ela continue a cair pelos próximos anos, chegando a apenas 3,5 toneladas por ano, sem que bagres, como a Dourada e Piraíba, sejam relevantes neste total.





Funcionário de frigorífico carrega Piraíba. Após a chegada a carga Peruana será congelada para fábrica de processamento e embalagem - Foto: Gustavo Faleiros, Repórter Brasil



Dispez é apenas um de dezenas de frigoríficos atuando em Letícia. A emprea tem sede em Bogotá e revende a sua produção no mescado doméstico - Foto: Gustavo Faleiros, Repórter Brasil




fonte reporter brasil 
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br