Sem Chicago, preço da soja sobe no Brasil






As cotações da soja tiveram na segunda-feira (15.01) um dia de ganhos nos preços do mercado físico brasileiro, sem a referência da Bolsa de Chicago (CBOT), uma vez que não houve sessão em função do feriado de Martin Luther King, celebrado nos Estados Unidos no dia de ontem. De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, em média os preços subiram 0,73% no interior e 0,14% nos portos.


O analista da T&F Luiz Fernando Pacheco aponta que “os preços da soja tiveram a sua primeira grande alta de 2018, segundo pesquisa desta segunda-feira do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Esalq/USP). A alta foi atribuída à ausência de Chicago, que manteve inalterada a cotação do mercado futuro e à pequena elevação do dólar, que [ontem] subiu 0,12%”. 
“Já os prêmios caíram para os meses mais próximos em Paranaguá (Fevereiro e Maio), mas subiram para os mais distantes (Junho e Julho). No mercado interno continua o abastecimento das indústrias com vistas ao atendimento das normas B-10, de aumento do uso de óleo de soja no biodiesel”, afirma Pacheco.
“O mercado de soja está intimamente ligado às cotações da Bolsa de Chicago. E esta sofre forte influência dos Fundos, que administram bilhões de dólares de terceiros e tem que apresentar resultados positivos aos seus clientes, de modo que investem pesadamente no acompanhamento das melhores oportunidades de negócios em todos os mercados futuros ao redor do Mundo”, explica o analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Fernando Pacheco.

fonte agrolink



    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br