Região arrecada R$ 30 milhões para o Fethab, mas sofre com rodovia esburacada e cheia de atoleiro







pesar de contribuir com uma arrecadação de R$ 30 milhões para o agronegócio no ano passado, a região de Espigão do Leste – Distrito de São Félix do Araguaia (a 1.132 km de Cuiabá) – não vê na prática esses recursos sendo revertidos para a manutenção das rodovias que cortam a localidade considerada como o “futuro agrícola” de Mato Grosso. Os 40 produtores da região correm o risco de perder a safra devido à falta de manutenção principalmente na rodovia MT-322.
Espigão do Leste concentra grandes produtores de soja e milho. Eles atuam numa área de 180 mil hectares e por ano contribuem significativamente para a arrecadação do Fethab – imposto estadual que é recolhido para a pavimentação e manutenção das rodovias em Mato Grosso.
Mas na prática esses recursos não têm chegado principalmente num trecho de 95 km da Rodovia MT-322 - responsável pelo escoamento da produção agrícola de Espigão do Leste.
O trecho é todo de estrada de chão e repleto de buracos. A situação se agrava no período da chuva com a formação de grandes atoleiros para os mais de 700 caminhões que trafegam diariamente na rodovia. “Nesse período muitos caminhões atolam. Se der duas horas de chuva a rodovia fica intrafegável”, afirma a vereadora de São Félix do Araguaia Cida Brandão, que há 20 anos atua na região.


O resultado disso é que os produtores correm o risco de perder toda a safra do começo do ano, que precisa ser escoada até final de fevereiro. “O governo precisa pelo menos fazer uma operação emergencial na rodovia. Se ele não correr, toneladas de soja e de milho ficarão empacadas no estado”, alertou a vereadora Cida.
Ela disse que a última obra significativa no trecho foi em 2013, quando houve o levantamento e cascalhamento da via, numa parceria entre o Governo do Estado e empresários locais. Desde então, afirma a vereadora, nunca mais houve uma manutenção.  
Cadê o Fethab?
O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, disse que a produção agrícola da região de Espigão do Leste contribuiu com R$ 30 milhões na arrecadação do Fethab em 2017.
Ele obteve essa informação dos produtores locais durante uma audiência pública na região, que ocorreu no último dia 24 de deste mês.
“Segundo o presidente da associação dos produtores de lá [Alipio Portilho], ele disse na audiência que no ano passado Espigão do Leste contribuiu com R$ 30 milhões com o Fethab, advindo do agronegócio. E no Espigão do Leste nenhum centavo foi investigo”, afirmou Fraga.
Promessas para a nova fronteira agrícola  
A vereadora Cida disse que desde 2016 o governo promete uma nova obra na rodovia. No ano passado o governador Pedro Taques foi até a região e disse que enviaria maquinários para revitalizar a estrada. Mas em 2017, a prioridade da gestão estadual foi investir em asfaltamento na região Xingu.
Para Cida a solução definitiva para o trecho de 95 km da MT-322 é a pavimentação asfáltica. “Só jogar cascalho não adianta mais, pois a estrada tem que suportar 700 caminhões por dia”, enfatizou a parlamentar.

A prefeita de São Félix do Araguaia, Janailza Taveira, observou que o distrito de Espigão do Leste é considerado a nova fronteira agrícola de Mato Grosso, onde estão presentes grandes produtores rurais, como as empresas AMAGGI e Jhon Dere. “Nós sabemos que o Estado é grande e que o governo precisa investir em várias regiões. Mas já está na hora dos governos olharem com mais atenção ao Vale do Araguaia”, criticou a gestora.
Outro lado
A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra-MT) informou, por meio da assessoria, que dentro do prazo de 15 dias enviará uma equipe para fazer a manutenção da rodovia MT-322.
Confira a nota na íntegra:
O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), informa que a MT-322, desde 2015 está sendo mantida a trafegabilidade. As ações iniciaram dentro da Reserva do Xingu onde a rodovia era considerada a pior do Estado. Após várias ações de manutenção, hoje 80% da sua extensão está trafegável e a rodovia é considerada uma das melhores do Estado.
A Sinfra informa que o trecho citado está em seu planejamento para manutenção. Esta semana será encaminhada uma equipe técnica até o local para fazer o levantamento de custos e ações que deverão ser realizadas. Dentro de 15 dias os maquinários devem iniciar a manutenção.
Durante os três anos da atual gestão, o Estado já repassou R$ 679,3 milhões dos recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) para as 141 prefeituras. Pela lei do Fethab, os valores devem ser utilizados pelas administrações municipais na manutenção de rodovias estaduais não pavimentadas, e também na recuperação e construção de pontes.





FONTE MUVUCA POPULAR

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br