O escoamento de carne bovina permanece lento, mas poderá melhorar no curto prazo






O escoamento da produção dos frigoríficos, a venda de carne bovina, está lenta.

Quanto ao boi gordo, coexistem dois cenários:

1. Há regiões onde a oferta começa a ter incremento, em função das boiadas confinadas que começam a ser entregues. Se observa uma quantidade maior de lotes maiores sendo negociados, para compor as escalas de abate dos frigoríficos. Nessas regiões a pressão é de contenção da cotação.

2. Há também regiões onde a oferta está escassa, devido à forte seca. Esse cenário é comum principalmente na região Norte do país.

Isso tem causado achatamento das escalas e é possível ver indústrias com apenas um dia de programação.  

Consequentemente, os preços, nestes casos, se não têm força para altas, devido à demanda, também não há espaço para queda, e isso mantém as cotações firmes. 

Sazonalmente o consumo ganha força no último bimestre do ano, devido ao décimo terceiro salário. Também vale destacar os feriados prolongados, que podem aumentar a demanda pela carne. É esperar para ver.



fonte scotconsultoria


    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br