Indígenas fazem protestos para exonerar coordenadora do DSEI Xingu




Indígenas que protestam contra a nomeação da nova coordenadora do DSEI (Distrito de Saúde Especial Indígena) Xingu, fizeram novamente uma passeata pelas ruas da cidade e se encontraram com vereadores em frente à Câmara Municipal na manhã desta quinta-feira, 14. Foi um movimento pacífico, mas que expos conflitos.

Escrevo esse texto na primeira pessoa, porque estive presente também como vereador. Todos os parlamentares ali presentes, ouviram atentamente a fala dos caciques e lideranças. Isso demonstra respeito. Mesmo não cabendo ao vereador a decisão de quem fica e de quem sai no DSEI, é preciso ouvir e fazer o que está ao nosso alcance.

Conforme os indígenas, em resumo, eles não irão permitir que a coordenadora nomeada faça seu trabalho e que o movimento não termina até que ela saia do posto. O recado é que o movimento irá endurecer, podendo partir pra violência. Os indígenas se sentem indignados no que chamam de desrespeito por indicação política sem consulta aos povos do Xingu.

Canarana é considerada a cidade Portal do Xingu e ganha muito com esse título, não só por conta dos indígenas do Xingu, mas também Xavante. Os indígenas participam ativamente da sociedade, principalmente na economia e no esporte. A relação é boa, mas não deixa de haver rusgas históricas e falta de entendimento sobre as diferenças culturais.

Além da principal reivindicação, o momento também serviu para os xinguanos exporem outras situações, do passado e do presente, ficando muito bem claro que há ainda muitas questões mal resolvidas dentro dessa relação histórica entre eles e os ‘brancos’, que vai desde a ocupação e uso da terra, até a relação política ou mesmo social do dia-a-dia.

Como representantes da sociedade, nós vereadores temos o dever de ouvir as reivindicações de todos os grupos e trabalhar não somente para resolver o problema imediato, mas fazer uma leitura para entender a causa dos conflitos e trabalhar por uma relação melhor. Enquanto uns gostam de pôr lenha na fogueira, outros precisam dialogar e somar forças.

O poder de nomear ou de exonerar cargo de coordenadoria no DSEI Xingu vem da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), que fica em Brasília, não dos vereadores. Mas fomos procurados por sermos representantes da sociedade e, naturalmente, um canal de cobrança. Os indígenas estão em seu direito de reivindicar por aquilo que acham melhor.

No período da tarde, a Câmara Municipal fará um documento que será assinado pelos vereadores e enviado ao Ministério da Saúde pedindo que o anseio dos indígenas seja aceito. Anteriormente, um pedido foi enviado para a coordenadora nomeada pedindo a sua exoneração, o que não aconteceu até esta data.


Fonte: O pioneiro

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br