Pouca oferta de matéria-prima mantém preço da carne firme e valoriza arroba do boi gordo





Mercado em alta em todo o país.

É a oferta curta que dita o ritmo. São os animais de cocho que garantem a maior parte da escala das indústrias. Animais de pasto não aparecem em grande quantidade.

A dificuldade de compra de matéria-prima, que se arrasta há pelo menos duas semanas, já faz algumas indústrias pularem dias de abate ou então trabalhar com ociosidade crescente.

Mesmo com o consumo de carne em retração, natural para este período do mês, há um alinhamento com a disponibilidade do produto e os preços no atacado permanecem firmes, com tendência de alta, reduzindo a pressão sobre a margem das indústrias, mesmo pagando mais pela matéria-prima. Isso é importante para manter as valorizações, no mesmo ritmo, desde o começo do mês.

É comum e recorrente, em todo o país, negociações com boi gordo e vaca gorda acontecerem acima das referências. Por outro lado, quem oferta preços menores, quase sempre, não efetiva os negócios.

No curto prazo, a oferta curta é praticamente certa. Resta ficar de olho na situação de venda de carne, que será o fator a modular a alta de preços.



fonte scotconsultoria

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br