Marasmo no mercado de reposição do Pará





As seguidas recuperações nas cotações da arroba no estado, viabilizadas pela baixa disponibilidade de animais terminados, não foram suficientes para aumentar o ímpeto dos compradores de animais de reposição.

Outro fator que colabora com o compasso lento das negociações é o clima. A estiagem no Pará chegou mais cedo que o previsto e não há probabilidades de chuva para os próximos três meses. Por essa razão os pastos estão com fraca capacidade de suporte e em curto prazo não há perspectiva de melhora para esse cenário.

No balanço anual, em média, o preço de todas as categorias de reposição recuou 7,0%, frente a 4,2% de queda para o boi gordo. Esse cenário melhorou a relação de troca.

Em agosto do ano passado, por exemplo, comprava-se 1,8 bezerros de 7,5@ com o preço de venda de um boi gordo de 16,5@, atualmente compra-se 1,9. Melhora de 4,5% no poder de compra do pecuarista.

A expectativa é que os ajustes positivos no mercado do boi gordo movimentem o mercado de reposição, entretanto a condição climática do estado demanda cuidado nas negociações.

Locução feita por: Janaína Lopes.

Análise de: Marina Zaia.
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br