ICMS para comercialização de suínos em pé será reduzido pela metade em Mato Grosso





A alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a comercialização de suínos para o abate fora do Estado será reduzida de 12% para 6% nos próximos dias.

A alteração aguarda apenas a publicação de Decreto pela Secretaria de Estado de Fazenda, que atende parecer emitido pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Carlos Avalone. A confirmação foi feita na terça-feira (1), durante reunião entre o  deputado  Dilmar Dal' Bosco (DEM) e representantes da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat). 


A norma, que pretende dar 'fôlego'  ao setor, terá validade de 90 dias, prazo no qual a Sedec deverá elaborar projeto de incentivo ao desenvolvimento de toda cadeia, a exemplo do extinto Programa Granja de Qualidade, instituído em 1995.

O objetivo, segundo a Pasta, é fomentar a suinocultura mato-grossense e ajudá-la a superar a crise, causada pela instabilidade no preço da ração e pela operação 'carne fraca' que também atingiu o setor e colocou a cadeia em risco.

O Programa tinha como principal objetivo incentivar a produção de suínos com alta tecnologia e obedecendo aos preceitos da qualidade e sanidade animal. O governo já assegurou  a redução de 7% para 4% para comercialização do boi em pé e garantiu ainda a prorrogação, por mais 10 anos, da isenção do ICMS do peixe produzido em Mato Grosso.

Foi informando ainda que com a redução, Mato Grosso retoma a competitividade em relação aos estados do Sul (Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná), considerados os maiores revendedores de suínos do Brasil.

De acordo com o  diretor executivo da Acrismat, Custódio Rodrigues de Castro Júnior,  cerca de 8% da nossa  produção  é vendida fora do estado. Ele aponta que em 2016 foram abatidas 250 mil toneladas e, de janeiro a junho deste ano, o abate  já ultrapassou 190 mil, com projeção para chegar a 400 mil toneladas até dezembro.

"O governo começa a enxergar a cadeia da suinocultura como um setor que traz renda para o Estado e agrega valores à produção. Entretanto, nossa situação no momento é muito difícil.  A redução da alíquota de ICMS  na saída de suínos para o abate fora do Estado é vista como fator decisivo para nossa recuperação e para atração  de novas indústrias", afirmou o Diretor.


fonte olhar direto


    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br