Ministro Blairo Maggi afirma que invasão de fazendas é "meramente política"






O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Blairo Maggi (PP), classificou a invasão do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), nas fazendas de sua empresa  (Amaggi), do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Ricardo Teixeira e do coronel João Baptista Lima, amigo do presidente Michel Temer (PMDB), como um ato "meramente político".

"É uma invasão política. Fizeram até um manifesto. A área invadida é pequena, acho que uns 800 hectares. Mas isso é puramente político. É só ver quem cuida do MST", disse o ministro ao Hipernoticias e lembrando que o Partido dos Trabalhores (PT) tem influência no movimento.

Maggi também acredita que a invasão tem o objetivo de pressionar os deputados para a votação do dia 02 de agosto, para definir se a Câmara Federal autoriza ou não o Supremo Tribunal Federal (STF) a investigar o presidente da República Michel Temer (PMDB). "Eles vão usar todas as armas que tem. Tudo é política".

As ocupações começaram na manhã desta terça-feira (25) e devem se estender até o dia 2 de agosto. Em nota, o movimento informou que as ações coordenadas fazem parte da jornada nacional de luta pela Reforma Agrária com o lema "Corruptos, devolvam nossas terras!". Além das ocupações, o MST também inicia vigília até o dia 2 de agosto, quando deve ser julgada na Câmara de Deputados. 

Os trabalhadores rurais protestam também contra o aumento da violência no campo. Segundo o MST, foram 68 vítimas em 2017, sendo 13 jovens, 6 mulheres, 13 indígenas e 4 quilombolas. 


fonte hipernoticias

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br