MT bate recorde histórico de produção



 A produção agrícola de Mato Grosso, na safra 2016/17, foi novamente reavaliada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e deve atingir 58,60 milhões de toneladas. A supersafra local, além de assegurar recorde histórico ao Estado, mantém Mato Grosso no topo da produção nacional, com a maior oferta de grãos e algodão do Brasil. 
Ao divulgar ontem as novas estimativas, a Conab reavaliou pela quarta vez consecutiva as projeções ao Estado e pelo segundo mês seguido, adicionou cerca de 1 milhão de toneladas ao saldo total. No mês passado as estimativas apontavam para uma produção de grãos e algodão em cerca de 57,97 milhões toneladas (t). Na nova revisão, a Companhia aponta para 58,60 milhões/t. Se confirmadas, as novas estimativas da supersafra, Mato Grosso irá colher 35% a mais do que as 43,42 milhões/t consolidadas no ciclo passado. A maior expansão em percentual observada entre os grandes estados-produtores. 
O ganho mensal de produção para Mato Grosso, conforme a Conab, segue alicerçado na produtividade das principais culturas – soja, milho e algodão – que corresponderam ao clima favorável, especialmente a observada na soja e no milho safrinha, que juntos somam 55,8 milhões/t do total estimado em 58,60 milhões/t. No mês passado, as duas culturas, somavam 55,23 milhões/t de toda a oferta estimada para o Estado. O milho é a cultura que melhor correspondeu ao clima favorável dessa temporada. Somente o cereal tem projeção de crescimento de 67,9% em relação à safra passada. A soja, com colheita finalizada desde abril, ampliou em 17,2% a sua oferta e o algodão, que também está em início de colheita, aponta alta de 13,3% sobre 2015/16. 
Se os dados divulgados ontem pela Conab se confirmarem, Mato Grosso segue pelo sexto ano seguido como o produtor nacional, respondendo nessa temporada por pouco mais de 25%, um quarto da colheita nacional, também redimensionada para cima, agora em 234,3 milhões/t. 
Além de Mato Grosso, lideram a oferta nacional neste ano os estados do Paraná, com 41,62 milhões/t, crescimento anual de 16,1%, seguido pelo Rio Grande do Sul, com projeção de 35,93 milhões/t, alta de 8,8% sobre a safra passada. 
CULTURAS - Em Mato Grosso, de forma geral, os bons preços praticados, desde o início do ano, propiciaram o incremento da área total dedicada à cotonicultura na safra 2016/17, saltando dos 600,8 mil hectares na safra anterior, para 627,8 mil hectares no ciclo atual. As boas condições climáticas também têm favorecido a produtividade média do algodoeiro de primeira e segunda safras. 
No atual ciclo, estima-se rendimento médio ponderado de 3.973 kg/ha (265 @/ha), ante aos 3.664 kg/ha (244 @/ha) na safra anterior, quando sofreu com a estiagem. Assim, calcula-se produção total de algodão em caroço de 2.494,2 mil toneladas, volume 13,3% maior do que as 2.201,3 mil toneladas da safra 2015/16. 
O cultivo do algodão de segunda safra, cuja semeadura foi de 539,8 mil hectares no ciclo 2016/17, registrou incremento de 11% em relação aos 486,1 mil hectares cultivados na safra passada. A opção por determinado cultivo acontece de forma disseminada em todas as regiões do Estado, com predominância na região oeste. Não houve relato de pragas e doenças fora de controle que pudessem comprometer o bom desenvolvimento das lavouras. 
O milho segunda safra já está sendo colhido no Estado, desde a última semana de maio. Por conta das chuvas, há relatos nas referidas regiões que o cereal advindo dos primeiros talhões tem chegado às unidades recebedoras apresentando avarias acima do tolerável devido ao excesso de umidade. Tal perda de qualidade do grão causa deságio no valor recebido pelo produtor rural. Contudo, a produtividade da lavoura é compatível com a estimativa de rendimento médio de 5.679 kg/ha, número 42% superior aos 3.999 kg/ha obtidos na safra 2015/16. Dessa maneira, espera-se produção recorde de 25,29 milhões/t, volume 64% superior ao registrado no período anterior. 
Após o período da colheita da soja, o balanço geral da safra 2016/17 está sendo considerado como bastante positivo. As condições climáticas contribuíram para a produtividade média alcançada de 3.273 kg/ha, rendimento 14,9% superior à safra anterior, que foi de 2.848 kg/ha. Em relação à área plantada, a pesquisa registrou incremento de 2% na lavoura estadual de soja, saindo de 9.140 mil hectares na safra 2015/16 para 9.322,8 mil hectares na atual. 
BRASIL - A safra de grãos 2016/17 pode chegar a 234,3 milhões/t, um novo recorde. O volume representa aumento de 25,6% – ou 47,7 milhões de toneladas – frente as 186,6 milhões de t da safra passada. As culturas de milho e soja respondem por quase 90% dos grãos produzidos no país. 
Os responsáveis pela supersafra foram o crescimento de área e as produtividades médias. A previsão é de ampliação de 3,7% na área total, podendo chegar a 60,5 milhões de hectares, incluídas as culturas de segunda e terceira safras e as de inverno. 

fonte diario de cuiaba


    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br