Barra do Garças tem o maior índice de Roubos e Furtos de gado da região





Dados oficiais do Núcleo de Estatística de Análise Criminal da Delegacia Estadual de Roubos e Furtos - Derf, mostram que Barra do Garças teve o maior índice de roubo de gados nestes primeiros cinco meses até o dia 17, totalizando 10 ocorrências. O levantamento desses dados em relação ao mesmo período do ano passado ainda está sendo feito. Com exceção do município de Novo São Joaquim, não foi registrada nenhuma ocorrência. O motivo para tantos furtos na região é a possível receptação em açougues de Barra do Garças. Veja tabela abaixo.





Em 69% das ocorrências o gado furtado foi abatido no local e a carne levada para a cidade. São encontrados apenas partes do gado abatido, no denominado “crime de corredor” (quando a carne é usada para venda ou consumo local).

O delegado titular da Derf - Delegacia Estadual de Roubos e Furtos, Wilyney Santana Borges, afirma que várias prisões foram feitas. Mas os acusados não permanecem presos, por serem colocados para responder o processo em liberdade. A demanda pelo consumo da carne também dificulta a fiscalização, pois alguns lugares o produto é vendido rapidamente.

O que tem sido feito

A priorização do combate ao furto de gado através de operações ostensivas, com abordagens, prisões em flagrante em rondas noturnas, trabalho pericial e investigação policial, resultam em prisões.

Forças policiais se reuniram na quarta-feira, 17 no 2° Batalhão de Polícia Militar de Barra do Garças para tratar do assunto. A polícia juntamente com a vigilância sanitária municipal planejou estratégias de fiscalização.

O Tenente Coronel da Polícia Militar, Izac Omar Prado de Souza, do 5º Comando Regional disse que "Esse balanço contínuo das estatísticas de ocorrências de forma integrada com as forças de segurança pública do estado, traz resultados positivos no alcance das metas e nos direciona para onde o crime vem ocorrendo com mais incidência e com isso somamos esforços com as demais entidades".

Lei municipal

O vereador Júlio César (PSDB) em conjunto com o Delegado Regional da Polícia Judiciária Civil, Adilson Gonçalves, discutiram soluções que resultaram num projeto de lei para auxiliar na fiscalização destes estabelecimentos. O projeto de lei 18/2017 foi aprovado por unanimidade no dia 15 que dispõe sobre a cassação do alvará de funcionamento de empresas estabelecidas no município que venderem carnes oriundas de furto e roubo. O projeto aguarda a sanção do prefeito Roberto Farias (PMDB).

“Precisamos coibir a prática que está se tornando comum em nossa região, o roubo de gado e outros animais, para fins de abate clandestino e com isso, garantir a tranquilidade do consumidor barra-garcense” disse o vereador.

“Esta lei será importante para coibir o furto e ajudar o trabalho da vigilância sanitária” disse Wilyney.

    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br