Deputado de MT apresentará emenda para derrubar mudanças ambientais na construção da ferrovia Sinop-Pará



O deputado federal e presidente eleito da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Nilson Leitão (PSDB), disse, em entrevista, ao Só Notícias, que vai propor, nos próximos dias, emenda parlamentar para suprimir algumas suplementações e dialogar com ministro do Meio Ambiente Sarney Filho (PV) para intervir na Medida Provisória 756/2016 que alterou os limites de quatro Unidades de Conservação e criou uma nova no sudoeste do Pará para viabilizar o traçado e construção da ferrovia “Ferrogrão”. “Ocorre que a medida provisória pretende ampliar uma área de preservação ambiental. Com isso, acabará atingindo levando um prejuízo enorme para região [do Pará]. Existe muitos empresários de Mato Grosso que possuem áreas no munícipio [de Novo Progresso]. Por isso, estamos entrado com um emenda parlamentar para suprimir algumas suplementações para que venha devolver os direitos adquiridos dessas propriedades. Tivemos debatendo essa situação como ministro da Agricultura [Blairo Maggi]. Além disso, pediremos ao ministro do Meio Ambiente [Sarney Filho] para rever essa situação ou derrubaremos a medica provisória em plenário. Vamos trabalhar para que seja derrubada essa media provisória”, disse Leitão. De acordo com o parlamentar, a construção da ferrovia é necessária, mas não pode intervir na economia local dos municípios onde o traçado deve passar. “Uma coisa não pode impedir a outra fizeram um permuta para não prejudicar o traçado da passagem da Ferrogrão. Ou seja, escolheram que iria ‘morrer’. O governo não pode trabalhar desse forma. Essa alternativa de permuta de áreas para viabilizar a ferrovia não é viável ao moradores. É necessário que ocorra a passagem da ferrovia, mas não pode ser dessa maneira. Tem que acontecer de forma que não prejudique as propriedades produtivas. Conforme Só Notícias já informou, representantes de pelo menos seis bloquearam a rodovia federal, na última quarta-feira. A passagem de veículos foi interditada com pneus nas proximidades de um trevo na cidade paraense de Novo Progresso (596 km de Sinop). Empresários de diversos segmentos fecharam as portas e fizeram uma carreata pelas principais ruas e avenidas da cidade em apoio ao bloqueio. Os sindicatos dos produtores rurais, garimpeiros, madeireiros, associação comercial, Ordem dos Advogados do Brasil, membros de igrejas, clubes de serviços, conselho de pastores e lojas maçônica do município cobram a revisão ou até mesmo a revogação da medida provisória que alterou os limites de quatro Unidades de Conservação (UCs) e criou uma nova no sudoeste do Pará para viabilizar o traçado e construção da ferrovia “Ferrogrão”. Eles são contra a medida provisória que criou uma Área de Proteção Ambiental (APA), no Parque Jamanxim, em Novo Progresso, e pretende alterar os limites do Parque Nacional do Rio Novo e da Floresta Nacional (Flona). A medida foi assinada pelo presidente Michel Temer, no dia 20 de dezembro, prejudicará a economia local, já que o projeto visa apenas atender a construção da ferrovia, que liga Sinop ao Porto de Miritituba (PA). Com isso, aumentará a área de reservas e a cidade perderá área produtiva e, consequentemente, arrecadação. FONTE SO NOTICIAS
O deputado federal e presidente eleito da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Nilson Leitão (PSDB), disse, em entrevista, ao Só Notícias, que vai propor, nos próximos dias, emenda parlamentar para suprimir algumas suplementações e dialogar com ministro do Meio Ambiente Sarney Filho (PV) para intervir na Medida Provisória 756/2016 que alterou os limites de quatro Unidades de Conservação e criou uma nova no sudoeste do Pará para viabilizar o traçado e construção da ferrovia “Ferrogrão”.
“Ocorre que a medida provisória pretende ampliar uma área de preservação ambiental. Com isso, acabará atingindo levando um prejuízo enorme para região [do Pará]. Existe muitos empresários de Mato Grosso que possuem áreas no munícipio [de Novo Progresso]. Por isso, estamos entrado com um emenda parlamentar para suprimir algumas suplementações para que venha devolver os direitos adquiridos dessas propriedades. Tivemos debatendo essa situação como ministro da Agricultura [Blairo Maggi]. Além disso, pediremos ao ministro do Meio Ambiente [Sarney Filho] para rever essa situação ou derrubaremos a medica provisória em plenário. Vamos trabalhar para que seja derrubada essa media provisória”, disse Leitão.
De acordo com o parlamentar, a construção da ferrovia é necessária, mas não pode intervir na economia local dos municípios onde o traçado deve passar. “Uma coisa não pode impedir a outra fizeram um permuta para não prejudicar o traçado da passagem da Ferrogrão. Ou seja, escolheram que iria ‘morrer’. O governo não pode trabalhar desse forma. Essa alternativa de permuta de áreas para viabilizar a ferrovia não é viável ao moradores. É necessário que ocorra a passagem da ferrovia, mas não pode ser dessa maneira. Tem que acontecer de forma que não prejudique as propriedades produtivas.
Conforme Só Notícias já informou, representantes de pelo menos seis bloquearam a rodovia federal, na última quarta-feira. A passagem de veículos foi interditada com pneus nas proximidades de um trevo na cidade paraense de Novo Progresso (596 km de Sinop). Empresários de diversos segmentos fecharam as portas e fizeram uma carreata pelas principais ruas e avenidas da cidade em apoio ao bloqueio.
Os sindicatos dos produtores rurais, garimpeiros, madeireiros, associação comercial, Ordem dos Advogados do Brasil, membros de igrejas, clubes de serviços, conselho de pastores e lojas maçônica do município cobram a revisão ou até mesmo a revogação da medida provisória que alterou os limites de quatro Unidades de Conservação (UCs) e criou uma nova no sudoeste do Pará para viabilizar o traçado e construção da ferrovia “Ferrogrão”. Eles são contra a medida provisória que criou uma Área de Proteção Ambiental (APA), no Parque Jamanxim, em Novo Progresso, e pretende alterar os limites do Parque Nacional do Rio Novo e da Floresta Nacional (Flona).
A medida foi assinada pelo presidente Michel Temer, no dia 20 de dezembro, prejudicará a economia local, já que o projeto visa apenas atender a construção da ferrovia, que liga Sinop ao Porto de Miritituba (PA). Com isso, aumentará a área de reservas e a cidade perderá área produtiva e, consequentemente, arrecadação.
- See more at: http://www.sonoticias.com.br/noticia/politica/deputado-de-mt-apresentara-emenda-para-derrubar-mudancas-ambientais-na-construcao-da-ferrovia-sinop-para#sthash.u9eqlLkT.dpuf
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br