Cenário de preços do bezerro será “nebuloso” este ano, aponta Imea



Na última semana, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) divulgou os dados do rebanho no Estado, que cresceu 3,32% em decorrência “principalmente pelo aumento na quantidade de vacas”. Segundo o instituto, este processo é denominado de retenção de fêmeas e aconteceu basicamente com as vacas com mais de 36 meses. O Imea destaca que, para se ter ideia, somente esta categoria aumentou sua quantidade em mais de 1,1 milhão desde 2013. “Daí a pergunta que se faz é: por que isso aconteceu? A resposta está no preço do produto que a vaca gera, o bezerro. Após anos estagnada (fruto da oferta em excesso e da crise de 2008), a cotação do bezerro começou a avançar em 2012, e em 2015 atingiu o maior valor real da série histórica, R$ 1.437,97/cabeça”. No entanto, o instituto aponta que o preço do bezerro já começou a depreciar em 2016, e “com mais fêmeas reproduzindo em 2017, o cenário torna-se nebuloso". Fonte: Só Notícias/Agronotícias (foto: Gisele Rosso/Embrapa/arquivo)
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br