Carnes iniciam 2017 faturando seu primeiro bilhão de dólares



Não chega a ser marca inédita, pois já registrada em janeiro de 2013 e 2014. De toda forma, o simples fato de as exportações das três principais carnes in natura – suína, bovina e de frango – terem iniciado 2017 com receita cambial superior a US$1 bilhão é, sem dúvida, extremamente animador. Porque, principalmente, as exportações do início de cada exercício ficam, em geral, entre as menores do ano.
Comparativamente ao mês anterior, nos embarques de janeiro a carne suína registrou incremento de volume de quase 27%, enquanto as carnes bovina e de frango embarcaram, praticamente, o mesmo volume alcançado em dezembro (redução de, apenas, 0,13% e 0,43%, respectivamente. Já em comparação a janeiro de 2016 o avanço foi significativo para as três carnes: de 11,78% para a carne bovina, de 13,66% para a carne de frango e de 39,32% para a carne suína.
No tocante ao preço médio, uma única exceção. Da carne bovina, cujo preço apresentou recuo, de um mês para outro, de 3,55%, enquanto a carne suína valorizou-se quase 1% e a de frango perto de 6%. Mas relativamente a janeiro do ano passado as três registraram melhora de preço. A bovina, de quase 3,5%, a de frango, de 19,38% e a suína, de 26,49%. 
O efeito maior desses bons desempenhos é observado na receita cambial que, pela primeira vez nos três últimos janeiros, alcança a marca do bilhão de dólares. Percentualmente e relativamente a janeiro de 2016, o maior avanço foi da carne suína, cuja receita aumentou mais de 76%. A carne de frango vem a seguir com (sem dúvida, excepcionais) 35,69% de incremento. Mesmo registrando a menor evolução, a carne bovina apresentou boa expansão na receita: +15,66%.
Notar que, a despeito do destacado incremento da carne suína (+76,22%), quem mais contribuiu para o aumento da receita no mês foi a carne de frango. Ela respondeu por cerca de 58% do adicional (em relação a janeiro/16) de US$239,6 milhões registrado no mês, enquanto a carne suína respondeu por, aproximadamente, 23% e a carne bovina por 20% do adicional.
Em termos globais – isto é, considerada a receita de pouco mais de US$1 bilhão – a carne de frango contribuiu com 52,4% do total, a carne bovina com 35,2% e a suína com os restantes 12,4%.
F
FONTE AVESITE
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br