Usuários da Balsa do Rio Xingu denunciam “abusos” por parte dos indígenas e a falta de segurança



Motoristas que precisam usar a balsa que opera no Rio Xingu, localizada há 40 km do município de São José do Xingu denunciam os abusos por parte dos indígenas e também a falta de segurança durante as travessias, além dos valores exorbitantes cobrados pelos índios. De acordo com um motorista que não quis se identificar por medo de represálias, os indígenas tomaram a força seu aparelho celular após ele tirar fotos do rio, além disso, usuário contou que dois índios usaram da força para intimida-lo, durante conversas os dois indígenas os mesmos aceitaram devolver apenas o chip e o cartão de memória do aparelho. A balsa que opera das 07hs da manhã até ás 18hs da tarde conta com apenas três tripulantes. Outro assunto bastante questionado é a falta de segurança, a embarcação não conta com coletes ou botes salva-vidas caso haja algum acidente. Já os preços cobrados por cada travessia é de assustar á quem precisa usar o serviço, motos R$ 40 reais, carros de passeio é cobrado R$ 80 reais, caminhonetes R$ 90 reais e caminhão e carretas variam de R$ 200 á 300 reais, no caso de ônibus é cobrado R$ 20 reais por passageiro. A embarcação também não tem mais as grades laterais de proteção, segundo um dos indígenas as grades foram destruídas após um trator cair dentro do rio. Os motoristas que precisam usar a balsa que é única opção que liga o Norte do estado á região Araguaia-Xingu temem pela falta de investimentos. Recentemente o governo do estado de Mato Grosso reformou um dos rebocadores. Fonte Agencia da Noticia
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br