Associação cancela Expocer, garante prestar contas e culpa aliados de prefeito por perseguição



Em documento de três páginas enviado ao Extra de Rondônia, a Associação dos Criadores de Cerejeiras (ACC) rebate supostas acusações que teriam sido feitas pela Associação Comercial e Industrial de Cerejeiras (ACIC) acerca da falta de lisura nas prestações de contas das feiras agropecuárias que realizou em Cerejeiras. Além disso, a “Nota de Esclarecimento” faz alusão ao Poder Público local que, de acordo com os associados, estaria interferindo politicamente para prejudicar a entidade e sabotar os eventos promovidos pela Associação dos Criadores de Cerejeiras. O comunicado reitera que não haverá exposição este ano; além de desmentir rumores acerca da falta de transparência quanto aos balanços das edições passadas do evento, o que segundo os organizadores não é verdade. No final do manifesto a entidade comunica que pode tomar medidas em âmbito jurídico caso a idoneidade da ACC e de seus diretores continue a ser questionada. >>> CONFIRA ABAIXO A ÍNTEGRA DA NOTA OFICIAL: Após a decisão dos membros da diretoria da Associação dos Criadores de Cerejeiras (ACC) de não realizar o evento “Expocer” neste ano de 2016 (em reunião da diretoria em 22 de março de 2016), houve repercussão nas redes sociais em geral e após a nota divulgada pelo jornal Extra de Rondônia onde a Associação Comercial e Industrial de Cerejeiras (ACIC), através de seu presidente Marcelo Ferreira Freitas, divulgou pelo whatsapp a sua posição em relação ao evento, de que não é a favor da realização do evento, devido à falta de ética e transparência da atual diretoria. A diretoria da ACC vem informar a sociedade e a todos os interessados, em especial a ACIC, que todos os anos foram prestados contas dos nove eventos “Expocer” através da imprensa do município, que antes de ter uma rádio legalizada, era divulgada através da rádio do Sr. Wilson Aguiar, sempre foi feito reunião de prestação de contas, onde são convidados a todos, através de notas na imprensa oficial do município, reuniões estas, que antigamente eram realizadas na câmara municipal e depois passou a ser realizada no parque de exposição, sempre aberta a todos que se interessavam em saber da real situação do evento, assim como todos os associados e demais interessados, inclusive aos patrocinadores do evento. Também é divulgada a prestação de contas no mural oficial da prefeitura municipal, que até esta data ainda se encontra no mural a última prestação de contas da Expocer 2015. Já que é para esclarecimento da população cerejeirense, a associação ficou calada por alguns anos, mas devido à divulgação de tantas mentiras e suspeitas sobre o evento, a associação e a índole de seus dirigentes, vamos tornar público a real situação, que esta vem enfrentando. Além da crise econômica a nível nacional que afeta a todos, pessoas e comércios em geral, há um grande problema por trás deste evento. Em 2013 começou uma grande perseguição política em relação ao evento, onde os aliados do nosso representante municipal, ilustríssimo prefeito, resolveu que iria assumir o evento, que através de uma entidade iria realizar a festa. Porém a legalidade de outra entidade realizar o evento é nula, pois a associação dos criadores de cerejeiras detém o direito de realizar a “Expocer” no município de Cerejeiras, esse impasse quase atrapalhou a realização da “Expocer 2013”, que teve só 40 (quarenta) dias para organizar a realização do evento. Não contente com essa situação, os aliados que não conseguiram realizar a “Expocer 2013” procuraram o Ministério Público em Cerejeiras e formalizaram uma denúncia sobre supostas irregularidades nas prestações de contas do evento, através dos autos nº 2013001010005805, houve também um inquérito policial civil de nº 007/2013, quebras sigilos bancários e telefônicos e após as investigações sobre a associação e a vida dos seus membros, inexistindo fundamento para ajuizar ação civil pública, o processo foi arquivado por ausência de materialidade. O que deixou claro que nunca houve desvios de recursos financeiros e de que sempre ocorreu a transparência nas prestações de contas dos nove eventos “Expocer”. Após a sentença do arquivamento do processo, começou murmurios de que estava sendo criada uma nova associação para realizar o evento, após esses murmurios, o município de Cerejeiras, iniciou um novo processo contra a Associação dos Criadores de Cerejeiras (ACC), só que este, solicitando a reintegração de posse da área onde se encontra o parque de exposição de cerejeiras, que é mantido pela associação dos criadores de cerejeiras, este processo concluído em 1ª instância, no Tribunal de Justiça da comarca de Cerejeiras, sob nº 0001880-77.2015.8.22.0013, sendo sua sentença final em favor da associação dos criadores de cerejeiras (ACC). Há três anos, por coincidência, o município não incentiva o evento, além de não ajudar, ainda atrapalha prejudicando os convênios que são destinados ao parque de exposição, estes que foram devolvidos os recursos, sem mesmo a associação tomar conhecimento. Convênios estes destinados ao evento, que não podem ser utilizados para outra finalidade, que foi devolvido ao ministério e foi destinado a outro evento da mesma característica. A Associação dos Criadores de Cerejeiras vem realizando nos últimos anos a “Expocer” sem apoio do poder público, somente com o apoio dos empresários do nosso município e patrocinadores de outros municípios, como por exemplo o número de empresas de Vilhena que patrocinam a “Expocer”. A Expocer 2016, não ocorrerá, pois não há incentivo do poder público e nem dos empresários da sociedade cerejeirense, que conforme o áudio divulgado neste jornal mostra quem está por trás atrapalhando o evento que movimenta a economia local, hoje há uma prova de que a ACIC se movimenta para isto e em outros anos houve pedidos para que os sócios não patrocinassem o evento, em reuniões internas desta entidade. Como através de meios legais não conseguiram impedir a execução do evento, foram implantadas mentiras sobre o evento “Expocer”, onde colocam a população contra a associação (e seus membros) por pura perseguição política, pregando aos quatro cantos da cidade que não é prestado contas, o que de fato, sempre foi prestado contas e a associação mantém a contabilidade em dias, que a mesma é realizada no escritório contábil líder, que também foi notificado a prestar informações contábeis sobre a associação na época que estava sendo investigada. Afinal no poder vale tudo, se não consigo por meios legais, vou implantar a discórdia e a suspeita da população através de mentiras, que também prejudica o evento e a índole de seus membros. Que fique claro a população cerejeirense que após a investigação realizada sobre o evento, que não foi comprovado que houve má prestações de contas ou supostos desvios de recursos financeiros, ficou provado sobre a índole e a ética da associação e seus dirigentes. E que, se por ventura, continuarem as mentiras, calúnias e difamações da entidade e/ou seus membros, os mesmos que proferirem sobre o assunto deverão provar judicialmente que estes realmente “roubam” como pregam por aí. A associação dos criadores de cerejeiras (ACC) sempre esteve e estará aberta a entrada de sócios, ideias e ajudas em geral, sempre esteve e estará aberta a qualquer questionamento, nunca foi uma entidade fechada a publicidade de suas contas, e continua aberta a qualquer esclarecimento em relação a prestação de contas e a matéria postada neste jornal.   Cerejeiras/RO, 26 de março de 2016. Diretoria da ACC . Fonte Extra de Rondônia
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br