Preço da carne acumula alta no último ano em Mato Grosso



O preço da carne bovina sofreu uma alta de 4,71% nos últimos 12 meses. O levantamento é do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) e mostra que o corte com maior reajuste foi a costela, que passou de R$ 9,91, em janeiro de 2015, para R$ 11,67, em média, no último mês. O acém foi o segundo corte com maior alta, passando de R$ 12,09 para R$ 13,91. O patinho acumulou inflação de 14,97%, saindo de R$ 19, 13 para R$ 22. De acordo com o levantamento, o preço médio da carne no Estado permaneceu praticamente estável no último mês, em relação à dezembro, acumulando alta de apenas 0,14%. O lagarto foi o corte com maior reajuste (+7,8%), seguido pelo patinho (5,62%) e o filé mignon (+ 4,47%).O cupim teve a maior queda em 30 dias, ficando 6,24% mais barato. O preço da alcatra também caiu 5,11%, assim como da capa de filé (4,70%). O Imea não divulgou os valores do último mês. O instituto apontou que Mato Grosso diminuiu as exportações no ano passado e destacou as dificuldades financeiras do setor. No entanto, “alertou” que a depreciação da moeda brasileira frente ao dólar tem compensado o mercado externo. “A exportação se mostrou uma boa saída para “driblar” o momento delicado da economia. Vê-se que o preço nominal da Tonelada Equivalente Carcaça (TEC) mato-grossense nunca foi tão alto. Em 2015, a arrecadação média para cada tonelada exportada foi de R$ 11,7. A diversificação de mercados se mostra importante e prospectar novos negócios no exterior favorecerá não só a indústria, mas poderá refletir em elevação dos preços da arroba do boi gordo”. O boletim da bovinocultura é divulgado, semanalmente, pelo Imea.  
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br