Complexo de Piscicultura do Acre é pioneiro na certificação para exportação do Pirarucu



O Complexo de Piscicultura Peixes da Amazônia está preparado para alcançar o mercado internacional. O Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) certificou o cadastramento do plantel de reprodutores de pirarucu do complexo, na última segunda-feira, 1. A empresa é a primeira a receber o certificado no Acre, sendo também uma das pioneiras no Brasil. Para garantir a exportação de um produto de qualidade sem ameaçar a espécie, que é considerada vulnerável, foi necessário que o governo colocasse em vigor uma instrução normativa que regulamentasse a atividade, por meio de cadastro e licenciamento. O diretor-presidente do complexo, Fábio Vaz, afirma que a certificação é a única forma de garantir a sustentabilidade da produção. “A certificação do Imac e o acompanhamento do Ibama é a garantia que todo pirarucu processado no complexo é de origem sustentável. Esta espécie consta na lista de extinção, e nós temos o compromisso de garantir uma produção sustentável”, disse. A oportunidade de regulamentar a exportação do pirarucu é mais uma alternativa produtiva que reforça toda a cadeia, com a valorização e o incentivo aos produtores de cativeiro. “Trata-se de mais um passo para potencializar a cadeia produtiva da piscicultura. O pirarucu é uma espécie de peixe muito apreciada no mercado gastronômico, e agora com a possibilidade de exportar, certamente vai agregar ainda mais valor ao produto”, destacou o diretor-presidente do Imac, Pedro Longo.
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br