Situação das lavouras de soja é verificada em Mato Grosso pela Aprosoja



Produtividade, clima, doenças, pragas e logísticas são alguns dos pontos a serem verificados em 12 municípios de Mato Grosso pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT). Até o dia 22 de janeiro o estado havia colhido 3,7% dos 9,2 milhões de hectares destinados à cultura, onde foram constatadas produtividades variando entre abaixo de 10 sacas por hectare e em torno de 60 sacas. A visita "in loco" ocorre em municípios das regiões Oeste, Médio-Norte e Norte: Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis, Nova Maringá, Tapurah, Ipiranga do Norte, Sorriso, Nova Ubiratã, Vera, Cláudia, Sinop, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum. Leia mais: Produtores chegam a registrar produtividade inferior a 10 sacas de soja com 3,7% de área colhida “Vamos percorrer as lavouras e ver como está a situação em decorrência a falta de chuvas, além de averiguar a questão das doenças e o andamento do plantio do milho”, destacou recentemente em entrevista ao Agro Olhar o diretor-técnico da Aprosoja-MT, Nery Ribas. A verificação das lavouras teve início na última segunda-feira, 25 de janeiro, e segue até sábado, 30. Além de Nery Ribas, a analista de Defesa Agrícola, Franciele Dal’Maso, e Valtemir Carlin, pesquisador da Agrodinâmica, compõe o grupo. Situação de emergência Nos próximos dias, como o Agro Olhar comentou, cerca de seis cidades em Mato Grosso devem declarar situação de emergência por crise econômica até a próxima semana em decorrência a falta de chuva no período de floração da soja. Prefeituras e a Defesa Civil do Estado de Mato Grosso realizam levantamento da situação das propriedades que foram afetadas pela estiagem. Segundo a Defesa Civil, entre os critérios avaliados estão os prejuízos econômico para as Prefeituras, empresas privadas (propriedades), bem como o prejuízo social (geração de desemprego, por exemplo). Em Sorriso, por exemplo, a previsão é de uma quebra de 15% da safra. Em algumas lavouras, conforme o presidente do Sindicato Rural, Laércio Lenz, chega-se a constatar produtividade abaixo de 10 sacas por hectare, bem como, também, se tem verificado 60 sacas em outras ou até mesmo dentro de uma mesma propriedade. Os trabalhos tiveram início há 15 dias, conforme o major BM Coordenador de Resposta e Reconstrução da Defesa Civil em Mato Grosso, Washington Duarte. A previsão é até a próxima semana concluir os levantamentos. “Aguardamos os relatórios por parte das Prefeituras e acredito que na próxima semana tenhamos um resultado”. Conforme o major BM, Washington Duarte, a decretação de situação de emergência pode garantir reparações legais aos produtores rurais quanto ao cumprimento de seus compromissos com compradores e bancos financiadores, por exemplo, pois trata-se de um prejuízo provocado por questões climáticas. Fonte Olhar Direto
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br