Prejuízos em cidades atingidas chegam a R$ 7,4 milhões



O levantamento repassado pelos municípios de Pontes e Lacerda, Porto Esperidião e Vila Bela da Santíssima Trindade apontam que os prejuízos nas cidades giram em torno de R$ 7,4 milhões após as inundações nos rios Aguapeí e Alegre. Os danos foram calculados baseados na quantidade de casas afetadas, criações, comércio e obras de infraestrutura. O relatório completo será encaminhado para homologação do Estado e posterior reconhecimento de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional. O coordenador da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Abadio da Cunha Júnior, explica que os dados são inseridos pelas defesas civis municipais com apoio das equipes que estão nas três cidades desde o dia 21 de janeiro. Além do levantamento de desabrigados e desalojados, pontes destruídas e outros prejuízos, o Formulário de Informações de Desastre (FIDE) também conta com um relatório fotográfico. Para que seja homologada situação de emergência, o valor total dos prejuízos deve ser correspondente a 2,77% do PIB do município. “O Estado já vem ajudando os municípios com o envio de alimentos, água potável, filtros e medicamentos desde que a Defesa Civil chegou às cidades. Agora fica a cargo das prefeituras lançarem os dados recolhidos nos últimos dias para homologação da situação de emergência. Temos até o dia 28 de janeiro, dez dias após o desastre, para a finalização desse processo”. De acordo com informações já lançadas, em Pontes e Lacerda foram 58 pessoas desalojadas e outras 5,5 mil afetadas indiretamente, seja pelo isolamento em virtude de pontes destruídas e interrupção de estradas, seja pela perda de criações de gado, porcos, galinhas e peixes levadas pela água. No município, os prejuízos econômicos ultrapassam os R$ 4,9 milhões. Em Vila Bela da Santíssima Trindade são 2 mil pessoas afetadas indiretamente, 28 desabrigadas e três desalojadas. A cidade repassou que os prejuízos em obras de infraestrutura somam mais de R$ 1,2 milhão e outros R$ 573 mil em imóveis atingidos. Segundo informações do município, as famílias que se alojaram na Escola Municipal Santa Luzia ainda continuam no local. Primeira cidade atendida pela Secretaria de Estado das Cidades (Secid), por meio da Defesa Civil, Porto Esperidião repassou que no município são R$ 696 mil em prejuízos, entre casas atingidas, obras de infraestrutura e os danos da Escola Municipal Santo Antônio. Ao todo, são 477 pessoas afetadas indiretamente, 84 feridos, 25 desalojados e 10 desabrigados. A partir desta quarta-feira (27.01), técnicos da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) iniciam trabalho de limpeza nos poços artesianos da cidade. Até o momento, já foi realizada nos três municípios a distribuição de 130 cestas básicas, 75 fardos de água, 60 cobertores, 17 colchões e dois rolos de lona às famílias atingidas. Da Assessoria
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2015. Mídia Rural - Todos os Direitos Reservados
Um Projeto: Du Pessoa© Web Sites e Marketing Digital (69) 9366 7066 WhatsApp* | www.dupessoa.com.br