Sinop: lideranças cobram de empresa mudanças e agilidade na duplicação BR-163 no Nortão



Foi realizada, esta manhã, na câmara dos vereadores, a mesa redonda para tratar das obras na BR-163 sob responsabilidade da Rota do Oeste. O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) conduziu o encontro -, que foi aprovado por uma comissão da Câmara dos Deputados. Segundo ele, as demandas “extraídas” da audiência darão subsídios às cobranças que devem ser feitas ao Ministério dos Transportes por modificações no projeto da duplicação partindo de Sinop sentido a Cuiabá (trecho que foi repassado para concessionária administrar).  “É uma reivindicação comum a vários municípios, como Sinop, Sorriso, Lucas e Nova Mutum. Precisamos dos trevos de acesso. Não adianta dar a concessão e piorar a situação das cidades. Além disso, queremos a duplicação até Guarantã do Norte, pois não tem lógica várias cidades do Nortão ficarem sem uma rodovia conservada por falta de manutenção. A concessão precisa ser estendida”, avaliou. O vice-governador Carlos Favaro (PSD) reforçou a importância da duplicação, mas alertou que o fechamento dos acessos retira a competitividade do comércio local às margens da rodovia. “Precisamos debater a duplicação como um todo, inclusive até Santarém (PA), pois vai trazer benefícios e dignidade ao cidadão. A BR-163 é um eixo importante e não pode ser deixada de lado. Agora, a gente precisa discutir as passagens, pois, sem elas, se tira a competitividade dos comerciantes e o direito de ir e vir do cidadão”, afirmou. Grande parte dos questionamentos feitos pela população e empresários foi respondida pelo diretor de Operações da concessionária, Fábio Abritta, que apresentou o planejamento das obras de travessia, duplicação e fechamento de acessos para ruas laterais. Segundo ele, 72 quilômetros de duplicação na região Sul do Estado estão previstos para serem entregues até março, porém, a empresa espera entregar 127 quilômetros. A previsão da empresa é investir R$ 1,7 bilhão até o final do próximo ano. O diretor também apontou um alto número de acidentes no trecho urbano da rodovia federal para justificar o fechamento dos acessos às vias laterais. De acordo com o levantamento da concessionária, houve uma redução de 13% nos acidentes com mortes, desde que os acessos da rodovia começaram a ser fechados. O perímetro urbano de Sinop, com uma média de 19 acidentes por quilômetro, é o mais perigoso de todo o trecho sob concessão, que tem média de três acidentes por quilômetro. Apesar dos números, a secretária municipal de Trânsito, Ivete Mallmann, disse discordar do projeto apresentado pela Rota do Oeste. Ela afirmou que está sendo realizado um estudo técnico, por parte da prefeitura, que vai propor algumas alterações, entre elas, mais trevos de acesso entre os dois lados da rodovia. A prefeitura também pretende cobrar da concessionária a implantação da iluminação e o asfalto de cerca de três quilômetros da ruas Enio Pipino e João Pedro Moreira de Carvalho, obras que não estariam contempladas no projeto original. Também endossou o “coro” por mudanças na forma de duplicação, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Sinop. Ele garantiu que os empresários não estão contentes com o projeto atual e pediu alterações imediatas. “A gente não pode aceitar o que foi exposto de forma alguma. Acreditamos na preservação da vida humana, mas não podemos aceitar que seja feita da maneira mais barata, prejudicando uma população inteira. Há meios competentes de manter os acessos e preservar a vida humana. A rodovia é plana, não há obstáculos para a visão dos condutores. Portanto, existem condições de fazer acessos seguros”. Participaram da audiência pública o senador José Medeiros (PPS), os deputados estaduais José Domingos Fraga, Pedro Satélite e Dilmar Dal Bosco, o secretário de Infraestrutura e Logística de Mato Grosso, Marcelo Duarte, a procuradora do Ministério Público Federal, Flávia Cristina Torres, vereadores, empresários, lideranças locais e população em geral. Nenhum representante da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) de Brasília veio para Sinop por conta do corte das diárias implantado pelo governo federal. Uma técnica, lotada em Cuiabá, representou o órgão e garantiu que está acompanhando os encaminhamentos realizados pela concessionária. O vereador Fernando Assunção (PSDB) solicitou a Leitão que o encontro fosse conduzido pela Câmara dos Deputados após terem sido fechados os acessos que trouxeram problemas para empresários. - fotos: Só Notícias/Luiz Ornaghi)   
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br