Produtores já acionam seguro rural no Norte de Mato Grosso



Produtores do Norte de Mato Grosso já começaram acionar o seguro rural devido a quebra da safra, obrigados pelo fraco desempenho das chuvas que incidiu diretamente na produção e qualidade do grão. O presidente do Sindicato Rural de Sinop, Antônio Galvan, afirmou que em muitas propriedades, onde as plantas deveriam estar com uma grande quantidade de vagem e no ciclo certo para começarem ser colhidas até o final do mês, há algumas murchas e outras sem sinais de avanço na "maturação". Galvan afirmou que nessa altura, muitos produtores ainda tem optado pelo replantio. “Em 30 anos plantando no Mato Grosso é a primeira vez eu vejo isso, um período tão grande sem chuvas. Há regiões que não veem água há até 35 dias. Algumas tiveram um bom ciclo, agora outras, nenhuma gota”, disse ao Só Notícias/Agronotícias, apontando que muitos produtores estão também optando por plantar arroz, devido a soja perdida O presidente destacou ainda que o cenário para os próximos meses não é muito positivo. “O problema não é só na plantação. Muitos armazéns na região perderam o selo necessário para armazenamento, então, fecharam, porque não podem receber grão. Como vamos armazenar a safra? Sem falar que as empreiteiras abandonaram 3 trechos para terminar a BR-163, sentido Santarém, no Pará, porque não receberam do governo”, destacou ao falar dos cortes da União. “É inevitável não dizer que Mato Grosso vai ter uma quebra na safra”, acrescentou. Na região de Sinop estima-se que a área agricultável é de 1 milhão de hectares. Somente na cidade cogita-se 165 mil hectares. No Estado, em mais de 8 milhões de hectares eram estimadas inicialmente 27 milhões de toneladas de soja neste ciclo. Fonte: Só Notícias/Agronotícias/Weverton Correa (foto:assessoria/arquivo)
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br