Javalis e queixadas são “piores que qualquer doença” na lavoura



Os produtores de grãos do Mato Grosso do Sul precisam acrescentar um item a mais na lista de desafios para safra 2015/16. Além da falta de chuva que atrasou o plantio por conta do solo seco, da perda de parte da janela ideal para o milho safrinha e das doenças, os ataques de animais silvestres como javalis, queixadas e catetos estão gerando prejuízos financeiros consideráveis, constatou a equipe da Expedição Safra Gazeta do Povo no roteiro de 5 mil quilômetros na região Centro-Oeste. De acordo com dados da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), 400 mil hectares de lavouras de soja, milho e cana são território da ação de javalis e similares, principalmente no Centro-Sul do estado. “Mas já temos relatos de ataques no Norte”, diz Leonardo Carlotto, analista de grãos da entidade. A cada temporada, os ataques dos animais nas plantações estão crescendo na mesma proporção que a população aumenta. “Javali é pior que qualquer doença, pois doença ainda existe a possibilidade de combater. Javali é uma Helicoverpa armigera multiplicada”, relata Adão Bernardo Vieira, representante da empresa Spraytec. O problema de controle é que a caça sem autorização destes animais é proibida no estado. E, obter o aval dos órgãos oficiais exige paciência e muita documentação, além de que apenas dois caçadores são credenciados a abater animais no estado. “Existe a possibilidade de conseguir a autorização, mas é muita burocracia”, ressalta Carlotto. “Pessoal já foi atrás do Ibama para diminuir a burocracia, mas não adiantou. Hoje está travado”, complementa. Estudo Na próxima safra de milho safrinha, a Famasul irá iniciar um projeto para realizar o levantamento dos prejuízos na produtividade causado pelos javalis, queixadas e catetos. “Hoje faltam dados da ação destes animais, que são bastante agressivos. Mas precisamos mostrar o prejuízo para a sociedade”, afirma o analista de grãos da entidade. A projeção inicial é de que o Mato Grosso do Sul plante 1,7 mil hectares de milho safrinha nesta temporada. Gazeta do Povo (AgroGP) Autor: Carlos Guimarães Filho
    Comente usando o Google
    Comente usando o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2018 Mídia Rural. Todos os Direitos Reservados
Du Pessoa Agência Digital (73) 9 8888 1488 WhatsApp www.dupessoa.com.br